Atualidade

Opinião

Sebastião Bugalho

Breve história de seis delírios 

1 - Há exatamente uma semana, a porta-voz e número 2 do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China, a senhora Hua Chunying, publicou dois mapas com a seguinte legenda na sua conta oficial: "Há 38 restaurantes de dumplings e 67 restaurantes de noodles em Taipé. O palato não engana. Taiwan foi sempre parte da China. O filho perdido regressará a casa". Num involuntário e bem-vindo acesso de humor, a diplomacia chinesa recebeu resposta da comunidade internacional. "Cuidado Little Italy", foi uma delas. "Pode usar o Google Maps em Taiwan, na China é que não", foi outra. A imagem dos milhares de restaurantes indianos pelo território chinês e uma piscadela de olho a Narandra Modi, outra. Mas a minha preferida, o leitor que me perdoe o ocidentalismo, foi a imagem dos mais de 8 mil estabelecimentos da icónica Kentucky Fried Chicken (KFC) na China - a maior cadeia de fast-food no país - como prova de que o palato é mau conselheiro em geopolítica.

Sebastião Bugalho

Ahmad Warraich

O Paquistão celebra o 75.º aniversário da independência

Hoje, dia 14 de agosto de 2022, comemoramos o 75.º aniversário da independência do Paquistão. O nosso pai fundador, Quaid-e-Azam Muhammad Ali Jinnah, imaginou um Paquistão democrático, tolerante e progressista. Um país onde todos os cidadãos tivessem liberdade para moldar as suas vidas de acordo com as suas crenças e valores culturais, sociais e religiosos. Um país com governação baseada no Estado de direito, no constitucionalismo, nos direitos humanos e nos princípios democráticos. Um país oferecendo oportunidades iguais para todos os cidadãos beneficiarem do progresso socioeconómico e tirarem o máximo partido dos seus talentos e competências numa política livre de injustiça e de opressão.

Ahmad Warraich

Mais atualidade

Mais Opinião

Viriato Soromenho Marques

Uma frivolidade perigosa

Hoje, o peso de um mundo comum cada vez mais caótico rouba-nos a tranquilidade. É quando a nossa segurança pessoal parece esmagada por sombrias expectativas, erguendo-se como provável futuro coletivo, que mais necessitamos de um santuário onde possamos recuperar o equilíbrio e habitar na singularidade dos nossos corpos. Partilho com os leitores o bem que recebi de alguns dias de deambulação pelas praias que vão da foz do rio Ave, em Vila do Conde (onde é possível visitar a Casa-Museu José Régio), até à multitude de praias que da Póvoa de Varzim se estendem para Norte. Já em 1876, no seu delicioso livro, As Praias de Portugal-Guia do Banhista, Ramalho Ortigão dedicava uma particular atenção à vida balnear desta cidade. Segundo ele, em agosto e setembro, a Póvoa transformava-se numa enorme e cosmopolita "estalagem" onde se "albergam os romeiros" de todos as origens e estratos, incluindo o "poderoso comendador brasileiro, de camisa de bretanha anilada como um retalho de céu pregado no peito com um brilhante". Nos dias que por lá passei, as brumas só se dissipavam pela tarde, conferindo uma proteção contra o calor excessivo e a maldição dos incêndios rurais, oferecendo ainda o benefício da maresia e do iodo, e o prazer de um banho de mar em águas energéticas, e menos frias do que muitas vezes os viajantes do Sul imaginam.

Viriato Soromenho-Marques

Chen Xiaoling

Factos e verdades sobre a visita de Nancy Pelosi

A despeito da forte oposição e sérias advertências pela parte chinesa, a Presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, visitou a região de Taiwan da China, enviando um sinal muito errado às forças secessionistas da "Independência de Taiwan". A visita foi uma farsa política malfeita, também foi uma provocação deliberada e perigosa. As contramedidas subsequentemente tomadas pela parte chinesa, a fim de salvaguardar a sua soberania e a integridade territorial são necessárias, justas, razoáveis e legais.

Chen Xiaoling

Evasões

Notícias Magazine