Ministro da Educação: "Este é o maior desafio na Europa para os sistemas educativos depois da II Guerra Mundial" 

Tiago Brandão Rodrigues recusou, no entanto, dizer se o ministério que tutela vai rever a data do final do ano.

"Este é o maior desafio na Europa para os sistemas educativos depois da II Guerra Mundial". A declaração foi feita por Tiago Brandão Rodrigues, durante o Jornal da Tarde, da RTP, este domingo. O ministro da Educação agradeceu a toda a comunidade escolar a responsabilidade com que estão a enfrentar a pandemia do covid-19 e que levaram ao encerramento de todos os estabelecimentos de ensino, de todos os anos, em Portugal, há uma semana.

Questionado sobre a possibilidade de revisão da data do final do ano letivo, o responsável pela pasta da Educação disse que "seria muito irresponsável falar sobre o que aí vem". "Volto a dizer: quem norteia a atividade do dia-a-dia e a programação daquilo que nós acabámos por decidir [são as autoridades de saúde]. O senhor primeiro-ministro disse de uma forma muito clara que no dia 9 de abril teremos uma reavaliação relativamente a esta situação. E seria muito irresponsável estar a dar agora orientações ou indicações", declarou.

O ministro da Educação garantiu ainda que as escolas têm-se adaptado à época, por um lado mantendo o ensino à distância e por outro continuando com as suas obrigações sociais. Exemplo disso serão as 5500 refeições diárias que são asseguradas aos alunos carenciados, segundo Tiago Brandão Rodrigues,

Estão também a ser trabalhadas soluções com as câmaras municipais, as forças de segurança, as televisões e os CTT para continuar a desenvolver mecanismos de apoios aos estudantes em casa. "Estamos a tentar não deixar ninguém para trás", disse, apesar de admitir que há alunos e até professores que não têm acesso a um computador em casa, por exemplo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG