Governo desaconselha viagens de residentes no continente para as regiões autónomas

O Governo desaconselhou os cidadãos residentes no continente português a viajarem para Açores e Madeira, na sequência dos anúncios dos dois governos regionais de colocação de todos os passageiros em quarentena, devido ao surto de Covid-19.

"O Governo da República desaconselha fortemente os cidadãos nacionais não residentes naqueles arquipélagos a voarem para as regiões autónomas, dado não ser possível assegurar depois a sua evacuação durante o período de quarentena", adiantou o Ministério da Administração Interna, numa nota de imprensa.

O executivo lembra que esta medida "abrange todos os passageiros, independentemente de terem qualquer registo de sintomas ou contactos com pessoas infetadas".

O Governo Regional da Madeira decidiu colocar todos os passageiros que aterrem na região em quarentena, a partir das 00:00 de domingo.

"Vamos decretar quarentena e isolamento social obrigatórios a qualquer passageiro que desembarque nos aeroportos do Porto Santo e da Madeira - Cristiano Ronaldo", declarou o presidente do executivo, Miguel Albuquerque, sublinhando: "Isto é para cumprir".

O presidente do Governo Regional da Madeira disse que havia contactado o Governo da República para tomar medidas no sentido de suspender por sete dias as operações aéreas com países de transmissão ativa da doença, nomeadamente Dinamarca, França, Alemanha, Suíça e Espanha, mas não obteve qualquer resposta.

"Eu tomo outra decisão que é no sentido de salvaguardar, que é meter tudo em quarentena e assim é também uma forma de dissuadir os estrangeiros de virem à Madeira", afirmou.

Horas depois, a Autoridade de Saúde Regional dos Açores decidiu tomar a mesma medida, mas aplicá-la já hoje.

"Todos os passageiros de voos do exterior que aterrem na Região estão, a partir do início da tarde de hoje, obrigados a cumprir um período obrigatório de quarentena de 14 dias, determinado pela Autoridade de Saúde Regional", lê-se num comunicado divulgado ao início da tarde.

Entretanto, foi divulgado, em comunicado de imprensa, o conteúdo de uma carta em que o presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, solicitou ao primeiro-ministro, António Costa, "a suspensão urgente das ligações aéreas do exterior, incluindo do território nacional, com os aeroportos dos Açores, com exceção do transporte de carga e casos de força maior, desde que autorizados pela competente Autoridade de Saúde".

Enquanto único acionista do grupo SATA, o executivo açoriano decidiu concentrar as ligações da companhia aérea com o exterior nas ilhas Terceira e São Miguel.

O novo coronavírus responsável pela pandemia de Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 5.700 mortos em todo o mundo.

O número de infetados ultrapassou as 151 mil pessoas, com casos registados em pelo menos 137 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 169 casos confirmados, nenhum deles nas regiões autónomas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG