Exclusivo Vinho sem sabor a rolha. A tecnologia revolucionária para a indústria corticeira

O novo processo criado pela equipa de investigadores liderada por Orlando Teodoro, do Centro de Física e Investigação Tecnológica, permite eliminar a componente química que contamina as rolhas de vinho.

Amiga do ambiente, versátil e 100% natural são, por norma, os três principais argumentos na defesa da indústria corticeira, mundialmente liderada por Portugal. O país tem uma quota de mercado a rondar os 65%, de acordo com a APCOR - Associação Portuguesa de Cortiça, e não é, por isso, de estranhar que a mais recente tecnologia transformadora do setor tenha nascido em território nacional.

A equipa liderada pelo professor catedrático Orlando Teodoro, do Centro de Física e Investigação Tecnológica (CEFITEC) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Lisboa, criou um processo inovador que permite eliminar o TCA (tricloroanisole) responsável pela contaminação do vinho quando absorvido pela rolha de cortiça - em gíria popular, o sabor a rolha. "Tanto quanto conheço das tecnologias que são usadas, este processo é de longe o mais eficaz", explica o investigador ao DN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG