Primeiro caso da nova variante na Europa foi detetado

O ministro da Saúde belga confirmou o caso associado à variante B.1.1.529. Trata-se de uma mulher que esteve no Egito, não estava vacinada e testou positivo a 22 de novembro.

Já foi detetado um caso da nova variante do SARS-CoV-2 na Europa. Foi na Bélgica que as autoridades detetaram a variante B.1.1.529, identificada na África do Sul e que está a suscitar preocupação mundial devido ao elevado número de mutações que apresenta. Situação que levou vários países europeus a proibir a entrada de viajantes provenientes da África Austral.

De acordo com o jornal Le Soir, o ministro da Saúde belga, Frank Vandenbroucke, confirmou um caso associado à B.1.1.529, tendo apelado à cautela. "É preciso cuidado, mas não entrar em pânico", afirmou.

O virologista belga Marc van Rast disse, numa publicação no Twitter, tratar-se de uma mulher que esteve no Egito e que, de acordo com Vandenbroucke, não estava vacinada contra a covid-19, tendo testado positivo a 22 de novembro.

A jovem mulher infetada com a nova variante terá desenvolvido sintomas 11 dias após viajar para o Egito através da Turquia, indicou o Laboratório Nacional de Referência belga.

A paciente parece não ter tido contactos de alto risco fora da sua casa e nenhum membro da família desenvolveu sintomas até agora, acrescentou o laboratório, que está a conduzir uma investigação abrangente a este caso.

Vandenbroucke afirmou que, neste momento, "não há motivo para pânico". "Certamente é preciso cautela e análise científica. É uma variante suspeita, mas não sabemos se é muito perigosa", declarou.

O primeiro-ministro Alexander De Croo fez saber que também a Bélgica vai aplicar restrições às viagens provenientes da África Austral. O Governo está a elaborar os procedimentos a adotar, mas haverá uma quarentena obrigatória de 10 dias para quem regresse da África Austral e seja residente na Bélgica. Será proibida a entrada dos viajantes não residentes na Bélgica provenientes da região onde foi detetada a nova variante.

Cerca de 30 mutações desta nova variante já foram identificadas em lugares como a África do Sul, Botswana ou Hong Kong, o que tem gerado preocupação a nível mundial e a imposição, por parte de países europeus, de restrições a viajantes oriundos de países da África Austral.

a Comissão Europeia vai propor a suspensão de voos da África Austral com destino à União Europeia devido ao aparecimento desta nova variante do SARS-CoV-2, anunciou esta sexta-feira a presidente da instituição.

"A Comissão Europeia proporá, em estreita coordenação com os Estados-membros, ativar o travão de emergência para parar as viagens aéreas da região da África Austral devido à variante de preocupação B.1.1.529", indicou Ursula von der Leyen, numa curta publicação na rede social Twitter.

A presidente da Comissão Europeia não especifica quais os países abrangidos por esta medida.

Com Lusa

Notícia atualizada às 14:28

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG