880 mortos e 23392 infetados de covid-19. Casos sobem 2,6%

Nas últimas 24 horas, o país registou mais 26 vitimas mortais e 595 casos confirmados com o novo coronavírus (um aumento de 2,6% em relação a ontem), segundo o boletim da DGS deste sábado. Recuperados continuam a aumentar e os internamentos a diminuir.

Em Portugal, nas últimas 24 horas, morreram mais 26 pessoas e foram confirmados mais 595 casos de covid-19. Segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), deste sábado (25 de abril), há agora no país 23392 infetados, 880 vítimas mortais e 1277 recuperados (mais 49 que no dia anterior).

Estão internadas 1040 pessoas (menos 28 que esta sexta-feira), destas 186 encontram-se nos cuidados intensivos (menos dois). Aguardam resultados laboratoriais 4783 pessoas e estão em vigilância pelas autoridades de saúde quase 30 mil.

A taxa de letalidade geral do país é hoje de 3,8%, sendo que a maioria das vitimas mortais dizem respeito a pessoas com mais de 70 anos. O número de mortes é idêntico entre homens (441) e mulheres (439). Quando a maioria dos infetados (59%) são do sexo feminino.

A maioria das vitimas mortais continua a ter localidade de residência a norte do país, onde há agora 502 vitimas mortais (entre 14072 casos confirmados). Segue-se a região centro com 188 óbitos (3183 infetados), 170 em Lisboa e Vale do Tejo (5435), 11 no Algarve (320), 8 nos Açores (111), um no Alentejo (185). A Madeira é a única região do país que não regista mortes, tem 86 casos.

Lisboa (1346), Vila Nova de Gaia (1180) e Porto (1120) respetivamente continuam a ser os únicos municípios com mais de mil casos, de acordo com os dados da plataforma Sinave, que integra informação sobre 81% dos casos confirmados.

No dia em que se comemora a Liberdade, numa sessão atípica no Parlamento com reduzido número de participantes, em respeito pelas regras de distanciamento, a pandemia da covid-19 foi o tema transversal a todas as intervenções, desde o Presidente da República aos deputados. Ferro Rodrigues - o Presidente da Assembleia da República - pediu mesmo um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do surto. O Serviço Nacional de Saúde e todos os seus profissionais são, este ano, os protagonistas do 25 de Abril.

Este foi também o mote para o inicio da habitual conferência de imprensa diária no ministério da Saúde, com a ministra Marta Temido a afirmar: "25 de Abril é também o Serviço Nacional de Saúde". "É um 25 de Abril menos leve, mas quando o SNS respondeu num quadro tão difícil penso que tinham razão os que o construíram a seguir a Abril", continuou a responsável pela pasta da Saúde.

Bastará um teste negativo para dar como recuperados os doentes acompanhados em casa

Durante a conferência de imprensa, Marta Temido anunciou uma nova norma, que será publicada ainda este sábado no site da Direção-Geral da Saúde. A partir de dia 28 de abril, será necessário apenas um teste negativo para considerar um doente acompanhado em casa como curado. Até agora são precisos dois.

Para os doentes hospitalares continuará a ser necessário dois testes negativos. Uma alteração feita em linha "com aquilo que os outros países preconizam", indicou a ministra da Saúde.

"As pessoas que ficam em casa têm uma carga viral menor e, por isso, os artigos científicos que saíram nas últimas semanas para os doentes ligeiros, dizem que ao fim de 14 dias, há duas condições: já não terem sintomas nenhuns e terem um teste negativo", justificou a Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas.

A mesma norma da DGS indicará também que a linha SNS 24 vai deixar de prescrever testes de despiste para a covid-19.

Acompanhe o desenvolvimento da conferência de imprensa aqui.

Mais de 2,8 milhões casos de covid-19 no mundo. China há 10 dias sem mortes

O novo coronavírus já infetou 2 845 867 pessoas no mundo inteiro, até este sábado às 11:09, segundo dados oficiais. Morreram 197 846 e há 811 687 recuperados.

Os Estados Unidos da América são o país com a maior concentração de casos (925 758) e de mortes (52 217). Seguidos de Espanha, a segunda nação com mais infetados (223 759) e a terceira com mais vitimas mortais (22 902. Registaram-se 378 nas últimas 24 horas).

Itália é o terceiro país com mais casos (192 994) e o segundo com mais óbitos (25 969). Seguem-se a França, a Alemanha, o Reino Unido e a Turquia, todos com mais de cem mil casos. Portugal surge em 17.º lugar nesta tabela.

A China - onde o surto começou, no final do ano passado - é, neste momento, o nono país com mais casos. Tem 82 816 infetados e 4 632 mortes. Este sábado, é o décimo dia consecutivo em não há registo de nenhum vitima mortal. Somam-se, segundo as autoridades de saúde chinesas, apenas 12 casos.

Recomendações da DGS

Para que seja possível conter ao máximo a propagação da pandemia, a Direção-Geral da Saúde continua a reforçar os conselhos relativos à prevenção: evite o contacto próximo com pessoas que demonstrem sinais de infeção respiratória aguda, lave frequentemente as mãos (pelo menos durante 20 segundos), mantenha a distância em relação aos animais e tape o nariz e a boca quando espirrar ou tossir (de seguida lave novamente as mãos). E acima de tudo: fique em casa.

Em caso de apresentar sintomas coincidentes com os do vírus (febre superior a 38º, tosse persistente, dificuldade respiratória), as autoridades de saúde pedem que não se desloque às urgências, mas sim para ligar para a Linha SNS 24 (808 24 24 24) ou para a unidade de cuidados primários mais próxima.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG