Premium Tancos. Fugas de informação "minaram" e "descredibilizaram" a investigação da PJ

A Polícia Judiciária reuniu dezenas de recortes de imprensa com informações sobre a investigação ao furto de Tancos - cuja origem atribui à Polícia Judiciária Militar - que tiveram impacto negativo no processo: descredibilizaram a investigação e "minaram irremediavelmente as diligências".

Fugas de informação para os jornais que "possibilitaram aos suspeitos ter acesso às linhas de trabalho da investigação, bem como às diligências que iam sendo realizadas", causaram "o descrédito na investigação" e "minaram todas as diligências de forma irremediável, conduzindo a uma constante alteração de procedimentos e estratégias de investigação".

São estas as principais conclusões da Polícia Judiciária (PJ) num relatório que desenvolveu no âmbito do processo de Tancos, que o DN consultou no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.