Atualidade

Opinião

Miguel Romão

Os católicos que paguem a crise

Confesso alguma inexperiência em matéria de eventos. Ou seja, dito de outra forma, comparando, tenho bastante mais experiência de ser contribuinte fiscal do que organizador ou até frequentador de grandes eventos de massas. Admito que estar numa massa de pessoas, milhares e milhares à nossa volta, a olhar para um homem, possa ser uma experiência transcendental. Que cause desmaios e transes místicos. Que seja do âmbito do sobrenatural. E que isso justifique a criação de condições absolutamente excecionais para a visita de um chefe de Estado estrangeiro e também chefe religioso. Mas, não sei porquê, custa-me a compreender como pode o presidente da Câmara Municipal de Lisboa apresentar como grande conquista sua a redução do preço de um palco, de 18 milhões de euros para mais de 4 milhões. E, claro, obra sem concorrência ou alternativa, já que adjudicada por ajuste direto, que o Papa também é só um e a Santa Igreja Romana Católica Apostólica uma, una que é, como a infalível Mota-Engil seguramente.

Miguel Romão

Raúl M. Braga Pires

Drones israelitas em Marrocos

O site marroquino maghreb-intelligence, deu nota esta semana de "um vento de pânico em Argel", aquando da realização da última reunião de trabalho do Alto Conselho de Segurança de 18 de Janeiro. Porquê? Porque, de acordo com o referido site, o relatório de informações apresentado ao presidente Tebboune, refere a vontade marroquina em picotar a longa fronteira leste com a vizinha Argélia com os drones recentemente adquiridos a Israel, a partir de Fevereiro. Há notícias da compra recente de 150 destes zangões (a tradução correcta de drone para português) e também de um acordo com empresas de defesa israelitas, para a instalação de duas unidades de produção em Marrocos, o que fará do Reino Cherifiano o primeiro país africano a produzir este tipo de tecnologia de ponta.

Raúl M. Braga Pires

Victor Ângelo

Apoiar a legítima defesa da Ucrânia é o melhor caminho para a paz

A decisão de Olaf Scholz relativa aos tanques Leopard 2 marca um ponto de viragem na guerra de Vladimir Putin. Foi uma decisão difícil, sobretudo porque os serviços secretos alemães lhe diziam que Moscovo considerava a questão como uma linha vermelha especialmente relevante, que implicaria uma reação significativa. Para reforçar o argumento, Scholz era avisado que o círculo do poder russo enfatizava a possibilidade de utilização do seu vasto armamento nuclear.

Victor Ângelo

Mais atualidade

Mais Opinião

Glória Rebelo

A inflação dos bens alimentares: o recente alerta da OIT

Presenciando diversos escândalos políticos, mas também financeiros, em particular no setor bancário e no setor da aviação, a maioria dos portugueses enfrenta hoje significativas dificuldades financeiras desencadeadas pela persistente inflação, em particular ao nível do preço dos bens alimentares. De acordo com a OCDE, os preços dos alimentos aceleraram em 33 países-membros, tendo a inflação atingido o nível mais alto desde maio de 1974. Em Portugal a inflação média em 2022 ficou em 7,8%, sendo que o nosso país é um dos países da União Europeia em que a inflação dos bens alimentares está mais acima da taxa de inflação geral.

Glória Rebelo

Carlos Pereira

A bitola que liga Portugal à Europa

O que está previsto na ferrovia portuguesa vai levar tempo a impactar a sociedade portuguesa, mas a trajetória que Pedro Nuno Santos desenhou não voltará para trás. Após a crise do subprime, no já longínquo 2016, o país constatou que o desinvestimento nos caminhos de ferro tinha superado as expectativas mais pessimistas. Em comparação com o investimento na rodovia, que colocou Portugal na linha da frente dos países europeus nesta matéria, a ferrovia foi praticamente abandonada pelos governos, colocando o país na cauda da Europa, com graves consequências para a mobilidade dos cidadãos, para o combate às alterações climáticas, mas também para a economia portuguesa, seja na perspetiva da indústria, seja no transporte de mercadorias. Hoje as expectativas são muito diferentes.

Carlos Pereira

Pedro Alvito

"Não precisa explicar"

Talvez o maior mérito que teve o governo de Cavaco Silva, na década de 80 do século passado, foi o ter conseguido baixar a taxa de inflação louca que se vivia em 1984 em Portugal de perto de 30% para um valor abaixo dos 10% em 1988. E fê-lo seguindo uma teoria já posta em prática por Margaret Thatcher no governo de Inglaterra, mas que ninguém ainda tinha comprovado na prática a sua eficácia e que dá pelo nome de gestão de expectativas. É evidente que muitos dirão que houve outros fatores que ajudaram e que a relação entre uma coisa e a outra é dificilmente comprovável, mas o facto é que conseguiu.

Pedro Alvito

Seis milhões não conseguiram fugir

Visitei uma vez Auschwitz e sinceramente não penso voltar, a não ser talvez para um dia mostrar o mais célebre dos campos de extermínio nazi aos meus filhos, para perceberem como o mal absoluto existe. Foi um murro no estômago desde o primeiro momento essa visita, bastou-me atravessar o portão que em alemão diz que "o trabalho liberta". Entrei numa câmara de gás mas nem de perto se consegue imaginar o horror dos judeus que ali foram assassinados. O mais impactante para mim, porém, foram as roupas de bebé expostas em vitrinas, testemunho de que famílias inteiras foram exterminadas. Que hoje, 27 de janeiro, seja o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto faz, pois, todo o sentido. Afinal, foi a 27 de janeiro de 1945 que os soldados soviéticos libertaram o campo, encontrando alguns sobreviventes que pareciam esqueletos. Um dia, o filho de uma sobrevivente de Auschwitz contou-me que a mãe só muito, muito velhinha lhe contou que tinha sido ali prisioneira e que o primeiro marido e um outro filho tinham lá morrido. A senhora, judia sérvia, nunca antes sentira coragem para falar do horror a que assistira.

Fórum da Sustentabilidade e Sociedade

Podcasts DN

Tech & Café

João Sousa Guedes, o líder da empresa que já ajudou a levar net a 50 milhões de casas

Ao 16.º episódio o Tech & Café recebe João Sousa Guedes, CEO e fundador da Weezie, empresa portuguesa criadora de software que possibilita a instalação de redes de fibra ótica forma muito mais eficiente. Sedida no Porto, todos os seus clientes são estrangeiros -- e já ajudou a instalar internet em mais de 50 milhões de lares. O próximo passo, os EUA... e o futuro das comunicações. Uma conversa com Filipe Gil e Ricardo Simões Ferreira.

Tech & Café

Tech & Café 15. Reviews e mais reviews. O novo Google Nest, o tradutor Vasco V4 e mais

O 15.º episódio do Tech & Café é mesmo dedicado à tecnologia. Experimentámos o router da Google Nest Pro, o tradutor universal Vasco que vai na versão 4 (e está muito melhor) e o novo relógio para desporto vindo da China que pode ser uma alternativa ao Garmin. E ainda falamos de quem venceu a WebSummit. Como sempre, uma conversa entre Filipe Gil e Ricardo Simões Ferreira, desta vez gravada à distância.

Evasões

Notícias Magazine