Atualidade

Opinião

Anselmo Crespo

Quem nos salva de nós próprios?

O debate dos últimos dias sobre o futuro dos órgãos de comunicação social tem um pecado original: nunca, em momento algum, se fez uma verdadeira introspeção sobre as responsabilidades que jornalistas, direções, administradores e acionistas têm no estado a que chegou este setor. Pede-se ao Governo medidas de apoio, à União Europeia que imponha regras, aos anunciantes que invistam mais. Definem-se inimigos como o Google, o Facebook ou as empresas de clipping, mendiga-se aos leitores, ouvintes e telespectadores que valorizem o produto jornalístico e que o paguem, mas nunca se olha para dentro do setor. Nunca se identificam os erros que nós próprios cometemos e que só nós, como um todo, podemos corrigir.

Anselmo Crespo

Victor Ângelo

Uma estranha festa de aniversário

A doutrina militar moderna aprendeu muito com as operações no Afeganistão, no Iraque e mesmo, há vinte anos atrás, nos Balcãs. Uma das novas exigências tem que ver com o impacto estratégico de cada uma das acções tácticas levadas a cabo no terreno. Passou a ser conhecida como a teoria do "Primeiro-Cabo Estratégico". O nosso Cabo, que comanda quatro ou cinco soldados apenas, tem que manter um olho no inimigo e outro nas consequências mais gerais que cada tiro possa acarretar. Tem que prestar atenção, em simultâneo, ao pormenor e ao contexto.

Victor Ângelo

Filomena Naves

Obrigada, Humberto

Punha aquela cara de avô bonacheirão, dava uma pequena risada divertida e naquela disposição que parecia muito ligeira contava histórias de reportagens e falava-nos de coisas novas e complexas dos temas ambientais, como se fossem simples - pela sua voz, eram. Depois voltava aos seus artigos que, invariavelmente, versavam sobre projetos e políticas na área do ambiente (ou falta deles), nos quais dava voz a cientistas e especialistas (sabia sempre com quem falar), ou denunciava atentados ecológicos, que os havia por todo o lado.

Filomena Naves

João Céu e Silva

Nem só os futebolistas vão ao Maracanã

Quando Stefan Zweig fugiu da Europa em guerra exilou-se no Brasil. Gostou daquilo e, como era um fenómeno de popularidade mundial enquanto escritor, esse rasto de sucesso fez que a sua estada fosse bem melhor do que a vida dos seus conterrâneos perseguidos pela loucura de Hitler, nada que o fizesse esquecer a tristeza e em 1942 se suicidasse, num pacto final com a mulher. Dessa estada em Petrópolis e de duas anteriores visitas ao país ficou-lhe a vontade de escrever sobre a ex-colónia portuguesa e imprimiu as suas opiniões num ensaio intitulado Brasil, País do Futuro.

João Céu e Silva

O circo com animais virtuais

O circo com animais virtuais

Alonso Trenado questiona o palhaço Fofito quanto á possibilidade de o Circo Roncalli substituir os tradicionais números com animais por sofisticados hologramas. O palhaço veterano não podia ter ficado mais entusiasmado: "Quem diria que podíamos ter um elefante na pista e que ninguém lhe consegue tocar".Aos habituais acrobatas, malabaristas, palhaços, equilibristas ou ilusionistas, juntam-se neste circo alemão gigantescos animais holográficos com mais de seis metros de altura. Para o conseguir, instalaram na parte superior da tenda onze lasers que projetam uma imagem de alta definição com 13.000 por 1.900 pixéis. A mais avançada tecnologia inserida num espetáculo tradicional com vários séculos de história, que se moderniza desta forma e evita uma das maiores polémicas que perseguiu o circo nos últimos anos, a dos maus-tratos a animais. E o melhor é que, no fim de contas, o espetáculo apresentado na pista do Roncalli através dos seus seres virtuais conseguiu o seu objetivo. Um objetivo que, sem dúvida, se manterá inalterado por muitos anos que passem: iludir, emocionar, entreter.Reportagem e edição: Alonso Trenado, Noelia Núñez, Ainara Nieves, Douglas Belisario, Cris del MoralTexto: José L. Álvarez Cedena

O rapaz de 15 anos que é especialista em Realidade Virtual

O rapaz de 15 anos que é especialista em Realidade Virtual

Sabarish é um dos jovens mais precoces em todo o mundo na criação de aplicações para VR e AR, e um dos programadores das HoloLens, o novo dispositivo da Microsoft. O adolescente de apenas 15 anos é fundador da WaypointAR, uma empresa que está a desenvolver uma solução para nos orientarmos e deslocarmos em grandes espaços fechados (como aeroportos ou centros comerciais) utilizando a realidade aumentada. A teoria de Sabarish é que, atualmente, os nossos smartphones são mais "uma interferência do que uma integração", já que interagimos com eles através de um ecrã bidimensional, algo que passará à história com a chegada do 3D e da realidade virtual. As grandes empresas tecnológicas como a Google, Apple, Facebook ou Microsoft concordam com a sua análise, daí os grandes investimentos que estão a fazer nestes setores e a importância de "aprender a criar aplicações para o mundo real que não existem em videojogos, marketing, entretenimento ou publicidade".A confiança demonstrada por Sabarish nas suas afirmações acerca do que considera que será a próxima "explosão tecnológica" não surpreende se tivermos em conta a determinação com que entrou neste território. Segundo escreveu no seu blogue em julho de 2017: "Quando comecei no mundo das aplicações de realidade virtual, não encontrava uma fonte que explicasse claramente os passos que devia seguir. Por isso, inventei-os eu mesmo." Apesar de ser considerado uma das pessoas mais influentes do mundo na área da VR, acredita que o que fez até agora é "um pouco banal" e, por isso, está empenhado em fazer algo nos próximos anos que ajude a tornar um pouco mais fácil a vida de milhões de pessoas.Entrevista e edição: Azahara Mígel, Noelia Núñez, Ainara NievesTexto: José L. Álvarez Cedena

Insider

Spotify vai mostrar-lhe aquilo que andou a ouvir em 2019

Spotify vai mostrar-lhe aquilo que andou a ouvir em 2019

Com o final do ano, chegam as listas de retrospetiva - e o Spotify não foge a esta regra. Esta quinta-feira, todos os utilizadores podem ver estatísticas sobre aquilo que andaram a ouvir em 2019. Como habitual, o Spotify lançou a experiência Spotify Wrapped, que mostra quanto tempo passou a interagir com o serviço de streaming, que artistas mais ouviu e até qual é o seu radar de nacionalidades de artistas. Para os utilizadores do Spotify, assim que entrar no site ou na aplicação vai ver a indicação daquilo que mais ouviu - este ano, há também a inclusão de [...]

Ex-líder do Banco Mundial acusa Trump de dividir tecnologicamente o mundo

Ex-líder do Banco Mundial acusa Trump de dividir tecnologicamente o mundo

Republicano e ex-presidente do Banco Mundial arrasou política de Donald Trump por levar a China a criar sistema paralelo contra os interesses dos EUA, fomentando um planeta tecnologicamente dividido. Robert Zoellick não tem dúvidas: a política de Donald Trump está a aumentar a divisão do mundo seja a nível económico ou a nível tecnológico. O ex-presidente do Banco Mundial, um republicano que serviu inclusive em antigas administrações republicanas (de George Bush pai e George W. Bush), foi claro ao repreender publicamente a política de Donald Trump para a China, alertando que o presidente corre o risco de empurrar Pequim para um sistema [...]

Youtubers e humoristas lideram Youtube português em 2019, mas também há espaço para política

Youtubers e humoristas lideram Youtube português em 2019, mas também há espaço para política

O YouTube revelou a lista dos vídeos mais populares do ano em Portugal. Na lista figuram, sem surpresa, vídeos de criadores de conteúdo e humoristas, mas também há espaço para política. Em Portugal, os vídeos mais populares, sem contar com os vídeos de música, pertencem maioritariamente a youtubers. O topo da lista é encabeçado por Mafalda Creative,com a paródia Rainha da Net, inspirada no tema de Ariana Grande, Thank U, Next. A youtuber lamentava-se por não conseguir entrar para as tendências da plataforma de vídeo da Google - mas o vídeo inverteu a situação. No segundo lugar figura a música [...]

V Digital

A tração imersiva criada pelo grupo britânico Darkfield simula um acidente de avião.

Esta atração imersiva simula um acidente de avião

Um grupo britânico chamado Darkfield lançou uma atração imersiva que simula um desastre de avião. A experiência de 30 minutos, a que deram o nome de "Flight", acontece num espaço que reproduz uma cabine de aeronave, e faz uso de som binaural para imitar barulhos como o do metal sendo arrancado. Os participantes têm que se sentar, apertar os cintos e colocar headphones para "descolar". A experiência custa 30 doláres (cerca de 27 euros).

A confusão na Assembleia Legislativa de São Paulo com o deputado Arthur Mamãe Falei

"Bando de vagabundos": insulto de deputado acaba em pancadaria

A Assembleia Legislativa de São Paulo, Brasil, preparava-se para mais uma sessão, no fim da tarde desta quarta-feira, quando Arthur Mamãe Falei, deputado do DEM, de centro-direita, eleito em 2018 na esteira do bolsonarismo e de outras correntes da chamada "nova política", subiu ao púlpito. Mamãe Falei, assim conhecido por ter um canal de YouTube com esse nome, deparou-se com uma plateia hostil, tanto no plenário como nas galerias. Começou então a chamar de "vagabundos", termo considerado particularmente ofensivo no Brasil, os deputados do PT que lhe respondiam mas sobretudo os assistentes, entre os quais, acusou ele, estavam líderes sindicais e gente paga para estar ali a contestá-lo. Rapidamente começou uma cena de pancadaria.