Opinião

Anselmo Borges

A criação, a ressurreição, o mal e Deus

Passados dez anos sobre um aviso -- na prática, para a opinião pública, a condenação de Andrés Torres Queiruga, pelo episcopado espanhol --, vem ele, numa entrevista à Vida Nueva, esclarecer que a sua teologia quis ser sempre "um serviço livre ao Evangelho" e que, com o Papa Francisco, aparece, felizmente, cada vez mais como "legítima uma crítica sã e livre na Igreja". Retomo o que então escrevi sobre quem considero -- e não sou o único -- um dos maiores teólogos católicos vivos. Para mim, A. Torres Queiruga foi e é o teólogo que, de modo mais profundo e conseguido, enfrentou o cristianismo com a modernidade e a modernidade com os cristianismo. Deixo aqui três aspectos que considero nucleares do seu pensamento.

Anselmo Borges

Viriato Soromenho Marques

Luzes no caminho

Não é só em Portugal que a vida política se parece transformar cada vez mais num reality show, pela mediocridade dos argumentos e protagonistas. O contraste abissal entre a gravidade das questões que ameaçam o nosso presente-futuro (na paz e na guerra, no ambiente, clima, segurança alimentar, emergência de tecnologias fora de controlo...) e a vacuidade do registo de divertissment em que decorre grande parte da trama política, é confirmada pela assimetria profunda entre o poder aparente do palco político e o poder real - opaco, blindado e planetário -- do complexo económico-financeiro, que destapa o seu véu em raros momentos, como é o caso dos Encontros de Davos.

Viriato Soromenho-Marques

Ana Raimundo

Boas notícias no Dia Mundial do Cancro

O Dia Mundial do Cancro assinala-se anualmente a 4 de fevereiro, sendo uma data importante para sensibilizar para a prevenção e informar sobre as novidades na área do diagnóstico e tratamento do cancro que cada vez trazem mais eficácia. São boas notícias. É uma das doenças com maior incidência e mortalidade na população europeia, motivo pelo qual a Comissão Europeia lançou o Plano Europeu de Luta contra o Cancro, com um grande investimento financeiro e de recursos humanos, com base em quatro pilares: prevenção, diagnóstico precoce, tratamento e cuidados continuados. Dado este contexto, assim como a evolução na medicina de precisão a que se tem assistido nos últimos anos, há razões para ter esperança na luta contra esta doença.

Ana Raimundo

Mais atualidade

Mais Opinião

Raúl M. Braga Pires

POLISARIO – Um Congresso baunilha!

Janeiro fica marcado pela realização do 16.º Congresso da Frente POLISARIO. Previsto para dezembro, o adiamento adensou a especulação sobre as divisões internas, que nem para fixar uma data se entendiam, que iria ter um ambiente de cortar à faca, que assim e que assado! Duas frentes concentraram as tensões, pela primeira vez, indicando que a não pulverização de listas queria forçar um voto útil, contra a actual liderança, de Brahim Ghali. O "lado B", encabeçado por Mustapha Bachir Sayed, também conhecido por "Senhor Europa", pelo malabarismo de contactos com que joga internacionalmente.

Raul M. Braga Pires

Victor Ângelo

A paz na Ucrânia: uma pergunta à espera de resposta

À medida que nos aproximamos da data que marca um ano de guerra contra a Ucrânia surge mais recorrentemente a pergunta sobre a possibilidade de uma mediação que ponha fim a esta agressão russa, injusta e inexplicável. Durante a semana foi mesmo levantada a hipótese de se ver Benjamin Netanyahu como mediador. Por muito que se queira parar a loucura bélica e incendiária de Putin, poderá parecer impensável solicitar a alguém como Netanyahu que desempenhe aí o papel de bombeiro de serviço. É verdade que a paz tem um preço elevado e que devemos estar prontos para esse investimento. A paz, numa base justa, é uma prioridade absoluta, mas não pode ser obtida a qualquer custo nem dando credibilidade a quem a não tem. Também não creio que Netanyahu possa ser aceite pelas partes. Ele bem gostaria, para tentar fazer esquecer o problema cada vez mais insolúvel que existe entre Israel e a Palestina.

Victor Ângelo

Fórum da Sustentabilidade e Sociedade

Podcasts DN

Tech & Café

João Sousa Guedes, o líder da empresa que já ajudou a levar net a 50 milhões de casas

Ao 16.º episódio o Tech & Café recebe João Sousa Guedes, CEO e fundador da Weezie, empresa portuguesa criadora de software que possibilita a instalação de redes de fibra ótica forma muito mais eficiente. Sedida no Porto, todos os seus clientes são estrangeiros -- e já ajudou a instalar internet em mais de 50 milhões de lares. O próximo passo, os EUA... e o futuro das comunicações. Uma conversa com Filipe Gil e Ricardo Simões Ferreira.

Evasões