Porto

Paulo Baldaia

Rioísta me desconfesso

Confessamos pecados, praticados em atos, pensamentos e omissões, e transportamos para o domínio público o que tínhamos até então guardado em segredo, mais ou menos, disfarçado. Foi o que fiz em agosto de 2013, neste mesmo jornal, em artigo a que dei o título "Rioísta me confesso". Nesse texto, tornei público o que era evidente para a maioria das pessoas (jornalistas e amigos) que comigo partilhavam o dia-a-dia profissional, mas também para os que me lessem ou ouvissem com alguma regularidade: eu vejo em Rui Rio uma forma diferente de estar na política.

Paulo Baldaia

Assumir a culpa com desculpas esfarrapadas

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, iniciou o mês de novembro querendo assumir a culpa pelo que a Direção-Geral da Saúde e o Governo fizeram mal. O primeiro-ministro, António Costa, não chegou a agradecer, mas fechou a semana a assumir que a culpa da má comunicação é dele. A minha experiência diz-me que não se trata de humildade democrática, postura na vida que resiste ao teste do algodão quando se trata de pedir desculpa pela culpa que se sabe ter. Alguém ouviu Marcelo ou Costa pedirem desculpa?