Atualidade

Opinião

Maria da Graça Carvalho

RePowerEU - De onde vem o dinheiro para suportar as ambições?

Analisada a iniciativa RePowerEU, apresentada na semana passada pela Comissão Europeia, conseguimos identificar duas ideias fortes e duas possibilidades em aberto. Em relação às primeiras, a transição energética será o principal motor da resposta europeia à crise causada pela invasão da Ucrânia pela Rússia, com a meta para o peso das renováveis no mix energético a subir de 40% para 45% até 2030. E a eficiência energética virá logo a seguir, também com um aumento de 9% para 13% nos compromissos estabelecidos nesta matéria, face aos desempenhos de 2020.

Maria da Graça Carvalho

Jorge Costa Oliveira

O setor imobiliário e a desaceleração económica na China (II)

O aumento dos preços do imobiliário e a especulação subjacente, alavancado em financiamento bancário e interligado com disponibilização de terra pelos governos locais, conduziu o setor imobiliário a uma situação insustentável que forçou o governo chinês a tomar medidas para evitar uma implosão e o inevitável arrastamento ao setor bancário. Estas medidas provocaram um significativo abrandamento no crescimento do setor imobiliário que levou a uma desaceleração da economia chinesa na segunda metade de 2021 e início deste ano. A oferta no setor imobiliário, que já contraíra 2,9% no 4.º trimestre de 2021, voltou a contrair (2%) no 1.º trimestre de 2022.

Jorge Costa Oliveira

Seta Tutundjian

A crise da fome global está aí

Os preços globais dos alimentos estão a subir. O Índice de Preços de Alimentos da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação - que cobre um cesto de alimentos básicos (cereais, carnes, laticínios, óleos vegetais e açúcar) - atingiu uma alta histórica de 159,7 em março, face a 141,1 no mês anterior. Embora tenha baixado ligeiramente em abril, para 158,5, a situação atual - como a guerra da Rússia na Ucrânia - devem continuar a elevar os preços para novos máximos, com implicações devastadoras para a fome global.

Seta Tutundjian

Ana Paula Laborinho

Por uma ciência aberta e acessível

Num episódio da série Dr. House, a equipa do famoso médico confronta-se com um mistério: uma jovem é diagnosticada com a doença do sono apesar de nunca ter saído dos Estados Unidos. Como sempre, House resolve o problema recorrendo a um caso identificado por um investigador português e relatado na revista do Instituto de Higiene e Medicina Tropical: o doente contraiu a doença do sono por transmissão sexual, em vez da picada de mosquito infetado.

Ana Paula Laborinho

Mais atualidade

Mais Opinião

Guilherme de Oliveira Martins

A Nau de Ícaro

Cultor de símbolos, interrogador de mitos, revelador de enigmas, Eduardo Lourenço, que teria feito ontem 99 anos, assinalados em Almeida com um memorial de Graça Morais, é o pensador do regresso português à Europa e de uma nova emancipação. Os últimos anos do ensaísta foram marcados pela reflexão crítica sobre o tempo desse retorno e sobre o desafio de uma nova responsabilidade, centrada no encontro com a modernidade - já que sem memória não há futuro. E leia-se um texto de 1993. "No Museu Real de Bruxelas pode ver-se um quadro de Peter Breughel, o Velho, "A Queda de Ícaro". Apesar do caráter trágico da fábula, esta pintura exprime um sentimento de paz, quase de serenidade. O símbolo da ambição humana mergulha no mar no meio da indiferença de tudo o que o envolve, homens concentrados no seu trabalho, baía serena com algumas barcas, natureza adormecida como num sonho, que acabaria melhor do que o de Ícaro. À direita do quadro, não longe do ponto onde o herói desaparece nas águas calmas, sobressai uma imponente carraca pintada com a minúcia flamenga característica do grande pintor. Tal é a minúcia que podemos ver no alto dos mastros duas bandeiras com as armas de Portugal, o escudo com as "quinas", em memória das cinco chagas de Cristo".

Guilherme d'Oliveira Martins

Podcasts DN

Tech & Café

Tech & Café 10. Star Trek vs Star Wars! Mas antes... o novo relógio da Google

No 10.º Tech & Café falamos 9 minutos da nova aposta da Google: o smartwatch Pixel. Será que vem para Portugal? E depois, a propósito das novas séries das sagas de ficção científica mais famosas do planeta, fazemos uma viagem pelo espaço sideral: Star Trek ou Star Wars? É um melhor do que o outro? Porquê? É mesmo preciso escolher? E vale a pena ver as novas produções? Como sempre, com Filipe Gil e Ricardo Simões Ferreira.

Evasões

Notícias Magazine