Grande Lisboa vê novos casos subir de 77% para quase 90%

O boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde deste domingo revela mais 246 casos e cinco mortes nas últimas 24 horas, em Portugal. A região de Lisboa e Vale do Tejo soma quase 90% dos novos casos e todos os cinco novos óbitos registados.

Nas últimas 24 horas, morreram mais cinco pessoas e foram confirmados mais 246 casos de covid-19 em Portugal. Segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) deste domingo (19 de julho), no total, desde que a pandemia começou, registaram-se 48 636 infetados, 1689 vítimas mortais no país e 33 369 recuperados (mais 216).

Este domingo, estão internados 439 doentes (menos 13 que no dia anterior) e nos cuidados intensivos estão 61 pessoas (menos quatro que na véspera).

Lisboa e Vale do Tejo soma quase 90% dos novos casos

214 dos 246 novos infetados (86,9%) têm residência na região de Lisboa e Vale do Tejo. Os restantes casos de hoje estão distribuídos pelo Norte (mais 10), pelo Algarve (10), pelo Centro (três), pelo Alentejo (três), pelos Açores (cinco) e pela Madeira (um).

Quanto aos cinco óbitos confirmados nas últimas 24 horas, estes localizam-se todos em Lisboa e Vale do Tejo.

A taxa de letalidade do país é hoje de 3,4%, subindo aos 16% no caso das pessoas com mais de 70 anos - as principais vítimas mortais.

O boletim da DGS deste domingo indica ainda que aguardam resultados laboratoriais 1620 pessoas e estão em vigilância pelas autoridades de saúde mais de 35 mil. O sintoma mais comum entre os infetados é a tosse (que afeta 35% dos doentes), seguida da febre (28%), dores musculares (21%) e cefaleia (20%).

Mais de 600 mil mortos no mundo

Desde o início da pandemia, originada pelo vírus descoberto na China em dezembro, a covid-19 já matou mais de 600 mil pessoas em todo o mundo, segundo indicou este domingo o balanço mais recente da agência de notícias France-Presse (AFP).

De acordo com o balanço feito até às 02:00 de Lisboa, foram ainda detetados 14.233.355 milhões de casos da doença.

A Europa conta 205.065 mortos, sendo a região mais atingida do mundo, depois da América Latina com 160.726 óbitos e 17.540 casos registados nos últimos sete dias.

Os Estados Unidos continuam com o maior número de mortes causadas pela doença, 140.103, seguindo-se Brasil (78.772), Reino Unido (45.273), México (38.888) e Itália (35.042).

Cimeira europeia pode findar sem acordo

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse este domingo ser "possível" que os líderes europeus, reunidos em Bruxelas pelo terceiro dia, não cheguem a acordo sobre a recuperação económica após a crise da covid-19, apesar de destacar a "boa vontade". "Há muito boa vontade, [...] mas também é possível que nenhum resultado seja alcançado hoje", afirmou Angela Merkel, falando à entrada da cimeira extraordinária de chefes de Governo e de Estado da União Europeia (UE), em Bruxelas.

O Presidente francês, Emmanuel Macron, por outro lado, considerou que "ainda é possível" chegar a um "bom compromisso" na cimeira de líderes europeus sobre recuperação económica, mas avisou que os valores europeus não devem ser afetados.

"Penso que ainda é possível chegar a um bom compromisso, mas esse compromisso não pode pôr em causa a ambição e os valores europeus", declarou Emmanuel Macron, falando à entrada para uma reunião com a chanceler alemã, Angela Merkel, e os presidentes do Conselho Europeu e da Comissão Europeia à margem da cimeira extraordinária de chefes de Governo e de Estado da União Europeia (UE), em Bruxelas.

De acordo com diversas fontes europeias, o principal obstáculo a um compromisso continua a ser as exigências dos autodenominados países 'frugais', Holanda, Áustria, Suécia e Dinamarca - nalguns casos acompanhados da Finlândia -, pois a esmagadora maioria dos Estados-membros manifestou-se desde o início recetiva à proposta apresentada pelo presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, muito semelhante àquela avançada pela Comissão Europeia em finais de maio.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG