Jovem que morreu atropelada na Moita era irmã de Yannick Djaló

Atropelamento ocorreu pouco depois das 2:00 numa rua que estava interdita ao trânsito. Foi decretada prisão preventiva para o suspeito

A jovem de 17 anos que morreu na sequência de um atropelamento, ocorrido hoje de madrugada, nas festas da Moita, no distrito de Setúbal, era irmã de Yannick Djaló. De acordo com o jornal Record, que avança a notícia, o futebolista era muito próximo de Açucena e irá a regressar da Tailândia ainda este fim de semana. Segundo fonte próxima da família, a adolescente estaria a regressar a casa com um grupo de amigos quando foi atropelada.

O suspeito do atropelamento com um veículo ligeiro de passageiros foi detido pela GNR, que policiava a zona das festas, ainda no interior da viatura. Outras cinco pessoas ficaram feridas. O Tribunal do Barreiro declarou entretanto prisão preventiva para o homem de 21 anos, indiciado de 12 crimes, 10 deles de homicídio qualificado na forma tentada, um de homicídio qualificado e um outro de condução perigosa.

O atropelamento ocorreu pouco depois das 2:00 na Rua Silva Evaristo, que estava interdita ao trânsito devido às festas, indicou a fonte. Um outro irmão de Djaló assistiu ao atropelamento, revela o jornal.

Alegando desconhecer se o atropelamento foi propositado ou não, a fonte da guarda referiu que a rua estava cortada ao trânsito e que para o automóvel entrar tiveram de ser desviadas as baias de segurança.

"O indivíduo atropelou seis pessoas", disse a mesma fonte, referindo que a jovem de 17 anos, irmã de Yannick Djaló, ainda foi transportada para o Hospital Garcia de Orta, em Almada, onde acabou por morrer.

O futebolista tinha uma relação muito próxima com a irmã mais nova, a quem chamava "a minha menina".

Os cinco feridos, considerados ligeiros, foram transportados para o hospital do Barreiro.

A fonte da GNR escusou-se a divulgar mais pormenores sobre o suspeito, incluindo a idade, indicando apenas ser um homem, que vai ser presente hoje ao Tribunal do Barreiro para aplicação de eventuais medidas de coação.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal disse à Lusa que o socorro mobilizou os bombeiros da Moita e a GNR, além de terem sido acionadas as viaturas médicas de emergência e reanimação (VMER) de Setúbal e Almada.

O CDOS de Setúbal recebeu o alerta às 02:31.

(Notícia atualizada às 12.44).

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG