Menos casos, menos mortes e menos internamentos no Natal

Mais 10 016 casos e 10 mortes em Portugal nas últimas 24 horas. Há 807 doentes internadas, 152 das quais em Unidades de Cuidados Intensivos.

Portugal reportou 10 016 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas. São menos 2927 em relação ao dia anterior, quando foram anunciados 12 943 casos. De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) deste dia de Natal (25 de dezembro) morreram 10 pessoas no dia de Consoada, menos uma do que na véspera. Comparativamente ao dia de Natal do ano passado, há hoje mais do dobro dos casos (4146), mas menos 55 mortes, tendo em conta os 65 óbitos que foram reportados no dia 25 de dezembro de 2020 - dois dias antes do início da vacinação.

A Região de Lisboa e Vale do Tejo voltou a ser aquela que mais infeções registou no dia de ontem e responsável por quase 50% dos novos positivo (4713 e três óbitos), seguido da Região Norte (3022 e dois óbitos) e Centro (1095 e três óbitos). O Algarve tem hoje mais 452 casos de covid-19 e o Alentejo mais 266. Nas regiões autónomas a Madeira reportou mais 328 (e um óbito) e os Açores 140 (e um óbito).

No que se refere à situação dos hospitais, os internamentos também baixaram e pelo terceiro dia consecutivo. Há agora 857 internados (menos 7 do que na véspera), dos quais 152 (mais três do que no dia anterior) estão em unidades de cuidados intensivos.

Há nesta altura 122 400 pessoas em vigilância (mais 3940 do que na sexta-feira) e 99 594 casos ativos (mais 7647). Nas últimas 24 horas recuperaram da doença mais 2359.

Números registados a dois dias de fazer um ano do início do processo de vacinação. A 27 de dezembro de 2020, o médico António Sarmento recebeu a primeira vacina contra a covid-19 no País. Atualmente, quase 8,7 milhões de pessoas já têm a vacinação completa, mais de 2,3 milhões já tomaram a dose de reforço e cerca de 95 mil crianças foram vacinadas com a primeira dose.

Mais 18 concelhos em risco muito elevado e extremo de infeção

Portugal tem 151 concelhos em risco muito elevado e extremo de infeção, mais 18 do que na semana anterior, segundo dados de sexta-feira. Já o número de concelhos em risco extremo mantém-se nos 21 esta semana. Na lista dos concelhos com mais de 960 casos de infeção por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias consta Fundão, Golegã, Guarda, Lisboa, Loulé, Machico, Monção, Nisa, Oeiras, Ourém, Funchal, Ponte da Barca, Porto, Porto Santo, São Brás de Alportel, São João da Madeira, Sertã, Soure, Sousel, Tomar e Vila Nova e Paiva.

Os únicos concelhos portugueses com incidência inferior a 20 casos por 100 mil habitantes são agora Freixo de Espada à Cinta e Corvo, que não contabilizaram quaisquer novos casos nos últimos 14 dias.

A incidência de infeções com o vírus SARS-CoV-2 voltou a aumentar a nível nacional na véspera de Natal.

Novas medidas em vigor face à ameaça da nova variante Ómicron

Novas medidas para conter a pandemia de convid-19 entraram hoje, às 00.00 de hoje em vigor, face à ameaça da nova variante Ómicron do vírus SARS-CoV-2, que pode ser responsável por cerca de 90% das infeções no final do ano.

As novas medidas foram decididas na terça-feira num Conselho de Ministros extraordinário e surgem cerca de um mês depois de o Governo ter aprovado uma estratégia de prevenção e combate à pandemia, que o surgimento da nova variante obrigou a atualizar. Muitas das medidas foram antecipadas face ao que tinha sido aprovado no Conselho de Ministros de 25 de novembro, como a "semana de contenção" após o Ano Novo, que foi alargada, vigorando a partir de hoje até 9 de janeiro, e que inclui o regresso ao teletrabalho obrigatório.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG