Marta Temido. "Acompanhamos com muita preocupação a nova variante"

A ministra da Saúde afirmou que o Governo está atento à "informação partilhada" sobre a nova variante identificada na África do Sul e que já levou vários países europeus a tomar medidas restritivas.

"Acompanhamos com muita preocupação a nova variante", afirmou, esta sexta-feira, a ministra da Saúde. Marta Temido referiu que o Governo está atento à "informação partilhada" sobre a variante denominada B.1.1.529, que foi identificada na África do Sul, havendo já casos detetados em Hong Kong e em Israel. Uma situação que levou Reino Unido, Itália e Alemanha a tomarem medidas, proibindo a entrada de viajantes provenientes da África Austral.

Marta Temido recordou que "sabíamos que o pior cenário podia transformar-se num cenário bastante complexo se surgissem novas variantes que escapassem à proteção das vacinas". "Vamos acompanhar", acrescentou à margem de uma visita ao IPO de Coimbra.

Aos jornalistas, a governante recordou recordou que "a cada 15 dias estamos a duplicar casos, o risco de transmissão efetiva é muito elevado neste momento".

E, apesar da elevada taxa de vacinação no país, que oferece "uma tranquilidade relativa", Marta Temido sublinhou o facto de Portugal estar integrado num contexto em que a incidência e a transmissão estão a aumentar um pouco por toda a Europa, "com variantes a surgirem em alguns pontos do globo".

Para a ministra, as medidas anunciadas pelo primeiro-ministro, António Costa, pretendem afetar o "menos possível a vida de todos". "Penso que as medidas são proporcionais à fase em que estamos", considerou.

Referiu, no entanto, que as próximas semanas acarretam preocupação. "Vamos passar por uma fase em que está quase tudo contra nós, o frio, a questão da maior transmissibilidade em ambientes que, às vezes, não são tão arejados como deviam ser, os convívios familiares associados à quadra natalícia. São pelo menos três elementos de enorme preocupação".

Nesse sentido, reiterou a importância da vacinação, mas também da testagem. "Além da vacinação ou do reforço da vacinação para quem seja elegível para esse efeito, a testagem é um instrumento que permite a cada momento saber o estado de eventual infeção que uma pessoa tenha", sendo também uma forma de proteger os outros, disse.

"Há vários tipos de testes, alguns comparticipados [a 100%] pelo Estado português, que são quatro testes por mês", os que se encontram disponíveis para venda em grandes superfícies, além de espaços de farmácia, indicou. "Podem ser feitos antes de um encontro de família", exemplificou, realçando a importância de adoção de medidas complementares.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG