I Liga perde patrocínio de seis milhões de euros por ano da NOS a partir de 2021

Operadora de telecomunicações informou a Liga Portugal sobre fim do contrato em vigor até ao final da próxima época.

A NOS já informou a Liga Portugal que não vai continuar a patrocinar o principal campeonato do País. O campeonato perde assim o principal patrocinador principal e naming sponsor da I Liga - a Liga NOS -, a dias do futebol regressar aos relvados, após paragem forçada devido à pandemia.

A saída da operadora de telecomunicações significa um rombo de seis milhões de euros por ano (500 mil euros por mês) nas contas, segundo soube o DN junto de fonte do organismo que rege os campeonatos profissionais. Valor que terá de ser compensado com a entrada de um novo patrocinador e sponsor.

Em comunicado a empresa de justifica a decisão com o facto de a parceira ter dado o que tinha a dar. Para o patrocinador o "valor que esta parceria representava para ambas as partes e os objetivos que lhe estiveram subjacentes foram totalmente atingidos".

A operadora passa por dias difíceis devido à pandemia e às ligações a Isabel dos Santos, cujos negócios estão a ser investigados em Angola e Portugal, tendo este mês apresentado um prejuízo de 10 4 milhões de euros. Apesar disso, a NOS garante que continuará a investir no futebol, "embora num formato diferente". E continuará "a trabalhar em estreita colaboração com a LPFP, por forma a criar uma competição ainda mais dinâmica, mais interativa e mais espetacular para todos os adeptos de futebol" no que resta do contrato. Ou seja o final do campeonato 2019-20 e o de 2020-21.

Já a Liga Portugal agradeceu em comunicado à operadora pelos anos de parceria: "A direção executiva da Liga Portugal deixa uma palavra de profunda gratidão à aposta feita pela marca, no período de sete anos, e que se traduziu num crescimento do valor da prova, também alavancado por esta aliança."

A decisão não será alheia ao recente mal estar das operadoras de telecomunicações, entre elas a NOS, com algumas decisões de Pedro Proença, que na semana passada decidiu pedir ajuda para ter o futebol em canal aberto. O que enfureceu as operadoras que pagam milhões de euros por ano aos clubes e à Liga. O assunto dominou a reunião dos 18 presidentes dos clubes da I Liga e levou o líder do órgão que rege o campeonato a anunciar que irá pedir uma Assembleia Geral para discutir o seu futuro para 9 de junho.

A perda do principal patrocinador não veio ajudar Proença cada vez mais isolado, depois do Benfica se ter demitido da direção da LPFP. Restam FC Porto, Sporting, Gil Vicente, Tondela, Leixões, Mafra e Cova da Piedade.

A notícia do fim do patrocínio caiu que nem uma bomba no universo futebolístico a dias do regresso do futebol aos relvados, apesar de já ser esperada a até falada na reunião de presidentes na quinta-feira. O organismo liderado por Pedro Proença divulgou esta sexta-feira o calendário das últimas dez jornadas do campeonato que foi suspenso a 12 de março.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG