Relatório final da comissão de inquérito à CGD aprovado por unanimidade

Relatório diz que Banco de Portugal falhou na supervisão, critica a gestão da CGD e aponta responsabilidade política ao governo de José Sócrates no "período mais crítico de 2005-2008".

O relatório final da comissão parlamentar de inquérito à Caixa Geral de Depósitos (CGD) foi esta quarta-feira aprovado por unanimidade.

Os deputados aprovaram o relatório às 21:20, depois de quase oito horas de debate e votações, incluindo duas horas à porta fechada.

As principais conclusões cerram fileiras contra o Banco de Portugal, que falhou na supervisão, criticam a gestão do banco, que não foi sã e prudente, a administração de Santos Ferreira, a falta de atenção de sucessivas tutelas e referem ainda a responsabilidade política do Governo de José Sócrates no "período mais crítico de 2005-2008".

A comissão foi aprovada em fevereiro e as audições arrancaram em março. Desde então houve 36 audições (com duração total de 136 horas e 32 minutos), depoimentos escritos de várias personalidades e entidades (como o ex-primeiro-ministro José Sócrates ou a Comissão de Ética do Banco de Portugal) e recebidos milhares de documentos.

Exclusivos