Atualidade

Bernardo Ivo Cruz

Democracia é (muito) mais do que ir votar

De tempos a tempos, as pessoas que têm a sorte de viver em regimes democráticos são chamadas a escolherem quem irá defender os seus interesses, representando-as em Parlamentos e formando as maiorias de onde nascem os Governos. Quem se dá ao trabalho de ir votar está a dar aos Partidos e às pessoas em quem vota a legitimidade de falarem em seu nome e tomarem decisões que obrigam a todos. E quem não tem paciência para ir votar, deixa que os outros decidam em seu nome e devia olhar-se ao espelho sempre que estiver infeliz com o rumo que leva a sociedade. Nada de novo numa democracia moderna.

Bernardo Ivo Cruz

Margarita Correia

O português, o espanhol e a intercompreensão

O português e o espanhol em conjunto constituem uma comunidade linguística de quase 800 milhões de falantes. Não restam, pois, dúvidas quanto ao potencial de cada uma das línguas e das duas em conjunto. Por isso, a Organização de Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), a que Portugal pertence, tem apostado no reforço de sinergias para a gestão de ambas as línguas e no incentivo da intercomprensão entre falantes de português e de espanhol, com base na sua origem comum, o latim, e na sua grande proximidade em termos gramaticais e lexicais. Pelo que ouço, porém, a questão da intercompreensão não está completamente deslindada para muitos portugueses.

Margarita Correia

Tiago Bastos

Estabilidade e economia próspera na África Ocidental

Com uma população de mais de 16 milhões de habitantes, o Senegal é uma das economias com melhor desempenho na África Subsaariana, com uma taxa média de crescimento superior a 6 por cento nos últimos quatro anos, integrando o grupo restrito das 10 economias africanas que registaram maior crescimento em 2019. É também a segunda maior economia da UEMOA - União Económica e Monetária do Oeste Africano e da África Ocidental de língua francesa. A estabilidade social e duradoura do país propicia um ambiente de negócios favorável ao investimento, e a implementação, pelas autoridades, de um vasto programa de reformas no país tem conferido uma maior competitividade à economia, estimulando os fluxos de IDE em setores-chave como a agricultura, indústria, turismo, infraestruturas de transporte e indústrias extrativas.

Tiago Bastos

Especiais DN

"Há uma espécie de felicidade nesta fronteira hispano-portuguesa que pode ser um exemplo para a Europa"

"Há uma espécie de felicidade na fronteira hispano-portuguesa"

A chefe da diplomacia espanhola conversou com o DN na semana da reabertura de fronteiras sobre a dor causada pela separação artificial imposta pela pandemia, a força dos laços económicos, também as posições comuns no âmbito da União Europeia. Sobre a gestão dos temas complexos como o caudal dos rios ou a proximidade da central nuclear de Almaraz do território português, Arancha González Laya fala de construir clima de confiança.

João Honwana

Premium“É preciso derrotar os jihadistas e conquistar o povo”

Entrevista a João Bernardo Honwana, consultor na área de Resolução de Conflitos, Mediação Política e Diplomacia Preventiva, em Nova Iorque. Foi funcionário das Nações Unidas entre 2000 e 2016, tendo servido como Representante do Secretário-Geral para a Guiné-Bissau e Diretor de Divisão (África I e África II) no Departamento para Assuntos Políticos. É Coronel Piloto Aviador na reserva e antigo Comandante da Força Aérea de Moçambique. Participou a 1 de julho na Speed Talk do Clube de Lisboa sobre o jihadismo em Cabo Delgado.

Plataforma

Homens gays já podem doar sangue no Brasil

Homens gays já podem doar sangue no Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) revogou nesta quarta-feira (8) a determinação que restringia a doação de sangue por homossexuais do sexo masculino. Segundo a medida agora revogada, homens que mantiveram relações sexuais com outros homens nos últimos 12 meses eram considerados inaptos para doações. Assim, o ato, publicado na edição de hoje do Diário Oficial da União, cumpre determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), que considera o impedimento discriminatório.

Bolsonaro veta obrigação de fornecer água potável a indígenas

Bolsonaro veta obrigação de fornecer água potável a indígenas

O presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou com vetos nesta quarta-feira a lei que prevê a proteção de indígenas e quilombolas durante a pandemia. Entre as medidas vetadas pelo mandatário, está a obrigação para que o governo garanta o acesso à água potável e a "distribuição gratuita de materiais de higiene, limpeza e desinfecção para as aldeias". A constante higienização das mãos e dos locais de habitação são medidas fundamentais para evitar a propagação da Covid-19.