Equipa de futebol de Wuhan voltou a casa após 104 dias de quarentena

Wuhan Zall estava a estagiar em Espanha, quando o governo chinês isolou a cidade onde começou a propagação do vírus. Português Daniel Carriço foi contratado e ainda espera visto para viajar.

Depois de 104 dias, a equipa de futebol de Wuhan Zall voltou finalmente a casa. Afastada devido ao coronavírus, a equipa chinesa da província onde a propagação começou regressou à cidade de Wuhan. A comitiva já se encontrava na China desde 18 de março, mas viu-se obrigada a cumprir um período de quarentena em Shenzen e Foshan e só agora teve autorização para voltar à cidade. Foi recebida em festa, com aplausos e ramos de de flores.

"Depois de três meses longe e afastados, os jogadores do Wuhan Zall tinham saudades do seu país e acabaram por voltar para casa e puderam reunir-se com as famílias, às quais o clube agradece pelo apoio e compreensão", comunicaram os responsáveis do clube na rede social Weibo.

Daniel Carriço, que entretanto foi contratado pela equipa chinesa, ainda está em Portugal e aguarda que a embaixada chinesa lhe conceda o visto para poder juntar-se à nova equipa e sem medo, como já revelou ao DN.

A equipa estava em Cádiz (Espanha) a realizar um estágio de pré-epoca, quando o governo chinês decidiu montar um cerco em Wuhan, epicentro da pandemia.

A Super Liga chinesa deveria ter arrancado a 22 de fevereiro, mas foi adiada e sem data para começar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG