Agendamento a partir dos 60 anos já arrancou

O autoagendamento para a vacinação contra a covid-19 passou a contemplar as pessoas a partir dos 60 anos, em vez dos atuais 65.

As pessoas a partir dos 60 anos já podem fazer o agendamento para a vacinação contra a covid-19, que até agora estava reservado a maiores de 65 anos, disse à Lusa a "task force" da vacinação.

A decisão de antecipar a medida de alargar o autoagendamento para a vacinação às pessoas a partir dos 60 anos prendeu-se com o elevado ritmo de vacinação registado nos últimos dias, explicou à Lusa fonte da "task force".

À Lusa, o responsável revelou que houve pessoas acima dos 60 anos que já conseguiram uma marcação para quinta-feira, uma vez que serão vacinados em centros onde há menos procura.

Na sexta-feira, a equipa responsável pela operacionalização da vacinação tinha adiantado à agência Lusa que era expectável abrir o autoagendamento para os maiores de 60 anos.

Esta nova fase começou este fim-de-semana e espera-se que até ao final do mês as pessoas acima dos 60 anos tenham sido vacinadas com, pelo menos, uma dose.

O portal destinado ao auto agendamento para a vacinação começou a funcionar a 23 de abril, tendo registado, até ao início da semana passada, cerca de 206 mil inscrições para a toma da vacina contra a covid-19.

Portugal atingiu já um milhão de pessoas com a vacinação completa com a segunda dose ou com a inoculação com a vacina de toma única da Janssen, o que corresponde a mais de 10% da população portuguesa.

Na quinta e sexta-feira foram administradas mais de 100 mil doses por dia e a expectativa na task force é ter as pessoas acima dos 60 anos vacinadas com pelo menos uma dose até ao fim deste mês.

Sistema complexo de massivo

"Tratando-se de um sistema complexo e massivo e que se encontra em transição, optou-se nesta fase inicial abrir o autoagendamento somente a pessoas com mais de 65 anos, sendo expectável abrir o autoagendamento para as pessoas com mais de 60 anos no final da próxima semana ou início da seguinte", respondeu a 'task force' a uma questão enviada pela Lusa. Mas já este domingo, as datas foram alteradas sendo já possível marcar dia e hora para ser vacinado.

O autoagendamento visa dar continuidade ao aumento do ritmo de vacinação, com vista a ter toda a faixa etária acima dos 60 anos de idade vacinada com pelo menos a primeira dose "até ao final de maio ou na terceira semana de maio", como antecipou em 21 de abril a ministra da Saúde, Marta Temido.

A 'task force' responsável pela coordenação do plano de vacinação salientou também o papel do sistema de autoagendamento pela Internet na intensificação da administração de vacinas para o objetivo de 100 mil inoculações diárias, cuja marcação era anteriormente centralizada nos serviços de saúde, nomeadamente Administrações Regionais de Saúde (ARS) e Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES).

"Esta mudança permitiu um incremento muito significativo de agendamentos e a libertação de profissionais de saúde, que se encontravam empenhados no agendamento local, contribuindo de forma muito significativa para o necessário aumento do ritmo de inoculações. Sem esta mudança não seria possível atingir o ritmo de vacinação necessário", esclareceu a mesma fonte da 'task force'.

Em 23 de abril entrou em funcionamento o portal destinado ao auto agendamento para a vacinação, que tinha registado, até ao início desta semana, cerca de 206 mil inscrições para a toma da vacina contra a covid-19. Portugal atingiu já um milhão de pessoas com a vacinação completa com a segunda dose ou com a inoculação com a vacina de toma única da Janssen, o que corresponde a mais de 10% da população portuguesa.

Em Portugal, morreram 16.989 pessoas dos 838.852 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

O país registou este domingo uma morte atribuída à covid-19, 324 novos casos de infeção pelo novo coronavírus e uma ligeira subida no número de internamentos em enfermaria, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). Desde o início da pandemia, Portugal já contabilizou 839.582 casos de infeção confirmados e 16.992 óbitos.

Notícia atualizada às 14:30

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG