Atualidade

Opinião

Mirko Stefanovic

Auschwitz-Birkenau (uma história pessoal)

Setenta e cinco anos após a libertação do campo de extermínio nazi de Auschwitz-Birkenau, a data está a ser comemorada em Israel, na Polónia e noutros lugares, e as memórias do Holocausto tornaram-se, mais uma vez, um tema de conversa. Nesse 27 de janeiro, 75 anos atrás, o Exército Vermelho Soviético entrou no campo abandonado, onde permanecia apenas um pequeno número de prisioneiros, aqueles que não acudiram à chamada dos seus captores para saírem dos seus alojamentos e deixarem o campo juntamente com eles. Nem mesmo as ameaças do exército alemão de fazer explodir o campo antes da chegada das tropas soviéticas convenceram essas pessoas a abandonar a área, sabendo que a palavra nazi não tinha qualquer valor.

Mirko Stefanovic

Óculos de natação com realidade aumentada

Óculos de natação com realidade aumentada

A natação é considerada o desporto mais completo. Especialistas em medicina desportiva defendem os benefícios da modalidade que, ao contrário de outras, permite exercitar todas as extremidades e realizar um bom trabalho cardiovascular. Mas tal como acontece com a corrida, em que não basta começar a correr e já está, na natação não basta atirar-se à água e começar a dar aos braços e às pernas. De facto, é recomendável que haja um acompanhamento para evitar lesões e, além disso, ter um controlo do tempo e do esforço que dedicamos enquanto nadamos. Deste modo, é possível ir acumulando dados e comparar a evolução entre sessões. E, também aqui, a tecnologia é uma grande ajuda, neste caso sob a forma de óculos de natação com realidade aumentada integrada.Os Form Swim Goggles possuem um visor inteligente que permite ao nadador ver as métricas de rendimento em tempo real através de um ecrã integrado nos próprios óculos. O atleta pode ver, a qualquer momento, a distância percorrida, o número de braçadas ou os tempos intermédios enquanto nada. Estes dados são simultaneamente registados numa aplicação móvel. Embora o que mais chame a atenção nos Form Swim Goggles sejam as suas prestações tecnológicas, os seus criadores não puseram de parte um pormenor óbvio: por se tratar de óculos para nadadores, tiveram especial cuidado em torná-los cómodos, fáceis de utilizar e fabricados com materiais de alta qualidade para oferecer um ajuste personalizado.Como sempre, a última palavra para determinar se este tipo de dispositivos é útil ou não pertence a quem os utilizará de forma intensiva: os atletas. Por isso, Maldo esteve com uma nadadora olímpica, Mónica Ramírez Abella, para experimentar os Form Swim Goggles e comprovar se cumprem o que prometem.Entrevista e edição:  Pedro García Campos | Ainara NievesTexto: José L. Álvarez Cedena

Como funcionam os efeitos visuais no cinema

Como funcionam os efeitos visuais no cinema

Um dos truques visuais que revolucionou a forma de fazer cinema (e, mais tarde, de fazer televisão ou qualquer outra produção audiovisual) foi a chegada do chroma. Esta técnica do "bluescreen" (ecrã azul, embora mais tarde se tenha popularizado o verde) não é nenhuma novidade: foi utilizada pela primeira vez no filme "O Ladrão de Bagdad", de 1940. O responsável pela ideia foi Lawrence W. Butler, embora o verdadeiro impulsionador do chroma tenha sido Petro Vlahos, que ganhou cinco Óscares pelos seus contributos na área dos efeitos visuais entre os anos sessenta e noventa.Já se passaram muitos anos desde então, mas a técnica introduzida por estes pioneiros foi sempre evoluindo, não ficando obsoleta. Agora até nos podem parecer grosseiros alguns dos recortes utilizados para situar os personagens em qualquer cenário sem sair do plateau, mas na época serviam para criar a ilusão necessária. Se há produções atuais em que o chroma brilha de forma especial são os filmes de super-heróis, tanto que no YouTube existem muitos vídeos em que se pode ver o Homem-Aranha ou o Super-Homem presos por cabos sobre um fundo verde. O certo é que, sem alcançar a perfeição nem a sofisticação destes grandes títulos, qualquer um pode fazer um chroma em casa: basta uma tela verde ou azul e um software de edição de vídeo que o suporte. E, para demonstrar como pode ser simples, Natalia Sprenger visitou um plateau para brincar com esta técnica.Entrevista e edição: Maruxa Ruiz del Árbol | Marius Cirja Texto: José L. Álvarez Cedena