GNR, SEF e DGS fazem ações de controlo de fronteiras com Espanha

O gabinete de António Costa anunciou neste domingo que já decorrem ações em fronteiras com a Espanha, mas sem mencionar os locais. Primeiro-ministro português e o homólogo espanhol vão debater medidas a tomar neste domingo.

A GNR, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e a Direção-Geral da Saúde (DGS) estão a realizar, neste fim de semana, "ações pontuais de controlo da fronteira terrestre" com Espanha devido ao surto de Covid-19.

"Durante o fim de semana decorrem ações conjuntas da GNR, SEF e DGS para ações pontuais de controlo da fronteira terrestre", informou o gabinete do primeiro-ministro no comunicado em que anuncia uma reunião, por teleconferência, entre António Costa e o presidente do Governo de Espanha, Pedro Sánchez, para preparar um encontro de ministros da Administração Interna e Saúde, na segunda-feira, para "definir medidas de controlo sanitário nas fronteiras internas e externas da União Europeia (UE).

O comunicado não adianta mais pormenores nem os locais onde serão feitas as "ações pontuais de controlo da fronteira terrestre" entre os dois países da Península Ibérica.

Costa e Sánchez discutem "ações coordenadas" na fronteira

O primeiro-ministro português vai discutir neste domingo, por teleconferência, com o presidente do Governo de Espanha "ações coordenadas" na União Europeia e a "gestão da fronteira comum dos dois países" devido ao surto de Covid-19, foi neste sábado anunciado.

Esta conversa entre António Costa e Pedro Sánchez servirá para preparar uma reunião, também por teleconferência, que se realiza na segunda-feira, com os ministros da Administração Interna e da Saúde da União Europeia (UE) "para definir medidas de controlo sanitário nas fronteiras internas e externas" da União, segundo um comunicado do gabinete do primeiro-ministro hoje divulgado.

Recentemente, o presidente francês sugeriu à presidente da Comissão Europeia que a União Europeia reforce os controlos nas fronteiras do Espaço Schengen e que eventualmente proíba o acesso aos países mais afetados, segundo noticiou o jornal espanhol "El Mundo". Emmanuele Macron sugeriu as medidas restritivas num telefonema feito a Ursula von der Leyen.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG