Quarentena obrigatória está a ser aplicada a quem chega à Madeira

A quarentena obrigatória já está a ser aplicada na Madeira, com as pessoas que chegam à região sem terem residência a serem encaminhadas para o empreendimento da Quinta do Lorde, no Caniçal, disse à Lusa o presidente do Governo Regional.

A vigilância na aplicação desta medida para minimizar a propagação da pandemia da Covid-19 será reforçada, na sequência das indicações anunciadas pelo representante da República na Madeira, Ireneu Barreto, que apoia esta determinação do executivo regional.

As pessoas que cheguem esta sexta-feira à Madeira, e que não tenham residência, "têm um autocarro de turismo devidamente preparado na porta das chegadas do Aeroporto Internacional da Madeira-Cristiano Ronaldo, além de elementos da Polícia de Segurança Pública, que vão tratar de assegurar que sejam encaminhadas para um local para cumprirem a quarentena obrigatória", explicou Miguel Albuquerque.

O local escolhido para estes casos foi o empreendimento da Quinta do Lorde, na freguesia do Caniçal, no extremo leste da ilha da Madeira.

O representante da República para a Madeira, o juiz-conselheiro Ireneu Barreto, que é o responsável pela execução das medidas adotadas na sequência da declaração do estado de emergência na Região Autónoma, declarou o seu apoio a esta solicitação do executivo madeirense. "Essa medida é importante para nós. Nós somos uma ilha. A ilha não pode ser transformada num refúgio daqueles que querem fugir da pandemia", declarou o representante.

No que diz respeito ao Porto Santo, os não residentes que cheguem à ilha a partir desta sexta-feira ficarão confinados no Hotel Praia Dourada, uma unidade disponibilizada a título gratuito pelo Grupo Económico Sousa, adiantou a secretaria da Saúde e Proteção Civil da Madeira.

Quinta-feira, o Instituto de Administração da Saúde da Madeira (IASAÚDE) informou que o número de casos de Covid-19 na região duplicou em 24 horas, subindo para seis os infetados na região, sendo cinco cidadãos dos Países Baixos e uma madeirense. "Temos neste momento dois casos com validação pelo Instituto Ricardo Jorge", afirmou, na altura, a vice-presidente do IASAÚDE, Bruna Gouveia, acrescentando: "Temos mais quatro casos que aguardam validação pelo Instituto Ricardo Jorge, com resultado preliminar positivo".

Até quinta-feira foram já sinalizados 48 casos suspeitos de infeção pelo novo coronavírus, dos quais 38 foram negativos na Madeira.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 250 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 10.400 morreram.

Das pessoas infetadas, mais de 89.000 recuperaram da doença.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou esta sexta-feira o número de casos confirmados de infeção para 1.020, mais 235 do que na quinta-feira.

O número de mortos no país subiu para seis.

Dos casos confirmados, 894 estão a recuperar em casa e 126 estão internados, 26 dos quais em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI).

O boletim divulgado pela DGS assinalava 7.732 casos suspeitos até quinta-feira, dos quais 850 aguardavam resultado laboratorial.

Das pessoas infetadas em Portugal, cinco recuperaram.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG