Primeiros dois casos de covid-19 em prisões portuguesas

Foram detetados os dois primeiros casos confirmados de infeção por covid-19 em prisões portuguesas. Em ambos os casos tinham saído saído em precária.

Dois reclusos testaram positivo à covid-19 no regresso aos seus estabelecimentos prisionais, após saídas de curta duração, tendo sido transferidos para o Hospital Prisional, informou nesta terça-feira a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP).

Em resposta à agência Lusa, a DGRSP refere que na segunda-feira "foram confirmadas duas situações de positivo à covid 19 "em reclusos que, após saída de curta duração (...) regressaram aos seus estabelecimentos prisionais".

Uma situação - precisa a DGRSP - diz respeito a um recluso do Estabelecimento Prisional (EP) de Pinheiro da Cruz que, tendo regressado ao EP em 11 de maio, estava em isolamento profilático sob vigilância médica, em espaço celular especificamente destinado ao efeito.

Este recluso, adianta a DGRSP, apresentou sintomas de doença em 15 de maio, tendo sido testado e acusado positivo à covid 19. O recluso foi encaminhado para o Hospital Prisional de Caxias para internamento e tratamento.

"O seu contacto, ocasional, de proximidade com risco de contágio foi identificado e, na sequência de articulação com a saúde pública, está em isolamento e sob vigilância de sintomas, aguardando que lhe seja realizado teste", indica ainda a Direção-Geral.

A outra situação reportada é a de um recluso do Estabelecimento Prisional de Vale de Judeus que regressou ao EP em 09 de maio e se encontrava, por isso, em isolamento profilático sob vigilância médica, em espaço celular especificamente destinado ao efeito.

Este recluso de Vale de Judeus apresentou sintomas de doença em 13 de maio, tendo sido testado e acusado positivo à Covid 19, tendo sido igualmente encaminhado para o Hospital Prisional para internamento e tratamento.

Também nesta situação, e de acordo com a DGRSP, os seus dois contactos, ocasionais, de proximidade com risco de contágio foram identificados e, na sequência articulação com a saúde pública, estão os mesmos em isolamento e sob vigilância de sintomas, tendo já sido realizados os testes.

À margem destes dois casos, a DGRSP lembra que "a outra situação de positivo à covid 19 entre reclusos disse respeito a uma cidadã estrangeira que foi presa por órgão de polícia criminal numa fronteira terreste e que se encontrava doente à altura da prisão".

Aquela cidadã estrangeira foi, na atura, conduzida ao Hospital Prisional onde "foi tratada e de onde já teve alta clínica após dois testes negativos".

O problema da eventual propagação do coronavírus entre a população reclusa levou o governo a aprovar, durante a pandemia, medidas excecionais que resultaram num perdão de penas para crimes de menor gravidade e no aumento de dias de saída precária.

Portugal contabiliza 1.247 mortos associados à covid-19 em 29.432 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG