Madonna está quase a subir ao palco e terá ao seu lado o guitarrista português Gaspar Varela

A digressão Madame X arranca nesta terça-feira em Nova Iorque. A cantora tem consigo o jovem guitarrista, bisneto de Celeste Rodrigues, e algumas das Batucadeiras de Cabo Verde. Em janeiro, os concertos são em Lisboa.

As últimas publicaçõesde Madonna no Instagram são imagens e vídeos de ensaios. Muitos ensaios para a digressão de Madame X, que arranca nesta terça-feira, na sala da Brooklyn Academy of Music (BAM), em Nova Iorque, nos EUA. Serão 16 noites em Nova Iorque e depois Chicago, São Francisco, Las Vegas, Boston, Filadélfia e Miami antes de, em janeiro, chegar à Europa com concertos em Lisboa, Londres e Paris.

E em toda esta digressão Madonna será acompanhada por Gaspar Varela, guitarrista português de apenas 16 anos. Bisneto da recentemente falecida fadista Celeste Rodrigues - foi, aliás, através dela que conheceu Madonna - e sobrinho-bisneto de Amália, Gaspar é considerado um jovem prodígio da guitarra portuguesa, tendo no ano passado lançado o seu primeiro disco, no qual interpreta 12 temas de autores como Carlos Paredes, Jan Tisky, Jaime Santos ou José Nunes, mas também uma composição sua, Lisboetas, escrita a meias com o irmão, Sebastião Varela.

Gaspar Varela começou ter aulas de guitarra portuguesa com apenas 7 anos, com o guitarrista Paulo Parreira, com o sonho de um dia acompanhar a bisavó - o que chegou a acontecer: "Pode-se dizer que o meu gosto pelo fado é genético, porque sempre quis aprender guitarra portuguesa para um dia poder acompanhar a minha bisavó. Entretanto tornei-me totalmente apaixonado por este instrumento", contou numa entrevista ao DN.

Esta é a segunda vez que Gaspar Varela acompanha Madonna a Nova Iorque, depois de ter participado com Celeste Rodrigues na festa de passagem de ano 2017-18 organizada pela cantora na sua casa naquela cidade.

No dia 6 de julho, quando o músico se juntou à equipa da digressão para os primeiros ensaios, a cantora assinalou o momento com um vídeo de Gaspar Varela a tocar com o skyline de Nova Iorque ao fundo. Madonna legendou com "Lisboa chegou a Brooklyn" e usou a tag #casaportuguesa:

No dia de aniversário de Madonna, 16 de agosto, o guitarrista português fez-lhe uma declaração pública de amor:

E no início de setembro, Madonna voltou a publicar no seu Instagram um vídeo de Gaspar Varela a tocar, agora num elevador em Nova Iorque:

Também algumas mulheres do grupo Batucadeiras de Cabo Verde vão estar em palco nos concertos. As Batucadeiras participaram no tema Batuca, do disco Madame X, editado em junho. É muito provável que no espetáculo elas se juntem aos outros bailarinos que acompanham Madonna. Este é um vídeo que a cantora partilhou, filmado nos camarins, e que mostra um pouco isso:

Ainda em julho, Madonna divulgou um excerto do documentário que Nuno Xico (o realizador português que a tem acompanhado) está a fazer sobre Madame X, em que ela explicava que tinha descoberto as Batucadeiras, que têm a sua origem em Cabo Verde mas são na verdade um grupo sedeado na Amadora, através do músico Dino D'Santiago, uma das suas "ligações em Lisboa": "Elas são uma força do empoderamento feminino, de energia e de paixão", diz a cantora, recordando o seu encontro com este grupo de mulheres: "Foi muito inspirador." A gravação do tema, diz, "foi uma experiência quase religiosa".

Os concertos: muito mistério e nenhum telemóvel

Pouco se sabe ainda sobre estes concertos. O coreógrafo Marvin Gofin (que trabalha há vários anos com Madonna e será um dos responsáveis pelas coreografias do espetáculo) e o bailarino Ahlamalik (que já participou na Rebel Heart Tour) são outros dos artistas que podemos descobrir através do Instagram da cantora, assim como as cantoras MzMunchie e Yahzarah.

A cantora adiou o início da digressão - que deveria ter arrancado no passado dia 12 - porque a produção estava atrasada. No seu site, Madonna escreveu que "Madame X é uma perfeccionista e os seus fãs merecem nada menos do que o melhor". "Ela subestimou a quantidade de tempo que seria necessário para levar este tipo de experiência teatral até vocês e quer que seja perfeito", acrescentava a mensagem.

Para os palcos, Madonna levará sobretudo o universo do seu último disco, que resulta em grande parte da sua estada em Lisboa, onde mora desde 2017, como ela fez questão de explicar em várias entrevistas. Desta vez, a estrela da pop dispensou os estádios e as arenas e optou por salas mais pequenas (a de Nova Iorque tem pouco mais do que dois mil lugares), à procura de um ambiente mais intimista do que é habitual. Para Lisboa, a cantora tem agendados oito concertos no Coliseu dos Recreios entre 12 e 23 de janeiro - dos quais seis estão já esgotados e para os dois restantes já só há bilhetes disponíveis para os camarotes.

Uma das coisas que já se sabe é que, pelo menos nos Estados Unidos, não vai ser permitido o uso no recinto de telemóveis, smartwatches ou outro qualquer aparelho que tenha câmara de fotografar ou de filmar. Todos esses aparelhos terão de ser colocados em bolsas de segurança que só podem ser abertas no final do concerto. Os possuidores de bilhetes receberam na semana passada uma mensagem com este aviso, que explicava ainda que este será "um evento livre de telemóveis". Quem, durante o concerto, precisar de telefonar ou mandar mensagens, terá de se deslocar a uma zona própria, onde a segurança se encarregará de voltar a guardar o aparelho na bolsa. Qualquer pessoa apanhada a usar o telemóvel será expulsa do concerto.

Exclusivos