Lisboa continua a ter mais novos casos, Norte com a maior subida em três meses

O boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde desta quinta-feira revela que há mais 291 casos e duas mortes. Os dados indicam ainda que estão hospitalizados 334 doentes (mais cinco pessoas do que ontem), 39 nos cuidados intensivos (mais quatro).

Em Portugal, nas últimas 24 horas, morreram mais duas pessoas e foram confirmados mais 291 casos de covid-19. Segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) desta quinta-feira (20 de agosto), no total, desde que a pandemia começou, registaram-se 54.992 infetados, 40.264 recuperados (mais 135) e​ 1.788 vítimas mortais no país.

Há 334 pessoas hospitalizadas (mais cinco face ao dia de ontem), dos quais 39 estão internadas em unidades de cuidados intensivos (mais quatro).

Portugal tem 12.940 casos ativos da doença provocado pelo novo coronavírus, mais 154 em relação a quarta-feira.

Os óbitos reportados no boletim da DGS referem-se a dois homens (um com mais de 80 anos e outro na faixa etária dos 70 a 79 anos) e ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo e na região Norte.

Dos novos diagnósticos de covid-19, 170 foram reportados em Lisboa e Vale do Tejo - o que representa 58,4% do total nacional de novas infeções - e 93 no Norte do país, a maior subida em três meses. A 10 de maio foram registados 98 diagnósticos de covid-19.

Há mais seis casos na região Centro, mais nove no Algarve e mais um nos Açores.

Com dois surtos a preocupar as autoridades, em Mora (com 50 infetados) e em Montemor-o-novo (com 29 casos positivos), o Alentejo regista mais 12 casos no relatório da DGS desta quinta-feira. ​​​​​​

Desde o início da pandemia, foram infetados 24.703 homens e 30. 289 mulheres.

O boletim da DGS indica que há 34.422 pessoas que estão em vigilância pelas autoridades de saúde (menos 350 do que na véspera).

Governo aprova investimento de 20 milhões de euros para a compra de vacinas

Esta quarta-feira, o Governo aprovou, em Conselho de Ministros, um investimento de 20 milhões de euros para a aquisição de vacinas.

"A União Europeia (UE) coordenou uma aquisição conjunta para os diferentes países. Hoje, num Conselho de Ministros eletrónico, autorizámos a aquisição do primeiro lote de seis milhões e 900 mil vacinas. A UE selecionou seis das diversas vacinas que estão em desenvolvimento a nível mundial como as seis onde valia a pena investir", disse António Costa, que falava em Vila Nova de Gaia, no distrito do Porto, numa visita ao centro hospitalar local.

Sobe para 50 o número de pessoas infetadas em Mora

O surto de covid-19 na vila de Mora, distrito de Évora, já infetou 50 pessoas, mais duas do que na quarta-feira, e quatro delas estão nos cuidados intensivos no hospital em Évora, revelou hoje o autarca local.

O presidente da Câmara de Mora, Luís Simão, que citou dados da Autoridade de Saúde, disse que o número de casos de covid-19 "aumentou hoje para mais dois", ou seja, para o total de 50, com os resultados dos testes realizados, na terça-feira, a 160 trabalhadores do município e das juntas de freguesia do concelho.

"Os dois novos infetados são trabalhadores da câmara municipal e saíram dos 160 testes que mandámos fazer. Ninguém tinha sintomas, ninguém tinha nada, mas afinal estavam dois infetados", assinalou à agência Lusa.

Dois novos casos no Ciborro elevam total de infetados em Montemor-o-Novo para 29

A deteção de dois novos casos de infeção por covid-19 na freguesia do Ciborro, na quarta-feira, elevou para 29 o total de casos ativos da doença no concelho de Montemor-o-Novo (Évora), segundo informações divulgadas esta quinta-feira.

Os números dizem respeito aos testes cujos resultados foram conhecidos até às 19:30 de quarta-feira e incluem um caso que já se encontrava ativo no concelho antes da deteção do atual surto e um caso de internamento hospitalar.

Contactada pela Lusa, a presidente da Junta de Freguesia do Ciborro, Nélia Campino, confirmou que os dois novos casos reportados hoje pela Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, no distrito de Évora, pertencem àquela aldeia, o que eleva para 12 o total de testes positivos na localidade.

O Ciborro continua a concentrar a maior parte dos casos ativos (12) no concelho, mas Nélia Campino sublinhou que os dois novos casos se referem a "situações que já estavam identificadas e ambos já se encontravam em isolamento".

Fonte dos serviços locais de saúde também confirmou à Lusa que "a maior parte dos casos" detetados nos últimos dias "não são uma surpresa" para as autoridades de saúde e que essas pessoas "já estavam em confinamento".

"Há apenas um caso que ainda não está bem definido, mas dá a ideia que vai encaixar [numa das cadeias de transmissão conhecidas] brevemente", disse a mesma fonte, que confirmou não haver ainda certezas sobre a ligação deste surto com o do concelho vizinho de Mora, onde existem atualmente 48 casos ativos da doença.

Nos próximos dias, "vão continuar a ser feitos testes na comunidade e aos grupos profissionais que lidam com pessoas mais vulneráveis", refere um comunicado divulgado pela Câmara de Montemor-o-Novo.

A autarquia alentejana ativou, na segunda-feira, o Plano Municipal de Emergência (PME) de Proteção Civil, que se encontra em vigor até ao dia 31 deste mês.

22,6 milhões de casos em todo o mundo

O novo coronavírus já infetou mais de 22,6 milhões de pessoas no mundo inteiro até esta quinta-feira e provocou 791 402 mortes, segundo dados oficiais. Há agora 15,3 milhões de recuperados.

No total, os Estados Unidos da América são o país com a maior concentração de casos (5 701 162) e de mortes (176 342). Em termos de número de infetados acumulados no mundo, seguem-se o Brasil (3 460 413), a Índia (2 841 400) e a Rússia (942 106). Portugal surge em 47.º lugar nesta tabela.

Quanto aos óbitos, depois dos Estados Unidos, o Brasil é a nação com mais mortes declaradas (111 189). Depois, o México (58 481) e a Índia (54 017).

Portugal terá direito a 6,9 milhões de vacinas contra a covid-19

Ficou a saber-se, esta quarta-feira, que Portugal terá direito a seis milhões e 900 mil vacinas contra a covid-19. Ou seja, caso sejam doses individuais, as vacinas serão suficientes para dois terços da população portuguesa.

A primeira remessa, de 690 mil vacinas, poderá chegar já em dezembro, confirmou o Infarmed à TSF.

No total, estão reservadas para a União Europeia 300 milhões de vacinas, encomendadas a um laboratório francês. Isto apesar de haver negociações em curso com outras farmacêuticas.

A encomenda será acionada assim que existir uma vacina segura e eficaz contra a covid-19, não havendo ainda referência a preços.

Com Lusa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG