Atualidade

Opinião

José Ribeiro e Castro

Requiem pelo século XXI

O arrastamento da guerra é inquietante. Augura o pior. Qualquer guerra em desenvolvimento contém o risco de explodir para o indizível. E a arrogância bélica do Kremlin põe a Europa e o mundo diante de enorme perigo. Não podemos diminuir a gravidade de invadir um vizinho, atacado e bombardeado com crueldade. Nem podemos ignorar as vezes em que insinuou a ameaça nuclear, por trás da qual julga proteger-se, e fez ameaças directas a Suécia e Finlândia, membros da União Europeia.

José Ribeiro e Castro

Mirko Stefanovic

Cimeira europeia em Bruxelas

A última Cimeira Europeia em Bruxelas, que incluiu líderes dos países dos Balcãs Ocidentais, foi uma das reuniões mais dominadas pela política na história recente. A Ucrânia e a Moldávia obtiveram o estatuto de candidatos à adesão à União Europeia, o que foi um sinal muito importante do apoio que a UE está a dar à Ucrânia na sua guerra com a Rússia. Também é um sinal de que a UE está a voltar a sua atenção para a região das ex-repúblicas da URSS, o que pode ser um sinal bastante forte para os líderes russos durante a atual crise.

Mirko Stefanovic

Mais atualidade

Mais Opinião

Carlos Rosa

O cérebro informático tem, ou não, lado direito?

Abolition of Man é a primeira banda desenhada criada com recurso à inteligência artificial e parece ser o prenúncio de que as profissões ligadas às artes visuais estão a caminhar para o abismo. Por exemplo, a ilustração que vêm ali em baixo na página, daqui por uns tempos será criada por um ser mecânico, 100% digital e inteiramente racional. Ou seja, uma máquina inteligente que tem o lado esquerdo do seu cérebro de tal forma expandido e desenvolvido que abdicou da sua parte direita, a parte da criatividade, da emoção e da subjetividade. É caso para dizer que a intuição e a imaginação foram, ou estão a caminhar, para o seu fim.

Carlos Rosa

Virginijus Sinkevičius

Os esforços necessários para melhorar a governação internacional dos oceanos

A primeira Conferência das Nações Unidas sobre os Oceanos teve lugar em Nova Iorque há cinco anos e foi um importante passo em frente para lançar o debate sobre esta matéria. Colocou em evidência o mau estado dos oceanos e tentou consciencializar o mundo sobre o impacto das atividades humanas nesta degradação. Durante essa conferência, a comunidade internacional comprometeu-se a tomar medidas decisivas para que os oceanos sejam limpos, saudáveis, produtivos e resilientes, o mais tardar até 2030.

Virginijus Sinkevicius

Jorge Costa Oliveira

O futuro da RAE de Hong Kong e da GBA

No passado dia 9 de Junho, a Câmara de Comércio e Indústria Portugal-Hong Kong e duas outras associações de Hong Kong organizaram em Lisboa um seminário alusivo aos 25 anos da Região Administrativa Especial (RAE) de Hong Kong e o seu futuro, incidindo, no seu devir próximo, no facto de ser uma das cidades-charneira da Área da Grande Baía (GBA, na sigla inglesa). A GBA é uma das principais megalópoles que o governo chinês está a criar e abrange as RAE de Hong Kong e de Macau, e 9 áreas urbanas da Província de Guangdong, com especial relevo para Guangzhou e Shenzhen; tem uma área total de c. 56.100 km2, uma população de 86 milhões de habitantes e um PIB global de 1,587 biliões de euros (um pouco maior que o da Rússia). A GBA foi a primeira megalópole a ter um "Plano de Desenvolvimento" aprovado, mencionando os objetivos da área mega-metropolitana e o papel de cada uma das áreas urbanas que a integram.

Jorge Costa Oliveira

Evasões

Notícias Magazine