Leonídio Paulo Ferreira

Seis milhões não conseguiram fugir

Visitei uma vez Auschwitz e sinceramente não penso voltar, a não ser talvez para um dia mostrar o mais célebre dos campos de extermínio nazi aos meus filhos, para perceberem como o mal absoluto existe. Foi um murro no estômago desde o primeiro momento essa visita, bastou-me atravessar o portão que em alemão diz que "o trabalho liberta". Entrei numa câmara de gás mas nem de perto se consegue imaginar o horror dos judeus que ali foram assassinados. O mais impactante para mim, porém, foram as roupas de bebé expostas em vitrinas, testemunho de que famílias inteiras foram exterminadas. Que hoje, 27 de janeiro, seja o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto faz, pois, todo o sentido. Afinal, foi a 27 de janeiro de 1945 que os soldados soviéticos libertaram o campo, encontrando alguns sobreviventes que pareciam esqueletos. Um dia, o filho de uma sobrevivente de Auschwitz contou-me que a mãe só muito, muito velhinha lhe contou que tinha sido ali prisioneira e que o primeiro marido e um outro filho tinham lá morrido. A senhora, judia sérvia, nunca antes sentira coragem para falar do horror a que assistira.

Opinião

Jorge Conde

A necessidade de repensar o regime político

O país político tem vivido no meio de uma grande tempestade, com uma sucessão de casos a colocar em causa membros do governo, deputados, presidentes de câmara e líderes partidários, quase todos dos partidos do arco do poder. Sejam ou não verdade, tenham ou não valor, o simples facto de a comunicação social os noticiar mantém a agitação política. As redes sociais sopram as notícias, acrescentando-as e aumentando a desconfiança no cidadão comum.

Jorge Conde

Mais atualidade

Mais Opinião

Pedro Alvito

"Não precisa explicar"

Talvez o maior mérito que teve o governo de Cavaco Silva, na década de 80 do século passado, foi o ter conseguido baixar a taxa de inflação louca que se vivia em 1984 em Portugal de perto de 30% para um valor abaixo dos 10% em 1988. E fê-lo seguindo uma teoria já posta em prática por Margaret Thatcher no governo de Inglaterra, mas que ninguém ainda tinha comprovado na prática a sua eficácia e que dá pelo nome de gestão de expectativas. É evidente que muitos dirão que houve outros fatores que ajudaram e que a relação entre uma coisa e a outra é dificilmente comprovável, mas o facto é que conseguiu.

Pedro Alvito

Patrick Siegler-Lathrop

O drama do teto da dívida dos EUA

O Tesouro dos Estados Unidos é responsável por administrar as finanças do Governo Federal, emite e gere a dívida do governo. Quando o Governo Federal gasta mais do que arrecada, o Tesouro tem que aumentar a dívida pública. A dívida dos EUA aumentou em todas as presidências desde Herbert Hoover (1929-1933). O déficit do governo (a diferença entre receitas e despesas) atingiu 1,38 biliões de USdólares no ano fiscal de 2022 (cerca de 4% do PIB) e continua a aumentar em 2023.

Patrick Siegler-Lathrop

Artur Miler

A Saúde em 2023

O ano de 2023 vai colocar novos desafios no âmbito da Saúde, tendo por base problemas antigos aliados a novos paradigmas decorrentes de uma reforma fulcral na qual o Governo deposita enormes esperanças de transformação no país: a descentralização de competências do estado central para os municípios. As competências que passam da Administração Central para a Administração Local visam essencialmente o planeamento e a manutenção do edificado, como já foi diversas vezes aflorado durante este processo, sendo sempre de realçar a justa reivindicação dos autarcas relativamente a um envelope financeiro que não se coaduna com as novas responsabilidades assumidas.

Artur Miler

José Pedro Gomes

Notícias que fazem bem

Crises, casos, casinhos, demissões, investigações, buscas, comentários presidenciais e questionários à consciência. Neste artigo, não falarei sobre isso. Não ignoro, até porque é impossível. Não julgo, até porque não quero ser justiceiro. Não falo, mas peço (pedimos todos) menos desleixo, mais respeito, humildade, franqueza e foco na Política que interessa a todos, ou seja, políticas públicas que tenham como fundamento a garantia dos 3 E"S: equidade, eficiência e estabilidade.

José Pedro Gomes

Fórum da Sustentabilidade e Sociedade

Podcasts DN

Tech & Café

João Sousa Guedes, o líder da empresa que já ajudou a levar net a 50 milhões de casas

Ao 16.º episódio o Tech & Café recebe João Sousa Guedes, CEO e fundador da Weezie, empresa portuguesa criadora de software que possibilita a instalação de redes de fibra ótica forma muito mais eficiente. Sedida no Porto, todos os seus clientes são estrangeiros -- e já ajudou a instalar internet em mais de 50 milhões de lares. O próximo passo, os EUA... e o futuro das comunicações. Uma conversa com Filipe Gil e Ricardo Simões Ferreira.

Tech & Café

Tech & Café 15. Reviews e mais reviews. O novo Google Nest, o tradutor Vasco V4 e mais

O 15.º episódio do Tech & Café é mesmo dedicado à tecnologia. Experimentámos o router da Google Nest Pro, o tradutor universal Vasco que vai na versão 4 (e está muito melhor) e o novo relógio para desporto vindo da China que pode ser uma alternativa ao Garmin. E ainda falamos de quem venceu a WebSummit. Como sempre, uma conversa entre Filipe Gil e Ricardo Simões Ferreira, desta vez gravada à distância.

Evasões

Notícias Magazine