Professores exigem reposição de todo o tempo de serviço

Sondagem feita pelos sindicatos mostra que 96% dos docentes querem a contagem de nove anos, quatro meses e dois dias de tempo de serviço para efeitos de carreira.

A greve dos professores que tem impedido o lançamento de nota, motivada pela recusa do Ministério da Educação em contabilizar para efeitos de progressão na carreira o tempo que foi congelado, mantém-se até quarta-feira, dia da reunião com o Ministério da Educação.

A reabertura de negociações com o ministério tutelado por Tiago Brandão Rodrigues foi motivada por uma carta aberta subscrita por dez organizações sindicais, que promovem a greve às avaliações, a manifestarem "total disponibilidade" para discutir com o governo a recuperação do tempo de serviço.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.