Premium Marcelo e o 10 de Junho. Um discurso à medida das presidenciais

Comentadores políticos ouvidos pelo DN enquadram o discurso do Presidente no Dia de Portugal já com a campanha presidencial.

Nem o politólogo António Costa Pinto nem o sociólogo Paulo Pedroso (ex-ministro da Solidariedade no tempo de António Guterres) têm dúvidas: o discurso que o Presidente da República fez, nesta quarta-feira (10 de junho), nos Jerónimos, para assinalar o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades, é enquadrável na campanha presidencial que irá marcar o último trimestre deste ano e o início de 2021 (as eleições serão em janeiro). Este foi, note-se, o último discurso de Marcelo num 10 de Junho neste mandato presidencial.

Pedroso afirma-o quase como um lamento: "O discurso do Presidente não se elevou acima da conjuntura e do clima de pré-eleições presidenciais." E isto porque Marcelo "não se pôs no papel que eu atribuo a um Presidente da República, que é um papel inspirador, moderador e distante do jogo político".

Ler mais

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG