Aumento brutal do número de recuperados. Serão no domingo 17 357

Mais 271 casos novos e 13 mortes nas últimas 24 horas. Recuperados são agora 7705, número que vai aumentar devido a um acrescento de 9652 casos. Marta Temido admitiu falhas nos vencimentos dos enfermeiros e revelou que o Governo não vai testar o Pré-Escolar. Sintra continua a registar novos casos e entra para o grupo dos sete concelhos com mais de mil infetados.

Em Portugal, nas últimas 24 horas, morreram mais 13 pessoas. Foram ainda registados mais 271 casos de covid-19 e desses só 186 foram na zona de Lisboa. Segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), deste sábado (23 de maio), há agora no país 30 471 infetados, 7705 recuperados (mais 115 do que no dia anterior) e 1302 vítimas mortais desde o início da pandemia.

Há muito que se questionava as autoridades de saúde sobre a fraca evolução quanto aos recuperados. Agora chegou a explicação, pela voz da ministra da Saúde, que anunciou um aumento de 9652 casos já no domingo, após um acerto de números, Em causa os doentes recuperados que foram registados na plataforma Trace Covid , que não forma contabilizados. "Há 9652 casos que têm registo de recuperado no Trace Covid, sendo que têm pelo menos um teste negativo, e que amanhã [domingo] entrarão para os casos recuperados", informou Marta Temido, este sábado, na conferência de Imprensa diária.

Até agora o registo de utentes recuperados que consta no relatório diário tinha como base única exclusivamente as notificação dos hospitais e unidades de saúde. Onde, segundo o boletim deste sábado, foram recuperadas 7705 pessoas com covid-19. Assim, no domingo os recuperados passarão a ser mais do dobro do atual, 17 357 - mais os que recuperarem nas próximas 24 horas.

O número de recuperados passa assim a ser mais de 50% do número total de infetados por Covis-19 em Portugal (30 200). Já a taxa de letalidade foi de 4, 3%, segundo a ministra da Saúde Marta Temido. Nesta altura há mais de 26 mil pessoas sob vigilância das autoridades de Saúde. Dos Em internamentos há 550 pessoas, 80 em cuidados intensivos (menos 26 do que na sexta-feira).

O boletim da DGS indica ainda que o sintoma mais comum entre os infetados é a tosse (que afeta 41% dos doentes), seguida da febre (29%) e de dores musculares (21%).

Falhas nos vencimentos dos enfermeiros infetados "corrigidas"

Marta Temido admitiu falhas no vencimento dos enfermeiros infetados, um caso denunciado pela Ordem dos Enfermeiros. "Houve atrasos na entrega de alguns formulários necessários para que os processamentos remuneratórios fossem feitos em algumas instituições", disse a ministra da Saúde, revelando que "essa situação já foi corrigida" e que se manterá "atenta" a situações que possam ser "especialmente gravosas para os profissionais de saúde".

A ministra revelou ainda que o Instituto Nacional Ricardo Jorge vai intensificar vigilância e controlo sobre laboratórios que fazem testes covid-19 já para a semana. Em causa a notícia do Expresso sobre falsos positivos, nos testes feitos pela Unilabs , empresa escolhida pela Liga para testar os jogadores e profissionais de futebol. Em onze testes no Vit. Guimarães e Famalicão, acertaram apenas em dois. Os outros nove foram inconclusivos.

Marta Temido revelou este sábado, na conferência de Imprensa diária conjunta com a DGS, que o Governo não planeia testar o pré-escolar: "O tipo de contacto dos profissionais no pré-escolar não é o mesmo do que com as crianças de mais tenra idade. O que admitimos é que o tipo de risco é diferente e a utilidade dos testes também é diferente."

Lisboa lidera. Casos na Azambuja ligada a períodos de "relaxamento"

Os novos casos em Lisboa e Vale do Tejo (mais 186 nas últimas 24 horas), a maioria na zona da Azambuja, podem explicar-se com "momentos de relaxamento" nos locais de trabalho e não são reflexo do desconfinamento, segundo Marta Temido. "Não serão os incumprimentos das regras gerais pelas estruturas laborais que estarão a originar, provavelmente, estes focos. Mas sim algum relaxamento nos momentos que não são de trabalho formal - almoço, mudas de roupa, eventual utilização de meios de transporte coletivos, que não transporte públicos", afirmou a ministra da Saúde, admitindo que esses focos de contágio preocupam.

A ministra admite que o problemas pode ser agravado devido às condições de vida que por vezes não permite o cumprimento das regras como a partilha de casa, mas lembrou a importância de cumprir as regras sanitárias. "Não quereríamos que a uma chaga social, que hoje já é representada pelo trabalho precário, se junte também uma chaga sanitária", concluiu.

A Área Metropolitana de Lisboa continua a liderar a lista de novos casos. Dos 271 novos positivos, 186 foram na região da capital, que totaliza agora 9292 casos e 309 mortes. Sintra também continua a subir e entrou para a lista dos sete concelhos com mais de mil casos. A saber: Lisboa (2146), Vila Nova de Gaia (1551), Porto (1347), Matosinhos (1264), Braga (1205), Gondomar (1073) e Sintra (1006).

O norte registou mais 68 casos nas últimas 24 horas e continua a ser a região que totaliza mais infetados e onde mais se morre, com 16 664 positivos e 732 mortes. Já no centro houve apenas a registar mais 12 casos do que na sexta-feira, num total de 3676 e 230 mortes. No Alentejo registaram-se mais dois casos (251 no total e uma morte) e no Algarve mais três (361 no total e 15 mortes).

A Madeira (90 casos e zero mortes) e os Açores (135 casos e 15 mortes) não tiveram qualquer infetado nas últimas 24 horas.

Viajar de avião não é a mesma coisa que ver um espetáculo numa sala?

Questionada sobre a disparidade das medidas decretadas que permitem viajar de avião sem limitações de passageiros face às restrições impostas às salas de espetáculo, por exemplo, que têm de reduzir a lotação a um x do máximo total, Graça Freitas lembrou que e cada caso é um caso. A diretora-geral da Saúde explicou que o regulador recomenda medidas de distanciamento tanto nos aeroportos como nos aviões, mas deixa ao critério das transportadoras a questão da lotação dos aviões, que varia muito até pelas características do próprio avião. "Nós sabemos que seja em que situação for está recomendada a utilização de máscara tanto pela tripulação como pelos passageiros", explicou, admitindo alguma "flexibilidade" das companhias aéreas.

A diretora-geral de Saúde, Graça Freitas, desconhece óbitos entre médicos, por causa de covid-19, e lançou um repto a que os médicos registem a profissão das pessoas que morrem quando possível. "Preencham essa informação no certificado de óbito. Nós só conseguimos reportar informação que nos é reportada. Interessa a todos perceber a dinâmica da mortalidade por grupo profissional não só entre os médicos e os profissionais de saúde mas todos os grupos", conclui Graça Freitas.

Média de infetados no País

Por cada 10 mil habitantes, em Portugal, 29,1 estão ou estiveram infetados com o novo coronavírus, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), que se referem a quarta-feira, mas divulgados esta sexta. Estes números representam um aumento de 12% em relação à última publicação deste balanço, a 6 de maio.

"O número de casos confirmados com a doença covid-19 por 10 mil habitantes foi acima do valor nacional em 53 municípios", indica ainda o INE. Destes, 36 municípios localizam-se na região Norte, destacando-se o conjunto de municípios contíguos da Área Metropolitana do Porto com mais de 50 casos confirmados por 10 mil habitantes: Valongo, Matosinhos, Maia, Gondomar, Porto, Santo Tirso e Vila Nova de Gaia.

Também alguns municípios das regiões Centro (12), da Área Metropolitana de Lisboa (Lisboa, Loures e Amadora), Alentejo (Moura) e Região Autónoma dos Açores (o município de Nordeste) apresentavam valores acima da média nacional (29,1).

Mais de cinco milhões de casos em todo o mundo

O novo coronavírus já infetou mais de 5,3 milhões de pessoas no mundo inteiro, até este sábado, segundo dados oficiais. E desses há mais de dois milhões de casos ativos, sendo que perto de 50 mil estão em estado crítico. Há agora 2, 1 milhões de recuperados e 340 38 mortes a registar.

Os Estados Unidos da América são o país com a maior concentração de casos (1 645 353) e de mortes (97 655). Em termos de número de infetados, seguem-se a Rússia (335 882 e 3388 mortes) e o Brasil (334 582 e 21215 mortes). Apesar de aparecer apenas em quinto lugar na lista mundial, depois da Espanha (281 904 e 28 628 mortes), o Reino Unido regista a segunda maior taxa de mortalidade a nível mundial, com 36 393 em 254 195 casos.

Portugal surge em 28.º lugar nesta tabela.

Segundo a Organização Mundial de Saúde há agora 12 países sem casos reportados, depois de aparecerem dois casos no Lesoto. Turquemenistão, Coreia do Norte, no continente asiático e ainda Micronésia, Ilhas Marshall, Nauru, Kiribati, Ilhas Salomão, Tuvalu, Vanuatu, Samoa, Tonga e Palau na Oceania.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG