Em 27 meses branquearam 40 milhões. Oito detidos pela PJ

Oito pessoas de nacionalidade chinesa foram detidas por vários crimes, incluindo o branqueamento de 40 milhões de euros e fraude fiscal. Na operação, foram apreendidos 350 mil euros, diverso equipamento informático, documentos de identificação e 18 carros de gama alta.

A Polícia Judiciária deteve na zona norte do país oito homens, entre os 34 e os 57 anos, suspeitos de terem branqueado 40 milhões de euros entre janeiro de 2016 e março de 2018. A ação policial decorreu em várias localidades mas teve o seu centro em Vila do Conde, na Zona Industrial da Varziela, onde se concentra uma larga comunidade de comerciantes e empresários chineses.

Esta operação teve como objetivo o cumprimento de mandados de detenção de buscas domiciliárias e não domiciliárias, pela presumível prática de crimes de associação criminosa, branqueamento de capitais, fraude fiscal qualificada e venda, circulação ou ocultação de produtos ou artigos contrafeitos.

De acordo com um comunicado da PJ mais de 300 elementos - entre investigadores desta polícia e elementos da GNR, ASAE, SEF e Autoridade Tributária - fizeram 40 buscas nos concelhos de Vila do Conde, Póvoa do Varzim, Porto, Vila Nova de Gaia e Sintra.

Das oito pessoas detidas - todos empresários de nacionalidade estrangeira -, seis são suspeitas dos crimes referidos e sob duas outras existem suspeitas dos crimes de falsificação de documentos, auxílio à imigração ilegal e tráfico de estupefacientes.

Na operação "Albare" Foram apreendidos 18 carros, a grande maioria de gama alta, 350 mil euros, equipamentos informáticos e telemóveis, uma quantidade elevada de mercadorias contrafeitas ou sem os devidos documentos de suporte fiscal no valor presumível de três milhões de euros, dezenas de documentos de identificação, passaportes e cartas de condução internacionais presumivelmente falsas, além de documentação de natureza contabilística e fiscal.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG