Vetado projeto polémico de Souto Moura para a Praça das Flores

Tribunal Central Administrativo do Sul não encontrou justificação para a demolição dos edifícios existentes para dar lugar ao projeto do arquiteto.

Segundo o Público, os juízes decidiram suspender a construção de um edifício desenhado por Souto Moura entre o Príncipe Rela e São Bento, como defendiam três associações de defesa do património que contestavam o projeto.

Foi assim aceite o recurso da Associação Portuguesa de Casas Antigas, da Associação Portuguesa de Património para a Reabilitação Urbana e Proteção do Património e do Grémio de Património, que tinham perdido a causa em primeira instância. O tribunal entendeu que se deve dar prioridade à reabilitação dos prédios e não à construção nova.

Com esta decisão, ficou suspenso o despacho do vereador do Urbanismo, Manuel Salgado, - que o DN não conseguiu contactar até ao momento - que licenciou a obra em setembro de 2015. Esta é, aliás, a segunda decisão judicial, no espaço de quinze dias. a suspender obras autorizadas pela Câmara de Lisboa. A primeira diz respeito à construção do Museu Judaico, no Largo de S. Miguel, em Alfama, cuja aprovação o tribunal considerou que tinha violado o Plano de Urbanização do Núcleo Histórico de Alfama e Colina do Castelo.

Ler mais

Exclusivos