Costa e a reabertura das fronteiras: "É um reencontro entre vizinhos que são irmãos e amigos"

António Costa diz que a reabertura da fronteira entre Portugal e Espanha é um reencontro entre vizinhos "irmãos e amigos" que terão mais peso se estiverem lado a lado na União Europeia.

O primeiro-ministro, António Costa, considerou esta quinta-feira que a reabertura da fronteira entre Portugal e Espanha é um reencontro entre vizinhos "irmãos e amigos" que terão mais peso se estiverem lado a lado na União Europeia.

António Costa transmitiu estas mensagens na sua conta pessoal na rede social Twitter, antes de participar em cerimónias oficiais em Badajoz e em Elvas para assinalar a reabertura da fronteira com Espanha, juntamente com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, com o rei Felipe VI e com o chefe do Governo espanhol, Pedro Sánchez.

"Hoje assinalamos ao mais alto nível a normalização do trânsito terrestre da fronteira entre Portugal e Espanha. É um reencontro entre vizinhos que são irmãos e amigos. Desta fronteira aberta depende a nossa prosperidade partilhada e um destino comum no projeto europeu", escreveu o primeiro-ministro.

Na perspetiva de António Costa, "é essencial para ambos os países que os contactos voltem gradualmente a adquirir a dimensão e a dinâmica anteriores à eclosão da pandemia" de covid-19. "Penso em especial nas populações raianas que, quotidianamente, atravessam a fronteira", acrescentou.

"A pandemia ofereceu-nos a visão de um passado ao qual não queremos voltar: um continente de fronteiras encerradas. A liberdade de circulação consolidou-se no espírito dos cidadãos europeus como um dos princípios fundamentais da ideia de Europa", sustentou, em seguida.

De acordo com o primeiro-ministro, na União Europeia, "Espanha e Portugal devem ser atores de primeira linha na construção de uma Europa cujo modelo económico e social reforce a convergência e que, mais do que esperanças, dê certezas a todos".

"Teremos mais peso se travarmos esse combate lado a lado, Portugal e Espanha", defendeu.

António Costa apelou também ao cumprimento "com muito rigor" de todas as normas de segurança e saúde contra a covid-19 para evitar a possibilidade de as fronteiras entre Portugal e Espanha voltarem a fechar.

"A última coisa que podemos pensar é termos de voltar de novo ao fecho da fronteira e da atividade económica. Temos de tentar evitá-lo e cumprir com muito rigor todas as normas de segurança e saúde", disse António Costa em declarações à Rádio Nacional de Espanha.

Para o chefe do Governo português, até haver "uma vacina com um tratamento eficaz" é necessário que todos tenham presente "o risco da covid-19", a doença provocada pelo novo coronavírus.

As fronteiras terrestres entre Portugal e Espanha estavam fechadas desde 16 de março.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG