Mortos com covid-19 em Portugal sobem para 4 com primeira vítima em Ovar, anunciada por autarca

É a primeira morte registada em Ovar, concelho que está em estado declarado de calamidade pública, sujeito a cerca sanitária, com controlo de fronteiras.

O concelho de Ovar, no distrito de Aveiro, registou esta quinta-feira a primeira vítima mortal devido ao novo coronavírus, elevando para quatro o número de mortos em Portugal. A informação foi dada pelo presidente da câmara, Salvador Malheiro, na sua página de Facebook.

"Faleceu hoje no nosso município a primeira vítima mortal do vírus covid-19.Os meus mais sentidos pêsames à família", escreveu o autarca na rede social.

O concelho está em estado declarado de calamidade pública e sujeito a cerca sanitária, com controlo de fronteiras.

Segundo fonte da corporação local de bombeiros, em causa está uma octogenária da freguesia de São João de Ovar que estaria à guarda de um lar de idosos.

Autarquia contabiliza "para cima de 50 infetados". Mais do que os que estão a ser divulgados, diz autarca

"Tive a informação por parte da delegada de saúde de Ovar que se trata de uma senhora de idade avançada, entre os 80 e os 90 anos. É com grande tristeza que recebemos esta informação", disse Salvador Malheiro em declarações à RTP3.

O autarca avançou que o município "está a montar um hospital de campanha, um posto de triagem", de modo a minimizar o surto de covid-19 na população de Ovar que está muito "pesarosa" com a atual situação que se vive no concelho.

O que se vive em Ovar é grave, afirmou Salvador Malheiro, indicando que teve conhecimento de cinco novos casos de infeção no concelho. "Uma família inteira de São João de Ovar", especificou.

Salvador Malheiro dirigiu-se à família da falecida endereçando os seus pêsames, admitindo que novas vítimas possam surgir nos próximos tempos, tendo em conta que o registo da autarquia já contabiliza mais infetados no concelho do que os estão a ser divulgados pelas autoridades.

O autarca explicou que isso se pode dever a dificuldades de comunicação num período de atividade muito intensa para as entidades da saúde e da Proteção Civil, e declara: "Casos confirmados pela Direção Geral de Saúde [do Centro] nós temos apenas 37, mas os casos que eu conheço neste momento já são para cima de 50".

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, foi detetado em dezembro de 2019 e entretanto infetou já mais de 220 000 pessoas em todo o mundo. Dessas, mais de 9 000 morreram e mais de 85 500 recuperaram.

O surto começou na China, que contabiliza 80 894 infetados, 69 614 recuperações e 3 237 mortos.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde elevou, esta quinta-feira, o número de casos confirmados de infeção para 785, mais 143 do que na quarta-feira. As mortes no país são três, assim como o número de doentes recuperados.

Entre os casos confirmados, 696 estão a recuperar em casa e 89 estão internados, dos quais 20 em Unidades de Cuidados Intensivos. Até quarta-feira havia ainda 6 061 casos suspeitos e 8.091 contactos sob vigilância das autoridades de saúde.

Portugal encontra-se desde as 00:00 desta quinta-feiar em estado de emergência e assim se manterá até às 23:59 do dia 02 de abril, o que prevê a possibilidade de confinamento obrigatório e compulsivo dos cidadãos em casa, assim como restrições à circulação na via pública.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG