Kevin Spacey declama poema sobre pugilista cansado da luta... mas podia ser ele

A leitura do monólogo do poeta italiano Gabriele Tinti, em Roma, é a primeira aparição pública do ator norte-americano desde que há dois anos foi acusado de agredir sexualmente um jovem.

"Eu fiz o país tremer, fiz arenas vibrarem, destruí os meus opositores. Eu iluminei a escuridão, colecionei insultos, provoquei aplausos. Nem toda a gente sabe como fazer isto. Nenhum de vocês o saberia. Por outro lado, a vida não é assustadora para aqueles que nunca correm riscos". As palavras são do poeta e escritor italiano Gabriele Tinti, mas declamadas pelo ator norte-americano Kevin Spacey, junto à estátua "Boxer at Rest" (bóxer a descansar), a reapresentação de um pugilista cansado, fragilizado, consumido pela luta. Um paralelismo evidente com a carreira de Spacey, há dois anos congelada, depois de ter sido acusado de agredir sexualmente um jovem de 18 anos, em 2016.

A aparição pública, que apanhou os visitantes do Museu Nacional Romano, em Roma, de surpresa, na passada sexta-feira, aconteceu depois da acusação contra o ator ter sido arquivada (a 18 de julho) no estado de Massachusetts. Na capital italiana, Kevin Spacey leu o monólogo duas vez, primeiro perante um pequeno grupo de pessoas e depois para cerca de 150 visitantes.

Dias antes, o museu italiano tinha anunciado no seu site que um premiado dos Óscares leria Gabriele Tinti, sem no entanto revelar o nome de Kevin Spacey. Ao jornal espanhol El País, o escritor e poeta de 38 anos, que já escreveu vários poemas inspirados em grandes esculturas, como o templo grego Parthenon, disse que entrou em contacto com o ator para lhe fazer a proposta uns meses antes. Tinha como objetivo dar voz à estátua e considerou que a vida do ator espelhava na perfeição as palavras escritas por si.

Acusação de agressão sexual

Kevin Spacey está afastado das produções de Hollywood desde 2017, tendo inclusivamente cancelado a sua presença na última temporada da série House of Cards, que protagonizava, e no filme Todo o dinheiro do Mundo (2017), do realizador Ridley Scott. Vencedor de dois Óscares por Os Suspeitos (1995) e Beleza Americana (1999), considerado um dos melhores atores da sua geração, a carreira de Kevin Spacey desmoronou-se após inúmeras acusações de agressão sexual.

O ator foi indicado pelos crimes de agressão sexual e ofensas corporais, alegadamente cometidos em 2016 sobre um jovem empregado de um bar-restaurante em Los Angeles, então com 18 anos. O rapaz acusou o ator de lhe ter pagado várias bebidas alcoólicas e depois ter começado a passar a mão pela sua perna e de lhe ter aberto a braguilha das calças. A acusação terá acontecido um ano depois, quando a mãe do rapaz, Heather Unruh, ex-jornalista de televisão, contou à imprensa em novembro de 2017 que o filho tinha sido atacado sexualmente por Spacey. O caso foi arquivado a 18 de julho.

No entanto, este não era o único caso em que Kevin Spacey se viu envolvido. No ano passado, o ator Anthony Rapp revelou que Spacey o teria agredido sexualmente quando tinha 14 anos e o ator tinha 20. Spacey respondeu dizendo que não se lembrava, mas pedia desculpa a Rapp por algum comportamento incorreto que tivesse tido. No total, mais de 30 homens se declararam vítimas de avanços não desejados, de cariz sexual, por parte do ator, pelo menos seis destes no Reino Unido.

Quando estas denúncias começaram a surgir, as autoridades já estavam a investigar o ator por um incidente semelhante que terá ocorrido em outubro de 1992, em West Hollywood.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG