Atualidade

Opinião

Armando Mourisco

Cinfães: inspire natureza, expire saúde

Ainda estamos longe do fim destes tempos estranhos e difíceis que vivemos. A pandemia veio mudar a forma como vemos e vivemos o mundo. Temos de nos concentrar na luz ao fundo do túnel e encontrar soluções. Vacinados os mais frágeis - idosos e doentes crónicos -, apoiadas as famílias, instituições e empresas, concentremos as nossas atenções no turismo, fundamental para o desenvolvimento de qualquer região, e da minha em particular. Até porque é, também, assim que estimulamos aqueles que vivem em Cinfães a manter-se por cá e atraímos outros a mudar-se. O plano estratégico para Cinfães tem vindo a ser trilhado de forma sustentada, investindo num conjunto de infraestruturas que sejam atrativas para o público externo, com recurso ao capital da própria autarquia e com o apoio dos quadros comunitários. O interior do país não pode só reclamar investimento público e privado (que o deve fazer), tem, também, de criar condições para tornar o território mais apetecível.

Armando Mourisco

Henrique Burnay

A Europa não entende nem se entende

Joe Biden passou a semana passada a procurar relançar a aliança ocidental. Começou por visitar o Reino Unido, reuniu-se com os sete grandes da economia e da democracia global, com os aliados militares da NATO, e depois com a União Europeia. E então, sim, com Putin, que tratou como um líder de uma potência. O que, ambos sabem, a Rússia já não é. Pelo menos como já foi. Mas num cenário em que a maior preocupação dos americanos é a China, controlar os russos, mantendo-os satisfeitos pela relevância e dentro de limites aceitáveis, ou pelo menos previsíveis, pode ser o melhor possível para uns e outros.

Henrique Burnay

Mais atualidade

Joana Amaral Dias

Grande penalidade

Hoje é dia de futebol, e aqui estamos todos unidos em torno do futebol, e, portanto, eu não vou agora estar a falar de outros temas, porque é desconcentrar o fundamental. Temos de estar focados, e estamos todos focados: o senhor primeiro-ministro, o senhor presidente da Assembleia da República, eu próprio, o senhor presidente [da Federação Portuguesa de Futebol] Fernando Gomes, os portugueses todos", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa. Vai daí, até porque me senti especialmente visada no "portugueses todos", decidi atentar no futebol, não desconcentrar e estar focada. Mais tarde, António Costa reforçou este estratégico apelo nacional: "Ontem, o senhor Presidente pôde vibrar no estádio com a selecção de Portugal, eu pude vibrar através da televisão. No próximo sábado, trocaremos de posições. Eu irei sofrer em Munique, no jogo com a Alemanha, e espero que o Presidente festeje através da televisão os resultados de Portugal em Munique. Mas total sintonia, até em torno da selecção."

Joana Amaral Dias

Sebastião Bugalho

Os senhores decidam-se

1.º Apesar de não usufruírem da excitação oferecida a André Ventura, os restantes partidos recém-eleitos enfrentam desafios igualmente pertinentes. Veja-se a nova porta-voz do PAN, Inês Sousa Real, a anunciar a vontade de integrar um executivo, contrariando abertamente a mensagem de despedida do seu antecessor, que olha para o partido como uma força somente parlamentar, e não governativa. Encare-se com bonomia o idealismo bacoco que saiu desse congresso, propondo sair da NATO, sabe Deus para onde, e na semana seguinte atacar ferozmente a Federação Russa e a Câmara de Lisboa pelo caso que envolveu ambas. Quem combate mais Putin do que a NATO? Bifes de seitan?

Daniel Deusdado

Lisboa prova o fracasso do Ministério da Saúde

Não é possível continuar-se nesta pandemia com uma atitude contemplativa, moralista e sempre atrás do prejuízo. A responsabilidade é obviamente do Governo, mas - dentro deste - da ausência de peso político e eficácia da ministra da Saúde e da sua equipa. Lisboa prova de novo a total incapacidade de se agir depressa desde o momento 1 de crises evidentes, e de se usarem outros métodos, que não os do costume - bloquear a capital ou o país. Como se não houvesse nada para aprender com a primeira, segunda ou terceira vaga. Tudo isto com a tranquilidade burocrática de quem não paga a conta.

Daniel Deusdado

Zhao Bentang

Como o Partido Comunista da China Chegou ao Poder e os Valores por detrás da sua Governação Duradoura

Desde que assumi o cargo de Embaixador da China em Portugal há três meses, tenho realizado audiências com vários governantes, representantes de partidos políticos e deputados, entre outros amigos portugueses de diferentes setores da sociedade. Nessas atividades, todas as personalidades portuguesas com quem falei acharam importante desenvolver as relações com a China e manifestaram o desejo em aprofundar ainda mais a cooperação que é de benefício mútuo, nas mais diversas áreas. Isto é algo que me dá satisfação. Muitos amigos querem conhecer melhor a China, especialmente querem saber mais sobre o Partido Comunista da China. Isso é realmente muito importante, pois, para entender melhor o desenvolvimento da China, tem que conhecer melhor o protagonista na revolução, na construção e na reforma da China -- o Partido Comunista da China (o PCC).

Zhao Bentang

Sociedade

Panorâmico  de Monsanto. A arte urbana ganhou uma casa e Lisboa agradece

A arte urbana ganhou uma casa e Lisboa agradece

O Panorâmico de Monsanto nasceu em 1968 como restaurante, instalado no coração do Parque Florestal e com uma vista de sonho para a cidade de Lisboa. Um espaço de luxo, com cinco pisos, preparado para receber grandes eventos, mas que praticamente desde o início foi sofrendo de problemas estruturais na cozinha, que levaram a que só fosse abrindo as portas de tempos a tempos para a realização de algumas festas e banquetes (só funcionou em contínuo como restaurante durante dois anos, entre 1984 e 1985).

Evasões