Destaques

Atualidade

Opinião

DN+ O Estado e a família

Lembro-me da primeira vez que me disseram que eu não defendia os valores da família, que os relativizava no meu liberalismo. Lembro-me do dia, do sol que nos cegava. Lembro-me da roupa que vestia, calças verdes e uma T-shirt estupidamente larga, alaranjada. Lembro-me de quem o disse, do dedo espetado, acusador. Lembro-me dos aplausos, do coro. Lembro-me disso tudo e por isso tudo me lembro de ter procurado um sítio para ficar sem que ninguém me visse, sem reagir.

Adolfo Mesquita Nunes

DN+ A todo o gás

Na ressaca de Helsínquia, bloqueámos o debate na esmagadora capacidade nuclear conjunta, na intromissão russa nas eleições americanas, na crença de Trump na palavra de Putin e no desprezo que tem sobre as instituições americanas. Tudo isto fez sentido na análise e chocou meio mundo, de tal forma que o presidente americano, quando regressou a Washington, foi obrigado à triste figura de desdizer parte do que tinha afirmado na cimeira. Não custa imaginar as garrafas de vodca que se abriram no Kremlin ao som das gargalhadas.

Bernardo Pires de Lima

Mundo

Edição do dia

DN+ Meninos, decoro

Há coisas que não se entendem. Só há poucos meses, imagine-se, é que França decidiu declarar Sade tesouro nacional. Nas vésperas de ir à praça o manuscrito original de Os Cento e Vinte Dias de Sodoma ou Escola da Libertinagem, avidamente disputado por tarados do mundo inteiro, o Estado francês classificou e impediu a venda do mítico rolo de papel de doze metros de comprimento em que Donatien Alphonse François de Sade, preso nas masmorras da Bastilha em 1785, deu vazão às suas pulsões mais íntimas, escritas numa caligrafia minúscula, quase imperceptível. Doravante, o libidinoso papiro terá muitas dificuldades em sair do país, à semelhança de outro clássico da luxúria, as memórias de Casanova, que a Biblioteca Nacional de França adquiriu em 2010 pela bonita soma de sete milhões de euros. Calcula-se que, leiloados, Os Cento e Vinte Dias de Sodoma iriam atingir um valor superior, de oito ou mais milhões, o que não está nada mal para uma obra escrita de jacto, em trinta e sete dias, por um artista que passou quase trinta anos da sua vida encravado em penitenciárias húmidas e asilos de loucos. Já em 2014 o Presidente Hollande, outro melro, tentara comprá-la para a República, acabando por desistir com receio de críticas moralistas a uma aquisição milionária feita em tempos de austeridade. Segundo se diz, os coleccionadores mais interessados no sádico libelo são norte-americanos, o que se compreende num país presidido por Donald J. Trump, e turcos, o que também não admira se tivermos presente que o grotesco L"origine du monde foi pintado por Courbet a encomenda de um diplomata turco otomano, que teve de se livrar dele para pagar dívidas de jogo; o óleo pornográfico, como se sabe, andou em bolandas até ir parar à casa de campo de Lacan, que o teve pudicamente escondido dos olhares do mundo até que, por sua morte, a família o doou ao Estado francês para pagar os direitos sucessórios do histórico psicanalista. Está hoje no Musée d"Orsay, à vista de todos.

DN Life

Evasões 360

S.J. da Madeira: Abriu uma nova mercearia com tudo biológico

Paula Silva e a filha, Francisca Pereira acreditam que «juntos podemos mudar o mundo», e essa foi uma das razões que as levou a abrir uma casa onde só entram produtos biológicos. Pelas prateleiras encontra-se desde os cremes de barrar e frutos secos da +Cru a queijos veganos da Violife, ainda um cantinho com leguminosas, grãos e cereais a granel, e, mais adiante, há também uma área dedicada aos cosméticos orgânicos. Apesar de 90 por cento das marcas serem importadas, o objetivo é «promover produtos de qualidade e se possível ajudar novos projetos locais e nacionais». Caso do pão biológico […]

Receita de pescada com ervilhas e papada curada

Pescada com ervilhas e papada curada 24 meses (4 pessoas) 600 g Pescada limpa 15 g Papada ibérica curada 24 meses 100 g Manteiga 100 g Natas 1 Saqueta de chá verde 100 g Arroz agulha 120 g Ervilhas 15 g Chalotas 50 g Coentros 30 g Miolo de pão 30 g Salsa 20 g Queijo parmesão 2 folhas Hortelã-pimenta Azeite q.b. Sal q.b. Caldo de galinha Molho de chá verde: Ferver as natas, retirar do lume, juntar o chá e a hortelã, tapando com película aderente durante 20 minutos. De seguida coar, triturar com a varinha mágica e temperar […]

Estas são as novas francesinhas do Porto

Com o aumento de restaurantes e cafetarias na cidade, diversificaram-se as receitas de francesinha. Vegetarianas, com bacalhau, com alheira e outras: a criatividade para reinventar a famosa sanduíche parece não ter limites. Nunca a francesinha se apresentou de tantas formas e feitios. Eis algumas das criações mais recentes na cidade do Porto, que pode conhecer clicando na fotogaleria. Leia também: Porto: Novo tasco da Baixa serve francesinhas mini Porto: 10 ideias para aproveitar o fim de semana ao ar livre Há uma hamburgueria minhota no Porto

Durante o verão há cinema ao ar livre no Grande Porto

Em agosto, as praças, jardins e outros espaços públicos do Porto vão ser invadidos por sessões de cinema ao ar livre. O sol poente de verão acompanha o início das projeções e é até mote para as festas musicais que, já a partir de 24 de julho, fazem também parte do programa de uma outra iniciativa, o Cine NOS. Já na Maia, é na relva que se assiste às longas-metragens, e no concelho de Santa Maria da Feira são três as freguesias que vão acolher a exibição de filmes de ação, aventura e até musicais, bem recentes. Deixe-se cair a […]