Opinião

Uma multidão de corruptos injusta e pessoalmente perseguidos

Nenhum agente público no Brasil, nem mesmo o presidente da República, pode ganhar acima de 33 mil reais por mês. Isso equivale a pouco mais de oito mil euros - o que, para as responsabilidades de certas funções, pode ser considerado um salário modesto. Mas você ficaria surpreso ao ver como, no Brasil, esse valor ganha uma extraordinária elasticidade e consegue adquirir coisas que, em outros países, custariam muito mais dinheiro. Com ele, nossos políticos compram, por exemplo, redes inteiras de estações de rádio e televisão, prédios de 20 ou mais andares em regiões de proteção ambiental e edificação proibida e extensões de terra maiores do que a área de certos países europeus. É um fenómeno. Mais surpreendente ainda foi o que descobrimos esta semana. O governador do estado do Rio - cuja capital é a infeliz cidade do Rio de Janeiro -, Luiz Fernando Pezão, fez apenas 11 saques em suas contas bancárias de 2007 a 2014. Alguns desses saques eram no valor de três euros, o que lhe permitiria comprar no máximo um saco de pipocas, e nenhum acima de oitocentos euros. Por mais que Pezão pareça um sujeito humilde e desapegado, como se pode viver com tão pouco? Talvez tivesse dinheiro em espécie acumulado em algum lugar - quem sabe um cofre em sua casa ou mesmo o seu próprio colchão -, do qual fosse retirando apenas o suficiente para seus alfinetes. Não por acaso, a Polícia Federal prendeu-o na semana passada, acusando-o de ter recebido o equivalente a dez milhões de euros de propina, naquele período em que ele era vice-governador do então titular Sérgio Cabral - que, por sua vez, está condenado por enquanto a 197 anos de prisão por corrupção, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. Cabral é acusado também de ter cerca de 85 milhões de euros em depósitos fora do Brasil. Onde estarão os milhões de Pezão? E Michel Temer, dentro de 20 dias a contar de hoje, deixará de ser presidente do Brasil. No dia 1 de janeiro, uma terça-feira, passará a faixa presidencial a seu sucessor e perderá a imunidade que o impede de ser condenado por atividades ilícitas anteriores ao seu mandato. É quase certo que, já no dia seguinte, agentes da Polícia Federal baterão à sua porta em São Paulo, para levá-lo a explicar-se sobre as atividades ilícitas praticadas antes e durante o mandato. Explicações que ele terá dificuldade para dar, já que os investigadores parecem ter provas robustas de suas trampolinagens. E não se pense que tudo nessa turma se refere a milhões - uma inocente obra de reparos na casa de uma filha de Temer em São Paulo, "oferecida" por um empresário, indica um gesto de gratidão desse empresário por certa obra de vulto em que Temer, como presidente, o favoreceu. Nem toda a corrupção tem o dinheiro como fim. Ele pode ser também um meio - para se chegar ao mesmo fim. No caso do Brasil, foi o que prevaleceu nos últimos 15 anos: o desvio de dinheiro público para a manutenção do poder político, eternizando o desvio de dinheiro público. É uma equação diabólica, principalmente se maquiada de uma tintura ideológica - práticas de direita com um discurso de esquerda. E não se pense também que isso envolveu apenas os políticos. A Operação Lava-Jato, que está botando para fora os podres do país, condenou até agora 65 pessoas à prisão, das quais somente 13 políticos, num total de quase duzentas em fase de investigação ou já denunciadas. Entre estas, contam-se doleiros, operadores de câmbio, publicitários, lobistas, pecuaristas, irmãos, cunhados, ex-mulheres e "amigos" de políticos e carregadores de malas de dinheiro, além de funcionários, gerentes de serviço, executivos, tesoureiros, diretores, sócios-proprietários e presidentes de grandes empresas. Entre os presos ou investigados, estão também um ex-presidente da Câmara dos Deputados, um ex-presidente do Senado, vários ex-ministros de Estado (dos quais três ex-ministros da Fazenda), três ex-tesoureiros do Partido dos Trabalhadores, meia dúzia de altos funcionários da Petrobras, o ex-presidente do banco de desenvolvimento nacional, seis ex-governadores estaduais, os presidentes das quatro maiores empresas de construção civil do Brasil e quatro ex-presidentes da República. Um deles, Luiz Inácio Lula da Silva. Portanto, quando lhe falarem que o querido Lula está sofrendo uma perseguição pessoal e injusta, pense nos citados acima, tão injusta e pessoalmente perseguidos quanto ele.

Ruy Castro

DN Life

Está sempre a esquecer-se de coisas? Esta solução pode ajudar

Quantas vezes deixou passar um compromisso importante, esqueceu-se do pin do telemóvel, não sabe onde guardou as chaves de casa? Se é daquelas pessoas que está constantemente a esquecer-se de tudo, mesmo quando tomou nota de antemão, este artigo é para si. Texto de Ana Patrícia Cardoso | Fotografia de iStock Uma nova pesquisa publicada no jornal Experimental Aging Research sugere uma forma mais eficaz para nos ajudar a lembrar não só dos momentos importantes mas das pequenas coisas do dia-a-dia: fazer desenhos. Desenhar estimula o cérebro de forma diferente da escrita, uma vez que força-o a processar informação visual, [...]

Ser (mais) feliz não é assim tão difícil

Encontrar a felicidade nem sempre é tarefa fácil. O mercúrio retrógrado, o mau tempo, a falta de paciência para o chefe ou os 200 e-mails por ler. Tudo é desculpa para não se sentir bem. No entanto, o site Blinklist decidiu ler vários livros sobre felicidade e retirou os melhores conselhos que encontrou. Texto de Alexandra Pedro | Fotografia ShutterStock Aumenta a produtividade, dá anos de vida e é melhor para a saúde. Estas são algumas das conclusões de vários estudos sobre a felicidade. Na Google, por exemplo, uma equipa de economistas comportamentais identificou uma melhoria de cerca de 12 [...]

Quer ser solidário no Natal? Este é o presente ideal

Deixamos-lhe ainda sugestões de mais cinco livros que pode oferecer ou colocar na sua lista de desejos para este Natal. Texto de Ana Pago | Fotografia ShutterStock Em 2017, foram arrecadados mais de 50 mil euros para o Serviço de Pediatria do IPO Lisboa. No ano passado, mais de 46 mil foram aplicados na nova Unidade de Transplante de Medula, com as obras já em curso. Numa altura em que já se vive a magia do Natal lembramos que a Agenda Solidária IPO 2019 é um excelente presente para... Publicado por IPOLisboa em Terça-feira, 11 de Dezembro de 2018 Eis que [...]

DN Ócio

A Vista Alegre já tem os pratos, agora vai ter os móveis

A empresa centenária de porcelanas juntou-se à Boca do Lobo. Começaram com uma edição limitada e exclusiva, mas a ideia é fazer linhas de mobiliário corrente. Dos serviços reais ao lifestyle: Vista Alegre já não é só loiça Texto de Marina Almeida Começou com um móvel premonitoriamente batizado de «Once Upon a Time». Com este exclusivo bar, revestido a porcelana pintada à mão, e vendido com um serviço de bar em cristal de design exclusivo, a Vista Alegre e a Boca do Lobo deram as mãos pela primeira vez: a história das duas empresas juntas está a começar. «A parceria [...]

Este McLaren é (muito) mais barato que o iPhone XS Max

A marca de automóveis britânica McLaren anunciou esta semana, na sua sede em Woking, o lançamento do smartphone McLaren OnePlus 6T. O telemóvel chega hoje ao mercado e é bem mais barato que o modelo topo de gama da Apple: custa 699 euros. Este modelo surge de uma parceria entre a McLaren e os chineses da OnePlus. Enquanto os britânicos trataram do design e dão credibilidade ao produto, os fabricantes de smartphones trataram de toda a parte tecnológica (clique na imagem no topo do texto e percorra a galeria para ver, ao pormenor, este McLaren OnePlus 6T. No final do [...]

Joias indiscretas para o prazer no feminino

A marca existe há 12 anos, e já está em mais de 40 países. Uma das sócias é portuguesa e a DN Ócio esteve à conversa com ela. Elsa Viegas é uma das fundadoras da Bijoux Indiscrets, marca que já criou um vibrador em forma de diamante. Texto de Patrícia Tadeia Cresceu em Lagos, no seio de uma família conservadora. «A minha avó era catequista. O meu avô sempre me disse que primeiro tinha de estudar e depois logo pensava nos namorados», recorda. Desde pequena que se intrigava com a forma como a sociedade olhava para as mulheres, com a [...]

"Velocidade Furiosa": Volkswagen Jetta está à venda e pode ser seu

São muitas as "bombas" que têm feito os fãs da saga Velocidade Furiosa sonhar ao longo dos anos. No primeiro filme, além dos vários Honda, do Dodge Charger da personagem Dominic Toretto (Vin Diesel) e do Toyota Supra de Brian O"Connor (Paul Walker), houve um modelo da Volkswagen que se destacou: um Jetta branco, de Jesse (Chad Lindberg). Agora, aquele que é provavelmente o Volkswagen Jetta mais famoso do mundo foi colocado à venda pela empresa norte-americana Luxury Auto Collection e pode ser seu por 99 900 dólares (cerca de 88 mil euros). Há três anos, quando foi leiloado pela [...]