António Costa agradece à Madeira e à FPF ajuda no tratamento de doentes

O primeiro-ministro assinalou o regresso ao continente dos doentes que foram tratados no Funchal e a alta clínica recebida pelos últimos pacientes que foram tratados na Cidade do Futebol.

O primeiro-ministro António Costa agradeceu este domingo o auxílio do Governo Regional da Madeira e da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) no tratamento de doentes com covid-19, estendendo o agradecimento também aos profissionais de saúde por "todo o empenho".

"Regressaram ao continente, com alta, os últimos doentes covid-19 transferidos para a Madeira, onde estiveram um mês no Hospital Dr. Nélio Mendonça. Agradeço ao Governo da Madeira e todo o empenho dos profissionais de saúde que os acompanharam durante o processo de recuperação", escreveu António Costa na sua página oficial na rede social Twitter.

O chefe do Governo também referiu, através de outro tweet, que "ontem [sábado] saiu a última doente covid-19 da Casa dos Atletas que a Federação Portuguesa de Futebol transformou com o Ministério da Saúde em estrutura de apoio e por onde passaram dezenas de utentes", renovando os "agradecimentos à FPF por mais este exemplo e serviço prestado" a Portugal.

No sábado, o Serviço de Saúde da Madeira (Sesaram) indicou que dois doentes com covid-19 que foram transferidos no final de janeiro de Lisboa para o Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, já tiveram alta e regressaram ao continente.

Em 29 de janeiro, o Serviço de Saúde da Madeira recebeu três doentes com covid-19 em cuidados intensivos transferidos do Hospital Beatriz Ângelo (os dois que tiveram alta), em Loures, e do Centro Hospitalar Lisboa Ocidental (um utente que faleceu no dia 9 de fevereiro).

A transferência decorreu na sequência da disponibilidade manifestada pela Região Autónoma da Madeira para receber doentes críticos do Serviço Nacional de Saúde do continente, sendo que o transporte aéreo foi assegurado pelo Ministério da Defesa Nacional, através de um avião C130 da Força Aérea Portuguesa.

Um comunicado conjunto dos ministérios da Defesa e da Saúde esclareceu na altura que a operação contou com a "necessária autorização das respetivas famílias".

No dia 15 de janeiro, a FPF disponibilizou a Casa dos Atletas, na Cidade do Futebol, ao Ministério da Saúde, para funcionar como unidade de retaguarda para doentes que necessitem de internamento e vigilância médica.

Uns dias depois, aquele organismo federativo anunciou que as instalações, cedidas por um período de oito semanas, já estavam a receber doentes com covid-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG