Um mexicano, um romeno e uma ucraniana. PSP trava carteiristas em elétrico

PSP deteve o trio em flagrante delito no elétrico 15, onde atuavam sempre com os turistas como alvo. O líder, que já estava proibido de andar nos elétricos, foi o único que ficou em prisão preventiva.

Um mexicano, um romeno e uma ucraniana formavam um improvável trio de carteiristas profissionais que atuava em Lisboa, sobretudo no interior do elétrico 15. E foi neste local, no próprio transporte, que foram detidos pela PSP, através da Divisão de Investigação Criminal, na quarta-feira de manhã por serem suspeitos da prática de crimes de furto qualificado.

Os suspeitos, com idades entre os 37 e os 64 anos, estavam "amplamente conotados e referenciados por furtos de carteiras a turistas no interior do elétrico 15". Apesar da diferença de nacionalidade e de idades, tinham um denominador comum, "a apetência e o saber da arte do furto de carteiras em transportes públicos pelo que reiteradamente se juntavam, mediante um plano que ardilosamente anteviam, para subtrair pertences a turistas naquele local com extrema coordenação e divisão de funções entre eles", explicou fonte da PSP.

Perante a situação, foi montado um dispositivo de Investigação Criminal orientado para desmantelar o bando. Os agentes acabaram por visualizar um flagrante delito quando os suspeitos se acercaram de uma turista de 72 anos de idade e da mochila que a mesma trazia às costas, subtraindo-lhe um estojo com produtos de beleza avaliado em 55 euros. Os três foram detidos e os bens restituídos à vítima.

As diligências investigatórias prosseguiram e permitiram indiciar o grupo por um total de cinco furtos qualificados, em que o total de bens furtados tem um valor estimado em cerca de 1000 euros.

De acordo com fonte policial, o esquema estava bem montado. Um dos homens assumia-se como líder e surge em várias situações investigadas. Possui já condenações pelo mesmo tipo de crime, estando inclusive proibido de frequentar os elétricos de Lisboa, além de estar obrigado a efetuar apresentações diárias. Este homem era o especialista do trio em retirar os pertences aos turistas, "o que fazia sempre com extrema arte e sem as vítimas se aperceberem".

Os detidos foram presentes no DIAP de Lisboa indiciados em cinco furtos qualificados, tendo depois um juiz decidido aplicar a medida de coação mais gravosa de prisão preventiva ao líder e apresentações periódicas aos restantes.

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

Onde pára a geração Erasmus? 

A opinião em jornais, rádios e televisões está largamente dominada por homens, brancos, nascidos algures no século passado. O mesmo se passa com jornalistas e políticos que fazem a maior parte dos comentários. Este problema está há muito identificado e têm sido feitos alguns esforços para se chegar a uma maior diversificação desta importante função dos órgãos de comunicação social. A diversidade não é receita mágica para nada, mas a verdade é que ela necessariamente enriquece o debate. Quando se discute o rendimento mínimo de inserção, por exemplo, o estatuto, a experiência, o ponto de vista importa não só dentro da dicotomia entre esquerda e direita, mas também consoante as pessoas envolvidas estejam mais ou menos directamente ligadas aos efeitos das políticas em discussão. Esta constatação é demasiadamente banal para precisar de maior reflexão. Acontece que, paradoxalmente ou não, se tem assistido a uma maior diversificação social entre a classe política activa do que propriamente entre aqueles que sobre ela opinam.

Premium

Viriato Soromenho Marques

Na hora dos lobos

Na ação governativa emergem os sinais de arrogância e de expedita interpretação instrumental das leis. Como se ainda vivêssemos no tempo da maioria absoluta de um primeiro-ministro, que o PS apoiou entusiasticamente, e que hoje - acusado do maior e mais danoso escândalo político do último século - tem como único álibi perante a justiça provar que nunca foi capaz de viver sem o esbulho contumaz do pecúlio da família e dos amigos. Seria de esperar que o PS, por mera prudência estratégica, moderasse a sua ação, observando estritamente o normativo legal.