Quinto infetado por covid-19 em Portugal é professor no Politécnico do Porto

Fonte da Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (ESMAE), no Porto, confirmou ao DN que um dos seus docentes está infetado e que o estabelecimento vai encerrar indefinidamente

O quinto infetado por covid-19 em Portugal é professor na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (ESMAE), que faz parte do Instituto Politécnico do Porto (IPP), e regressou recentemente de Itália.

A notícia, avançada pelo JN, foi confirmada ao DN junto de fonte do estabelecimento de ensino superior, que vai encerrar portas indefinidamente. Às 18.30, a direção da escola estava reunida com as autoridades a deliberar o que vai fazer.

"Vamos suspender a atividade letiva a partir de quinta-feira porque o número de pessoas que temos em isolamento social não nos permite continuar a manter a escola a funcionar. Não estão infetadas, atenção, estão apenas em isolamento social", adiantou à Lusa o presidente do Instituto Politécnico do Porto (IPP), João Rocha, onde está integrada esta escola.

Os funcionários da ESMAE receberam recomendações do delegado de saúde e as pessoas que tiveram contacto mais próximo com o professor infetado deverão ficar em isolamento.

Na escola circulam entre 800 a 1000 pessoas, entre professores, alunos e funcionários.

Nesta quarta-feira, numa nota enviada às redações, a DGS informa que esta quinta-feira foi confirmado este quinto caso positivo para a doença Covid-19, que provoca infeções respiratórias como a pneumonia, e que o homem de 44 anos está no Centro Hospitalar Universitário de São João. "A situação clínica está estável", acrescenta.

Além deste homem, foram reportados com resultados positivos para o novo coronavírus dois outros casos no Porto, um em Coimbra e outro em Lisboa.

No boletim divulgado na terça-feira ao final do dia, a DGS indicava a existência de 101 notificações de casos suspeitos.

O surto de Covid-19, detetado em dezembro, na China, e que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou cerca de 3.200 mortos e infetou mais de 93 mil pessoas em 78 países, incluindo cinco em Portugal. Das pessoas infetadas, cerca de 50 mil recuperaram.

Além de 2.983 mortos na China, há registo de vítimas mortais no Irão, Itália, Coreia do Sul, Japão, França, Hong Kong, Taiwan, Austrália, Tailândia, Estados Unidos da América, Filipinas e Iraque.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG