Todos infetados ou em quarentena. Lar em Vila Nova de Famalicão está sem funcionários

Todos os trabalhadores estão em quarentena ou foram infetados. Os 33 idosos estão a cargo apenas da diretora técnica, que está grávida, e uma enfermeira.

Um lar em Cavalões, Vila Nova de Famalicão, com 33 utentes, está sem funcionários a trabalhar, depois de oito terem testado positivo para o novo coronavírus, disse à Lusa a proprietária daquele equipamento.

De acordo com a proprietária e gerente da Residência Pratinha (um lar privado), Teresa Pedrosa, os 18 funcionários daquele equipamento estão "ou com teste positivo ou em quarentena", estando os 33 utentes a ser acompanhados por ela, a diretora técnica, "que está grávida", e uma enfermeira.

"Queremos ajuda, que reintegrem os utentes ou nos arranjem pessoas para nos ajudar", afirmou Teresa Pedrosa em declarações à Lusa, explicando que já entrou em contacto com a Segurança Social, a delegada de saúde e a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão.

Segundo Teresa Pedrosa, a Segurança Social disse que "como é um lar privado, o caso tem que ser tratado com a Saúde Pública". "A delegada de saúde disse que temos que ficar as três com eles. O que é impossível", afirmou.

O mais velho dos utentes tem 94 anos e o mais novo 55, "mas tem HIV". "São pessoas de alto risco", alertou.

A familiar de uma utente contou à Lusa que tinha sido contactada pela direção sobre "a possibilidade de acolher em casa" a sua familiar. Mais tarde, essa possibilidade passou a certeza, com um telefonema da delegada de saúde de Vila Nova de Famalicão, a querer saber se poderia "acolher em casa" a sua familiar. "Ela disse que não encontra solução para os idosos", explicou.

A Lusa tentou contactar a delegada de saúde de Vila Nova de Famalicão, mas até ao momento não foi possível. Já fonte oficial da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão contou que a autarquia foi informada "hoje de manhã da existência do problema".

Recordando tratar-se de "uma instituição privada", a mesma fonte referiu que "o caso foi entregue às entidades regionais de Saúde e de Proteção Civil".

"A Câmara está a acompanhar a situação com preocupação e está disponível para ajudar, dentro das duas possibilidades e competências", referiu a mesma fonte, contando que "foi acionada ajuda ao nível da disponibilização de refeições".

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 300 mil pessoas em todo o mundo. Em Portugal, há 12 mortes e 1 280 infeções confirmadas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG