Atualidade

Mundial 2022

Opinião

António Araújo

O Grande Nada

Chamam-lhe o Grande Nada, ou Vazio Infinito. Com a sua área de 9 065 000 km², ocupa uma extensão de terra quase tão grande como a da Europa ou a da América, maior do que a do Brasil ou a da Austrália. Se alguém fizer o trajecto de Boston a São Diego, ou de Paris aos Urais, bem pelo interior da Rússia, não atingirá distância equivalente à do Deserto do Saara, uma imensidão recortada a norte pelas cordilheiras do Atlas, que os antigos julgavam suster o próprio firmamento, e prolongada a sul pelo Sahel, até se confundir com a velha Terra dos Negros, Bilad-as-Sudan, em que as savanas vão cedendo o passo ao verdor dos trópicos e suas florestas. Mas, em rigor, não se sabe ao certo onde começa e acaba o Saara, que um viajante descreveu, lucidamente, como o lugar do mundo onde a insignificância humana é mais visível e palpável, quase caricata.

António Araújo

Sebastião Bugalho

E se Marcelo renunciasse?

Depois da segunda semana horribilis em menos de dois meses, o Presidente da República foi ontem obrigado a garantir que pretende levar o mandato até ao fim ("Não, não estou cansado da Presidência") e permanecer no cargo até 2026. Na véspera, a jornalista Ângela Silva assinava uma análise no Expresso onde dava conta da coincidência que é o maior período de desgaste de Marcelo Rebelo de Sousa enquanto Presidente dar-se na aproximação do seu sétimo aniversário em funções, sendo que o próprio já defendeu mais do que uma vez que a Presidência deveria ser exercida por um mandato único de sete anos.

Sebastião Bugalho

José Mendes

A Ucrânia à espera do fim do Mundial

O Mundial de Futebol é sempre um parêntesis na vida dos aficionados, que são mesmo muitos. Em todo o mundo, as pessoas reservam uma parte do seu tempo e da sua atenção para dedicar aos jogos e deliciar-se com as surpresas. É um daqueles períodos em que, pontualmente, as lógicas do poder e do talento se baralham. O Irão que bate os europeus de Gales, a Alemanha que ajoelha perante o Japão ou a Croácia que não passou do nulo com Marrocos. É lindo.

José Mendes

Daniel Deusdado

Comboios e aeroporto: quanto, quando, como?

Um bilhete do Alfa entre Porto e Lisboa custa 31,90 euros em segunda classe e 44,60 em primeira. Um bilhete na TAP entre as duas cidades custa 44,64 (se comprado com alguma antecedência). Não é coincidência que os custos sejam tão parecidos, mas o que faz toda a diferença é perceber-se que o bilhete da CP tem por dentro apenas 6% de IVA, enquanto a TAP cobra apenas 10 euros pela viagem e tem de adicionar 34,64 de impostos. Ou seja, é quase inacreditável que a viagem mais barata, livre de impostos, entre as duas cidades, seja de avião - mais barata até que o autocarro.

Daniel Deusdado

Mais atualidade

Mais Opinião

Viriato Soromenho Marques

Vosso futuro, nosso inferno

Muitas opiniões ventiladas na nossa esfera pública, a propósito da luta estudantil contra a devastação ambiental e climática, surpreenderam-me. Não apenas pela gritante ausência de escolaridade sobre os temas em debate, mas pelo atrevimento de transformar a pobreza reflexiva num ato de iliteracia voluntária. Os jovens ativistas de hoje bem podem identificar-se com o Paul Nizan, de Aden Arabie (1931): "Tinha 20 anos. Não deixarei ninguém dizer que é a mais bela idade da vida."

Viriato Soromenho-Marques

Evasões

Notícias Magazine