21 apostas literárias para 2021

As editoras que revelaram ao DN os seus lançamentos permitem adivinhar uma série de livros que ao longo do próximo ano devem levar muitos leitores de regresso às livrarias. Há géneros para todos os gostos, mas o romance que inspirou a série Gambito de Dama vai fazer xeque-mate pela certa. Tal como o próximo thriller de Paula Hawkins.

É cedo para prever qual será o grande romance, o bestseller inesperado, o thriller mais empolgante ou o sucesso literário que se destacará entre os milhares de livros que serão lançados em Portugal no ano que está para chegar, no entanto, se há uma meia dúzia de livros que vão levar os leitores às livrarias, entre esses está o sucessor de um dos maiores sucessos de vendas nos últimos anos, A Rapariga no Comboio, pois Paula Hawkins já confirmou que tem pronto um "thriller vertiginoso e intrincado" que será revelado no último dia de agosto. O título original é A Slow Fire Burning (editora Topseller) e a autora garante que é tão emocionante como o seu anterior grande sucesso, que esteve cem semanas na lista de bestsellers do The New York Times - em Portugal também bateu todos os recordes -, foi traduzido em 46 línguas e adaptado em tempo recorde ao cinema. A trama retrata a "natureza destrutiva dos traumas do passado e como sofrimento gera mais sofrimento".

Segundo Paula Hawkins, tudo começa com "um assassínio brutal numa embarcação num canal de Londres. Laura, uma provável suspeita, é vista a abandonar o local do crime e, durante algum tempo, parece tratar-se de um caso simples. O que quis explorar no livro é a forma como nenhuma tragédia acontece isoladamente: um acidente na infância pode vir a ter ramificações uma década mais tarde; o facto de se confiar na pessoa errada no momento errado pode fazer descarrilar completamente uma vida".

Outro livro que vai despertar muito interesse é o vencedor do Booker Prize deste ano, o primeiro romance do autor Douglas Stuart, intitulado Shuggie Bain, que terá tradução pela Alfaguara a meio do ano, podendo então conhecer-se o resultado de um trabalho que levou 20 anos a completar e é muito autobiográfico. De referir que o original foi rejeitado por 30 editoras!

Entre os escritores que também tiveram os seus trabalhos premiados estão as nobel Louise Glück e Olga Tokarczuck e a booker Bernardine Evaristo. Da poeta saem pela Relógio d'Água quatro livros: Averno, A Íris Selvagem, Noite Virtuosa e Fiel. Da autora polaca sairá Casa de Dia, Casa de Noite (editora Cavalo de Ferro), o seu primeiro romance a ser traduzido para inglês em 2003; de Evaristo será a vez de a editora Elsinore apresentar Blonde Roots após Rapariga, Mulher, Outra, uma narrativa em que o tema é a escravidão ao contrário: os negros escravizam os brancos.

Refletindo a importância cada vez maior das séries de TV, serão lançados vários originais. Mas o mais aguardado será Gambito de Dama (Suma das Letras), de Walter Tevis, cuja série tem feito furor em todo o mundo e Portugal não escapou. Seguem-se Beartown (Porto), de Fredrik Backman, e The Stand (Bertrand), um dos maiores sucessos de Stephen King.

Em fevereiro há Sinta-se Livre (D. Quixote), uma coletânea de ensaios de Zadie Smith, bem como o romance O Homem do Casaco Vermelho (Quetzal), de Julian Barnes em março. Entre as "novidades" não-ficção está também o sempre oportuno Ensaios, de George Orwell (Edições 70).

Entre os romances de autores portugueses surgem dois inspirados na pandemia: Em Todas as Ruas te Encontro (Minotauro), de Paulo Faria, e Quarentena - Uma História de Amor (Companhia das Letras), de José Gardeazabal.

As biografias regressam em força e bem atuais: Joe Biden - Do Homem ao Presidente, por Evan Osnos, e Kamala Harris - Uma Vida Americana, de Dan Morain (ambas Actual). Se do primeiro biografado se sabe muito, da segunda aguarda-se este livro para se conhecer melhor a primeira mulher vice-presidente dos Estados Unidos. Também da cantora Cesária Évora, com título homónimo (Rosa de Porcelana), de autoria de Elzbieta Sieradziñska, que assinala os 80 anos do nascimento e os dez da morte da musa cabo-verdiana.

Outro dos géneros mais na moda não é esquecido: O Amigo (Clube do Autor), de Sigrid Nunez, e A Cadela (Teorema), de Pilar Quintana, o primeiro vencedor do National Book Award, que contam histórias de amizade entre cães e pessoas.

Noite Virtuosa e Fiel é um dos quatro livros da poeta Louise Glück a serem lançados tão rápido quanto possível pela Relógio D'Água e com quatro tradutores de grande qualidade.

Em Todas as Ruas Te Encontro é o primeiro romance pós-pandemia em que Paulo Faria retrata os meses mais assustadores do século XXI.

Arder em Fogo Lento é o novo thriller de Paula Hawkins e traz a promessa de um ritmo e de uma intriga intensos como em A Rapariga do Comboio (título por definir).

Cesária Évora A diva de Cabo Verde tem uma biografia de Elzbieta Sieradziñka que evoca a sua vida nos dez anos sobre a morte e nos 80 do nascimento.

Kamala Harris - Uma Vida Americana é a biografia de autoria de Dan Morain que faz falta para se conhecer a mulher que ajudou a derrotar Donald Trump. Em simultâneo, sai a de Joe Biden.

Shuggie Bain é um dos romances mais aguardados do próximo ano após ter sido o escolhido pelo júri do Booker Prize devido à história poderosa que conta.

The Stand é um dos maiores sucessos - entre todos os grandes sucessos - de Stephen King e que ao ser adaptado para o streaming chega às livrarias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG