Navalny já consegue descer escadas e postou foto a mostrar progressos

Opositor russo admitiu que até muito recentemente não reconhecia as pessoas e não era capaz de falar, sem sequer conseguir expressar o seu desespero face a essa incapacidade.

O líder da oposição russa, Alexei Navalny, garantiu este sábado estar a fazer progressos na sua recuperação, ao publicar uma fotografia na rede social Instagram que o mostra a descer uma escada no hospital universitário La Charité, em Berlim.

"Digo-vos como está a correr a minha recuperação. É já um caminho claro, embora ainda haja um longo caminho a percorrer", afirmou o opositor do presidente da Rússia, Vladimir Putin, que, de acordo com os médicos alemães, terá sido envenenado com um agente neurotóxico do tipo Novichok, uma arma química desenvolvida na antiga União Soviética.

No entanto, Navalny admitiu que até muito recentemente não reconhecia as pessoas e não era capaz de falar, sem sequer conseguir expressar o seu desespero face a essa incapacidade.

"Todas as manhãs o médico vinha e dizia-me: Alexei, trouxe um quadro negro, vamos inventar que palavra podemos escrever nele. Isto fez-me desesperar, porque embora compreendesse o que o médico queria, não sabia como encontrar a palavra", revelou, acrescentando: "Agora sou um rapaz cujas pernas tremem quando desce uma escada, mas que pensa: 'É uma escadaria! É assim que se faz".

Segundo o anúncio de membros da sua equipa na última quinta-feira, vestígios de uma substância química neurotóxica do tipo Novichok foram detetados numa "garrafa de água de plástico normal" recolhida no quarto de hotel em que Alexei Navalny esteve hospedado em Omsk, antes de acabar por cair durante um voo da Sibéria para Moscovo, em 20 de agosto.

Um laboratório militar alemão confirmou em 03 de setembro que o opositor russo foi envenenado com uma substância do tipo Novichok.

Na segunda-feira, o Governo alemão anunciou que dois outros laboratórios, em França e na Suíça, confirmaram as conclusões dos peritos germânicos. No entanto, a Rússia assegurou que os médicos que trataram Navalny em Omsk não encontraram quaisquer sinais de que tivesse sido envenenado, atribuindo o colapso a problemas metabólicos.

Posteriormente, a pedido da sua família e dos colegas, e com a permissão do Governo alemão, Navalny foi transferido para Berlim. Os primeiros exames realizados já mostravam sinais de envenenamento, pelo que foi solicitada a cooperação de um laboratório especializado do exército alemão, que confirmou as primeiras indicações.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG