Atualidade

Opinião

Pedro Tadeu

Só Rui Rio é que ganhou nestas eleições?

1 A noite eleitoral sorriu a Rui Rio, ainda antes de se começarem a contar os resultados - as projeções das televisões para Coimbra, a dar vitória folgada à coligação que o PSD juntou para eleger José Manuel Silva, e a possibilidade de Carlos Moedas, noutra coligação promovida pelo PSD, discutir taco a taco a presidência de Fernando Medina, garantiram que a contestação interna ao líder do PSD terá de aguardar por melhores dias - apesar de não serem resultados do PSD sozinho, o frenesim mediático da noite atirou todo o restante panorama eleitoral para um lugar secundário e Rui Rio vai beneficiar disso.

Pedro Tadeu

Paulo Baldaia

O escorpião veste laranja

A noite eleitoral começou com muitas resmas de papel a serem despachadas para a reciclagem. Tantos meses e tanto empenho a prever que Rui Rio teria de apear e, afinal, as sondagens à boca das urnas apontaram os holofotes para o Largo do Rato. Os resultados conhecidos ao longo da noite (este texto ficou fechado às 24h00) ajudaram a dar um sabor a vitória a uma derrota há muito anunciada. Esta liderança social-democrata está, aliás, a beneficiar constantemente da gestão das expectativas porque, com tantos "amigos" no seu próprio partido e na opinião publicada, que lhe apontam sempre o pior dos destinos, Rui Rio sobrevive politicamente mesmo com derrotas.

Paulo Baldaia

Mais atualidade

Mais Opinião

Joana Amaral Dias

A liberdade de muletas

O Estado partiu-lhe uma perna, de seguida ofereceu-lhe uma muleta e ainda espera a sua gratidão? O governo devolveu aos cidadãos uma parte dos seus direitos, liberdades e garantias, restituiu uma fatia daquilo que nos subtraiu (fora danos e mortes irreversíveis) e ainda é suposto sentirmo-nos abençoados? A gestão da Covid em Portugal foi sempre política, deixou 18 mil mortos, uma epidemia de patologias psicológicas, uma economia arruinada, enfim, um caos na saúde pública e o presente momento não é excepção. Desde logo, a palermia prossegue: se antes tínhamos um vírus de pontualidade britânica que atacava só após as 13 horas ou apenas aos fins de semana, agora o vírus tem calendário e abranda em Outubro. Se a máscara na rua nunca foi obrigatória e em Setembro terminámos com essa obrigação que nunca foi obrigatória, agora no décimo mês acabamos com o terminus da obrigação do que jamais foi obrigatório. Obrigada, executivo. Cristalino. Agora para entrar num estádio ao ar livre preciso de certificado ou teste mas num restaurante nada será necessário.

Joana Amaral Dias

Daniel Deusdado

Os sem-dentes

A história conta-se rapidamente. Produzi durante algumas temporadas um programa chamado Liga dos Últimos. O objetivo era mostrar os domingos à tarde do Portugal profundo - que tanto pode ser no Alandroal como em Moscavide ou Ermesinde. Vidas onde a bola, o clube do bairro, o bolinho de bacalhau e a cerveja ocupam, de forma barata, o que sobra do tempo em que não se trabalha. Esta verdadeira aventura tinha começado pelo inolvidável campeonato de Amadores do Porto, na extinta NTV, e daí passou para os clubes em situação difícil no país todo. Uma forma de ver Portugal (e o futebol) de pernas para o ar.

Daniel Deusdado

Desporto

  • Classificações
  • A Jornada
  • Resultados

Evasões

V Digital

As ciclovias "produzem" mais utilizadores de bicicleta?

As ciclovias "produzem" mais utilizadores de bicicleta?

Nos últimos tempos, a construção de ciclovias na capital acentuou-se com o objetivo de cumprir a promessa eleitoral do presidente da Câmara, Fernando Medina, de ter "pelo menos 200 quilómetros" de vias cicláveis até ao fim de 2021. Apesar das muitas vozes críticas contra faixas "de utilização reduzida", os especialistas consideram que só se promove a utilização deste meio de transporte se, antes, se construírem as infraestruturas necessárias.