Incidência aumenta e no terceiro dia com mais de 3000 novos casos

Em dia com 8 mortes, há agora 705 pessoas internadas devido à covid-19, das quais 100 estão em unidades de cuidados intensivos, diz o relatório da DGS.

Boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde indica que Portugal registou, em 24 horas, 3 205 novos casos de covid-19. Relatório desta sexta-feira (26 de novembro) refere também que morreram mais oito pessoas devido à infeção por SARS-CoV-2.

Os dados sobre a situação nos hospitais mostram que há agora 705 (mais 14 que ontem) internados, dos quais 100 estão em unidades de cuidados intensivos (menos 3 que ontem).

Com esta nova atualização, Portugal tem, atualmente, 50 880 casos ativos da doença, refere o relatório da DGS no dia em que a Comissão Europeia anunciou que vai propor aos Estados-membros a suspensão de voos da África Austral com destino à União Europeia devido ao aparecimento de uma nova variante do vírus responsável pela covid-19.

"A Comissão Europeia proporá, em estreita coordenação com os Estados-membros, ativar o travão de emergência para parar as viagens aéreas da região da África Austral devido à variante de preocupação B.1.1.529", indicou a líder do executivo comunitário, Ursula von der Leyen, numa curta publicação na rede social Twitter.

A presidente da Comissão Europeia não especifica quais os países abrangidos por esta medida.

A variante identificada na África do Sul está a gerar preocupação mundial por apresentar um elevado número de mutações. Uma situação que levou vários países a suspender as ligações aéreas provenientes daquela região.

Primeiro caso da nova variante na Europa detetado na Bélgica

Foi, entretanto, detetado na Bélgica o primeiro caso da nova variante na Europa, segundo avançou o jornal Le Soir.

De acordo com o jornal, o ministro da Saúde belga, Frank Vandenbroucke, confirmou um caso associado à B.1.1.529, tendo apelado à cautela. "É preciso cuidado, mas não entrar em pânico", afirmou.

O virologista belga Marc van Rast disse, numa publicação no Twitter, tratar-se de uma pessoa que esteve no Egito e que, de acordo com Vandenbroucke, não estava vacinada contra a covid-19, tendo testado positivo a 22 de novembro.

Portugal acompanha com "muita preocupação" esta nova variante

Portugal está a "acompanhar com muita preocupação" esta nova variante, fez notar esta sexta-feira a ministra da Saúde.

Marta Temido referiu que o Governo está atento à "informação partilhada" sobre a variante denominada B.1.1.529, que foi identificada na África do Sul, havendo já casos detetados em Hong Kong, Israel e agora na Europa, mais concretamente na Bélgica. Reino Unido, Itália e Alemanha são alguns dos países que já aplicaram medidas preventivas, proibindo a entrada de viajantes provenientes da África Austral.

Marta Temido recordou que "sabíamos que o pior cenário podia transformar-se num cenário bastante complexo se surgissem novas variantes que escapassem à proteção das vacinas". "Vamos acompanhar", acrescentou.

Serão precisas "várias semanas" para conhecer o nível de risco, diz OMS

A Organização Mundial da Saúde (OMS) já veio dizer que serão precisas "várias semanas" para conhecer o nível de risco e de transmissibilidade da nova variante do novo coronavírus, detetada inicialmente na África do Sul.

Os especialistas da OMS, responsáveis por monitorizar a evolução do novo coronavírus que provoca a doença covid-19, reuniram-se hoje para determinar se a nova variante, identificada como B.1.1.529, deve ser classificada como "preocupante" ou "de interesse para monitorização", segundo explicou Christian Lindmeier, porta-voz da agência do sistema das Nações Unidas, numa conferência de imprensa em Genebra.

"Análises preliminares mostram que a variante tem um grande número de mutações que exigirão mais estudos e vão ser necessárias várias semanas para entender o seu impacto", acrescentou Christian Lindmeier.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG