Lisboa com árvore de Natal mas sem concerto de fim de ano

Autarquias cancelam eventos natalícios e de fim de ano devido à pandemia de covid-19. Porto abdicou de árvore de Natal e do tradicional fogo de artifício.

Pistas de gelo, concertos, espetáculos multimédia, fogo de artifício, em alguns casos até as tradicionais árvores gigantes - o Natal de 2020 vai-se mostrar pouco no espaço público. Salvam-se as iluminações de rua, a única memória dos Natais passados que vai permanecer inalterada em 2020.

Em Lisboa, a tradicional árvore de Natal já está a ser montada no Terreiro do Paço e as luzes deverão acender-se na última semana deste mês, mas não haverá inauguração oficial para evitar aglomerações. De acordo com fonte oficial da câmara municipal também não há eventos de rua programados. E para a passagem de ano há uma certeza: o já habitual concerto no Terreiro do Paço, que junta milhares de pessoas na última noite do ano, não se vai realizar.

Com os números da pandemia acima dos quatro mil contágios diários e o número de mortes por covid-19 a ascender a várias dezenas - nesta quarta-feira, 11 de novembro, a contabilizaram-se 82 óbitos, o número mais alto de sempre - as autarquias deixam cair tudo o que possa provocar ajuntamentos no espaço público. Mantém apenas a iluminação, até como forma de "chamar" os munícipes ao comércio local.

No Porto, nem haverá árvore de Natal. A câmara da Invicta considera que poderia levar à aglomeração de pessoas, pelo que optou por não montar neste ano o ícone natalício. "A árvore de Natal, que anualmente se ergue imponente diante dos Paços do Concelho, não será montada, entendendo a autarquia que a sua existência poderia tornar-se foco de aglomeração de pessoas", sublinhou o município numa nota oficial. Todas as atividades de programação municipal que habitualmente decorrem na época natalícia - pistas de gelo, concertos, sessões de teatro - também ficam suspensas.

Dos Natais passados fica apenas a iluminação nas ruas, que "assume ainda maior relevância para o estímulo ao comércio tradicional" no atual contexto da pandemia.

Também não haverá fogo de artifício, que junta habitualmente milhares de pessoas na Avenida dos Aliadosna passagem para 2021.

Em Coimbra, toda a programação de Natal foi também cancelada para evitar "um foco incontrolável de aglomeração de pessoas", adiantou a autarquia numa nota de imprensa enviada à agência Lusa.

Em contrapartida, a iluminação natalícia - que será ligada a 27 de novembro - será reforçada, chegando a mais nove locais da cidade, com a instalação de um total de 420 mil luzes.

A mesma decisão repete-se noutras cidades. Guarda e Famalicão também anunciaram o cancelamento das festividades de Natal e Ano Novo, Óbidos já tinha anunciado que a Óbidos Vila Natal não se realiza em 2020.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG