Secretário de Estado da Proteção Civil demite-se

Artur Neves apresentou o pedido de demissão ao Ministro de Administração Interna. Esta manhã o seu gabinete foi alvo de buscas no âmbito de uma investigação ao negócio das golas antifumo

"Na sequência do pedido de exoneração, por motivos pessoais, do Secretário de Estado da Proteção Civil, o Ministro da Administração Interna aceitou o pedido e transmitiu essa decisão ao Primeiro-Ministro", informa o governo.

O governante deverá ser constituído arguido, tal como o seu ex-adjunto (que já se demitira antes por causa deste caso) e outros dirigentes da Proteção Civil, mas a Procuradoria-Geral da República (PGR) não confirmou ainda essa informação.

José Artur Neves, 54 anos, engenheiro civil, nasceu em Arouca, autarquia que presidiu durante 12 anos antes de ir para o governo.

Esta manhã o seu gabinete foi alvo de buscas das autoridades, no âmbito de um inquérito-crime dirigido pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) que investiga a aquisição de 70 mil golas antifumo e kits de proteção pessoal contra incêndios, no âmbito dos programas "Aldeia Segura" e "Pessoas Seguras".

Em causa factos suscetíveis de integrarem crimes de fraude na obtenção de subsídio, de participação económica em negócio e de corrupção.

A PJ e o MP realizaram um total de 54 buscas - 46 não domiciliárias e oito domiciliárias, entre as quais estariam as próprias residências de Artur Neves e do presidente da Proteção Civil, general Mourato Nunes.

Conforme o DN já avançou, a aquisição do material foi feita com apoio de financiamento europeu e as autoridades suspeitam de fraude neste contrato, cujo valor ficou o dobro do preço de mercado.

É a segunda vez este ano que o gabinete de Artur Neves foi alvo de buscas. Em maio, o ex-chefe de gabinete de Artur Neves, Adelino Mendes, demitiu-se quando foi constituído arguido, no âmbito de um inquérito-crime que investiga, precisamente, suspeitas de fraude na obtenção de subsídios comunitários. Também nessa altura houve buscas no gabinete do secretário de Estado.

Além da secretaria de Estado da Proteção Civil, foram também alvo de buscas outros gabinetes do ministério da Administração Interna, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) e Comandos Distritais de Operações de Socorro (CDOS). Também foram feitas buscas a empresas envolvidas no contrato.

Estiveram no terreno seis magistrados do DCIAP, cerca de 200 inspetores da Polícia Judiciária (PJ), elementos da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) e sete elementos do Núcleo de Assessoria Técnica (NAT) da Procuradoria-Geral da República.

Exclusivos

Premium

Rogério Casanova

Arquitectura fundida

Uma consequência inevitável da longevidade enquanto figura pública é a promoção automática a um escalão superior de figura pública: caso se aguentem algumas décadas em funções, deixam de ser tratadas como as outras figuras públicas e passam a ser tratadas como encarnações seculares de sábios religiosos - aqueles que costumavam ficar quinze anos seguidos sentados em posição de lótus a alimentar-se exclusivamente de bambu antes de explicarem o mundo em parábolas. A figura pública pode não desejar essa promoção, e pode até nem detectar a sua chegada. Os sinais acumulam-se lentamente. De um momento para o outro, frases suas começam a ser citadas em memes inspiradores no Facebook; há presidentes a espetar-lhes condecorações no peito, recebe convites mensais para debates em que se tenciona "pensar o país". E um dia, subitamente, a figura pública dá por si sentada à frente de uma câmera de televisão, enquanto Fátima Campos Ferreira lhe pergunta coisas como "Considera-se uma pessoa de emoções?" ou "Acredita em Deus?".

Premium

Maria do Rosário Pedreira

Ler e/ou escrever

Há muitos anos, recebi um original de ficção de uma autora estreante que pedia uma opinião absolutamente sincera sobre a sua obra. Designar por "obra" o que ainda não devia passar de um rascunho fez-me logo pensar em ego inflamado. Por isso decidi que, se a resposta fosse negativa, não entraria em detalhes, sob o risco de o castelo de cartas cair com demasiado estrondo. Comecei pela sinopse; mas, além de só prometer banalidades, tinha uma repetição escusada, uma imagem de gosto duvidoso, um parêntese que abria e não fechava e até um erro ortográfico que, mesmo com boa vontade, não podia ser gralha. O romance propriamente dito não era melhor, e recusei-o invocando a estrutura confusa, o final previsível, inconsistências várias e um certo desconhecimento da gramática.

Premium

João Lopes

A última tentação cinéfila

O ator Willem Dafoe é um dos homenageados do Lisbon & Sintra Film Festival: entre os seus títulos mais emblemáticos inclui-se A Última Tentação de Cristo, de Martin Scorsese, filme gerado num contexto de produção de Hollywood que já não existe.O ator Willem Dafoe é um dos homenageados do Lisbon & Sintra Film Festival: entre os seus títulos mais emblemáticos inclui-se A Última Tentação de Cristo, de Martin Scorsese, filme gerado num contexto de produção de Hollywood que já não existe.