Queda de muro sucedeu durante "guerra de cursos"

Os estudantes que perderam a vida na queda de um muro junto de instalações da Universidade do Minho, em Braga, festejavam a vitória do seu curso numa "guerra" de palavras de ordem e de cânticos.

Em declarações à TSF, Maria Canelas, dirigente da estrutura que fiscaliza o cumprimento das praxes académicas, o Cabido dos Cardeais, explicou que os alunos de Engenharia Eletrónica que perderam a vida tinham subido para o muro para festejarem a sua vitória sobre os de Medicina numa "guerra de cursos".

Estas guerras de cursos "consite em palavras de ordem, cânticos que apelam ao curso. Apenas gritos de guerra e nada de contacto físico. E ganha o curso que conseguir gritar mais e fazer o outro curso desistir de gritar", explicou Maria Canelas.

Ainda à TSF, a dirigente do Cabido dos Cardeais garantiu que os estudantes subiram para o muro de forma espontânea, nada tendo a ver com a praxe. "Se fosse outra situação de festejo poderiam ter subido lá para cima, tal como todos os dias subiam pessoas para cima do muro", disse Maria Canelas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG