Opinião

Jornal americano proíbe o manguito do Zé Povinho

Vamos pôr a coisa nestes termos: havia a ideia de que se delineava um esboço para perda de liberdades. Não só em Portugal, mas por todas essas sociedades democráticas que, apesar de tudo, são melhores do que as outras. Um esboço do fim do direito à presunção de inocência, não ainda nos tribunais mas na prática comum da insídia em muito sítio: se parece ser culpado, e der jeito a alguns, é-se culpado. Um esboço do fim da palavra de um cidadão valer o mesmo do que a palavra de outro: se, na convicção firme da opinião pública, uma das partes estiver ao arrepio de uma causa na moda, o que ela diz vale menos... Estávamos perigosamente assim, no esboço.

Ferreira Fernandes

O populismo identitário

O tema da coincidência entre Nação-Estado foi intencionalmente considerado um princípio da organização mundial quando o presidente Wilson conseguiu a sua inclusão no estatuto da Sociedade das Nações (SdN), no fim da guerra de 1914-1918, organismo em que depois os EUA decidiram não entrar. Acontece que nação é um termo que, exprimindo de regra, em primeiro lugar, uma definição cultural (costumes, tradições, valores), tem vocação para possuir um território e uma soberania, mas o princípio da SdN não impediu a existência, hoje extinta, da unidade checoslovaca, nem que, atualmente, o Brexit advirta que um eventual problema futuro para o Reino Unido está no facto de não ser um Estado-Nação, e identidades políticas, provavelmente duas ou mais nações, suas componentes, são europeístas.

Adriano Moreira

Deus sem mundo, mundo sem Deus

1. Segundo um estudo da Universidade de St. Mary, Londres (2014-2016), em 12 países europeus, a maioria dos jovens entre os 16 e os 29 anos admitem que não são crentes e que nunca ou quase nunca vão à igreja ou rezam. A República Checa é o país menos religioso da Europa: 91% dos jovens confessam não ter qualquer filiação religiosa. Seguem-se a Estónia, a Suécia, os Países Baixos, onde essa percentagem dos sem religião fica entre os 70% e os 80%. Também noutros países se nota a queda rápida da religião: na França, são 64% a admitir não serem crentes, na Espanha, 55% declaram que não confessam qualquer religião. Perante estes dados, o responsável pelo estudo, Stephen Bullivant, afirmou que "a religião está moribunda" na Europa.

Anselmo Borges

O foguetão que levantou do Cais Sodré

Na madrugada de terça para quarta-feira, à porta do Roterdão Club, um rapaz argentino gastou todos os dados do telemóvel para mostrar à namorada um vídeo no YouTube. Era a noite de aniversário de David Bowie e a discoteca lisboeta celebrou a efeméride. Passou, aliás, toda a semana em comemorações. Hoje, sábado, é a última noite de festa - há um concerto dos Starmen, banda de tributo ao Camaleão. O argentino queria mostrar à sua miúda o vídeo que Chris Hadfield gravou na Estação Espacial Internacional. O astronauta canadiano cantou o tema Space Oddity com gravidade zero e com isso confirmou uma certeza: Bowie não era só deste mundo. Agora, na rua cor-de-rosa, um par latino-americano embarcava no mesmo foguetão que o cantor tinha lançado para a galáxia cinquenta anos antes. No telemóvel, a contagem decrescente - lá vai um foguetão a caminho de Marte.

Ricardo J. Rodrigues

Ver Tudo

A invenção de uma menina de 12 anos que pode salvar milhares de vidas

"Se tens uma ideia, não desistas. Se falhares, tenta novamente".Parece uma frase retirada de uma caneca da Mr. Wonderful ou de um Tweet para agradar a um grupo de empreendedores. Mas, se foram pronunciadas por alguém como Gitanjali Rao, convém que prestemos atenção, porque a determinação e o talento desta menina de 12 anos permitiram-lhe ser nomeada melhor jovem cientista dos Estados Unidos, no ano passado, e, mais importante do que isso, levaram-na a projetar um dispositivo que pode ajudar a salvar várias vidas, no futuro.Gitanjali teve a ideia de projetar a Tethys, um detetor de chumbo que lhe garantiu o reconhecimento, quando viu, nas notícias, o que tinha acontecido em Flint, no Michigan.Esta cidade com cerca de 100 mil habitantes ficou famosa nos Estados Unidos quando se descobriu que, devido a alterações no abastecimento, durante alguns anos os habitantes tinham consumido água contaminada com chumbo. Mais escandaloso foi o facto de as autoridades saberem o que se passava e não o terem denunciado, pondo em perigo as vidas de milhares de pessoas. Quando Gitanjali soube, através da televisão, pensou em “todos os meninos da minha idade que se expunham diariamente ao veneno, só por utilizarem um recurso como a água. O meu primeiro instinto foi perguntar-me como era possível, se toda a gente deveria ter direito a água potável."A sua resposta não poderia ter sido mais clara: projetou a Tethys (assim chamada, em homenagem à deusa grega da água doce e dos rios), um aparelho portátil que utiliza nanotubos de carbono para medir o chumbo. O detetor incorpora um sensor ligado através de bluetooth a uma aplicação móvel que faz uma análise precisa e quase imediata da água.Gitanjali reconhece que a sua paixão pela ciência foi herdada da sua família e sente-se grata por isso.Os seus planos para o futuro são muito claros: gostaria de continuar a ajudar a resolver os problemas das pessoas através da ciência e da tecnologia e sabe que, para isso, tem de pôr em prática seguindo um dos conselhos que dá sempre a toda a gente: "Faças o que fizeres, diverte-te."Entrevista e edição:  Zuberoa Marcos, Pedro García Campos, Cristina LópezTexto: José L. Álvarez Cedena

A Inteligência Artificial irá criar 58 milhões de postos de trabalho

Entre a desconfiança, a piada fácil e o medo absoluto, a extensão da inteligência artificial a todas as vertentes da nossa vida não deixa ninguém indiferente. Antes de morrer, o físico britânico Stephen Hawking afirmou que “o desenvolvimento de uma inteligência artificial completa pode significar o fim da espécie humana”. Outras figuras de relevo da área da tecnologia, como Elon Musk ou o cofundador da Apple, Steve Wozniak, comungam dessa preocupação. E, se as opiniões dos que estão destinados a abrir caminho neste terreno são tão pouco tranquilizadoras, ninguém pode censurar aqueles que, de posições mais desfavorecidas, olham com receio para umas máquinas que, a curto prazo, podem vir a pôr em causa o seu posto de trabalho. Também não ajudaram os filmes em que os robôs se lançavam à conquista do mundo, aniquilando ou escravizando a humanidade. A propósito deste ódio — menos irracional — o professor da universidade de Loyola, em Chicago, Steve Jones, afirmava num artigo para a revista Forbes que a população tem “a sensação de que há uma força não humana, chamada tecnologia, que é uma ameaça”. Jones assegurava existir o risco real de aparecer um movimento neoludita que, à imagem e semelhança dos Britânicos do século XVIII, encete uma luta contra as máquinas por porem em perigo o seu emprego. Um movimento que — realça Jones — não acredita que a política e a economia sejam as vias para lidar com o inevitável avanço das novas tecnologias.Nuria Oliver, prémio nacional de Informática 2016 e diretora de pesquisa de ciência de dados na Vodafone, crê que a inteligência artificial "terá um enorme impacto positivo na sociedade". E dá como exemplo o campo da saúde, onde as possibilidades que as novas tecnologias oferecem em áreas como a sequenciação do genoma humano ou a análise radiológica comparativa eram impensáveis há poucos anos. A inteligência artificial e os robôs serão, garantidamente, protagonistas daquilo a que já se chama quarta revolução industrial. Não obstante, Oliver está consciente do receio que esta difusão rápida das máquinas em tão pouco tempo desperta, particularmente no que diz respeito ao emprego: "todos os estudos antecipam uma transformação radical que vai implicar a extinção de milhões de postos de trabalho; no entanto, serão criados muitos mais. Segundo o Foro Económico Mundial, criar-se-ão 58 milhões de postos de trabalho”. Este otimismo que abre um leque de possibilidades deve ser acompanhado de uma adequada política educativa, visto que ser utilizador de tecnologia não é o mesmo que entender como funciona, e atualmente as crianças não são preparadas para virem a ocupar esses novos postos de trabalho que serão exigidos nos próximos anos. Oliver vê na evolução das máquinas uma grande oportunidade que não devemos deixar passar: "É muito importante que vejamos a inteligência artificial como uma oportunidade para melhorar a sociedade, para sobrevivermos enquanto espécie. No entanto, temos de nos preparar e de nos formar, para que isso posso ser uma realidade”. Entrevista e edição:  Azahara Mígel, Maruxa Ruiz del Árbol, David Giraldo Texto: José L. Álvarez Cedena

Insider

Portugueses da Sky vão criar serviço de streaming da gigante NBCUniversal

Tecnologia criada em Portugal é usada por milhões de clientes da operadora britânica de televisão. Segue-se a gigante norte-americana NBCUniversal. A britânica Sky vai continuar a aumentar a equipa em Portugal e o próximo objetivo já está definido: passar dos 200 funcionários que tem agora para 400, num processo que ficará completo até 2021. A garantia é dada por Pedro Geada, líder do centro tecnológico de Lisboa. "Somos muito exigentes com a qualidade, portanto o que nos limita não é tanto ter projetos para as pessoas. Se encontrássemos 200 pessoas amanhã, tínhamos projetos para elas. Queremos pessoas que se adequem à nossa [...]

As primeiras impressões do peculiar Microsoft Surface Studio 2

Bem-vindo ao 47.º episódio do Digital Insider, o seu programa semanal sobre como a tecnologia está a mudar o mundo à nossa volta. Este é o último programa antes de uma pausa de verão. Esta semana mostamos o computador mais caro e avançado da Microsoft, o Surface Studio 2, temos uma demonstração de como o 5G vai mudar as cidades e ficamos a conhecer os hábitos tecnológicos do Nobel da Física, o francês Gérard Mourou. É o computador mais potente e mais caro da Microsoft. O Microsoft Surface Studio chega pela primeira vez a Portugal e é um supercomputador feito [...]

Estes truques vão facilitar-lhe a vida no Instagram

A influência do Instagram tem vindo a crescer e a aplicação de partilha de imagens absorve o tempo de milhões de utilizadores todos os dias. Com mais funcionalidades à disposição, há alguns truques que vale a pena conhecer. Se inicialmente o Instagram apenas permitia acrescentar filtros às imagens e partilhá-las, com o tempo o conjunto de funcionalidades foi aumentado - vídeos, histórias, filtros ou diretos são apenas alguns dos exemplos. Com mais coisas para fazer, também há alguns pontos que convém saber, desde a área da privacidade até formas de ganhar mais seguidores. Não use a câmara do Instagram Pode [...]

Matrics. A marca portuguesa de ratos e teclados "low cost" para videjogos

Empresa portuguesa Interplay aposta num mercado que em Portugal vale 74 milhões de euros. E já tem planos de expansão para Espanha. É lançada, neste sábado, uma nova marca portuguesa ligada ao setor dos videojogos: chama-se Matrics e aposta na venda de teclados, ratos, auscultadores, cadeiras e monitores pensados para jogadores, amadores ou profissionais. A empresa aposta em características que são reconhecidas como de qualidade no mercado - como um teclado mecânico de sistema ótico, mais rápido e duradouro -, mas por um preço mais acessível: o modelo topo de gama da Matrics vai custar 79 euros, enquanto um teclado com especificações semelhantes de outras [...]

DN Ócio

Lisboa já tem um mapa de arquitetura para contar a história da cidade

Maria Melo gosta de mapas quase tanto quanto gosta de arquitetura (e de jardins). Quando viaja, usa e volta a usar mapas, onde deixa anotações, bolinhas, memórias da passagem pelos locais. Não foi por isso difícil à livreira e editora da A+A, a livraria especializada em arquitetura, perceber a falta que fazia um mapa da arquitetura de Lisboa. E, claro, se bem pensou, melhor o fez. Texto de Marina Almeida De um lado, Lisboa desdobrável com bolinhas pretas numeradas de 1 a 170, e as respetivas legendas. Do outro, o bê-à-bá da arquitetura moderna e contemporânea da cidade, com informação [...]

Os grandes artistas portugueses que pintaram Santo António

Vieira da Silva e Aurélia de Sousa nasceram no dia de Santo António. As duas artistas dedicaram-lhe uma obra. Também Pomar, Almada, Columbano, Stuart, Bordalo e João Abel Manta o representaram. A sua imagem na arte é também o reflexo de um país. Texto de Marina Almeida Todos os caminhos para Santo António na arte vão dar ao Porto e a Aurélia de Sousa. Será, talvez, uma das representações mais emblemáticas e enigmáticas do santo: a artista, nascida a 13 de junho de 1866 em Valparaíso, no Chile, filha de emigrantes portugueses, pintou um autorretrato como Santo António. Comecemos então [...]

Mais de 50 mil Harley Davidson vão estar em Cascais para concentração europeia

A vila de Cascais vai receber, de 13 a 16 de junho, mais de 50 mil motos da marca Harley Davidson. Durante quatro dias, e com um programa cheio de atividades, segundo a organização, os fãs daquelas motos norte-americanas vão poder assistir e participar em alguns dos eventos, como o desfile que irá decorrer no dia 15 de junho entre o Autódromo do Estoril e o centro de Cascais, num percurso de 32 quilómetros. Esta é a 28ª edição do European H.O.G. Rally, que já se realizou em Cascais em 2012. O evento decorre todos os anos num país europeu [...]

As versões modernas do santo de Lisboa

Num dia de inspiração divina, Nuno Brandão criou um santo monocromático que se tornou um sucesso. Nuno Saraiva fez a primeira ilustração em 2009 e o santo nunca mais teve compostura. Ninguém sabe exatamente como era o homem nascido em Lisboa a 13 de junho de 1191. Por isso, pode ser o que a imaginação ditar e correr o mundo na letra de uma canção. Texto de Marina Almeida Em três tempos Nuno Saraiva dá forma a um santo em correria sobre o globo terrestre. Também num momento, Nuno Brandão deu a volta à vida: estava à porta da loja, [...]