Vai mesmo haver mais uma temporada de House of Cards. Só que sem Kevin Spacey

Netflix confirma sexta e última época da série, que será centrada na personagem de Robin Wright

A série de culto House of Cards, que foi suspensa na sequência dos escândalos de assédio sexual do seu protagonista, Kevin Spacey, vai ter uma temporada final, só que sem este ator.

A informação foi esta segunda-feira divulgada pela Netflix, produtora da série. O diretor de conteúdos da plataforma, Ted Sarandos, afirmou ainda que os novos episódios deverão estar prontos no início do próximo ano.

Esta última temporada, a sexta, terá apenas oito episódios e será protagonizada por Robin Wright, que interpreta Claire Underwood, a mulher de Francis Underwood (Kevin Spacey).

A produção da série foi suspensa no dia 31 de outubro, depois de serem conhecidas as primeiras denúncias de abusos sexuais por parte de Spacey.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

O populismo entre nós

O sucesso eleitoral de movimentos e líderes populistas conservadores um pouco por todo o mundo (EUA, Brasil, Filipinas, Turquia, Itália, França, Alemanha, etc.) suscita apreensão nos países que ainda não foram contagiados pelo vírus. Em Portugal vários grupúsculos e pequenos líderes tentam aproveitar o ar dos tempos, aspirando a tornar-se os Trumps, Bolsonaros ou Salvinis lusitanos. Até prova em contrário, estas imitações de baixa qualidade parecem condenadas ao fracasso. Isso não significa, porém, que o país esteja livre de populismos da mesma espécie. Os riscos, porém, vêm de outras paragens, a mais óbvia das quais já é antiga, mas perdura por boas e más razões - o populismo territorial.