Recuperados ultrapassam mortes por covid-19 em Portugal. Casos sobem 2,5%

O país tem agora, no total, 21379 casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus (mais 516 que ontem) e 762 vitimas mortais (mais 27), segundo o boletim da DGS desta terça-feira. Recuperados aumentaram 307, nas últimas 24 horas.

Em Portugal, nas últimas 24 horas, morreram mais 27 pessoas e foram confirmados mais 516 casos de covid-19. Segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), desta terça-feira (21 de abril), há agora no país 21379 infetados, 762 vítimas mortais e 917 recuperados (mais 307 que ontem). É o primeiro dia, desde o início do surto, em que o número de curados ultrapassa o de mortos.

Estão internadas 1172 pessoas (menos 36 que esta segunda-feira), destas 213 encontram-se nos cuidados intensivos (menos dois). O que significa que 86,7% doentes estão a receber tratamento no domicílio. Aguardam resultados laboratoriais 5009 pessoas e estão em vigilância pelas autoridades de saúde mais de 30 mil.

Continua a não registar-se nenhum óbito abaixo dos 40 anos de idade e a taxa de letalidade do país encontra-se nos 3,6%, sendo de 12,7% nas pessoas acima dos 70 anos - as principais vitimas mortais.

Ainda em relação aos óbitos, há um equilíbrio entre os dois sexos. Até agora, morreram 380 homens e 382 mulheres. Isto apesar de 59% dos casos de infetados dizerem respeito ao sexo feminino.

Durante a habitual conferência de imprensa, o secretário de estado da Saúde, António Lacerda Sales, informou que a sexta-feira passada (dia 17 de abril) foi o dia em que mais testes se fizeram no país. Foram realizados 14 500 testes de diagnóstico para a covid-19, que integram os 274 mil feitos desde o dia 1 de março.

António Lacerda Sales referiu ainda que "há neste momento cerca de 300 Estruturas Residenciais Para Idosos (ERPI) com casos de utentes ou funcionários infectados". "Estamos a falar de 12% do universo de ERPI com casos confirmados. Nestas instituições, cerca de 65% dos funcionários já foram testados", acrescentou.

"Não é altura própria" para pensar em compensações aos profissionais de saúde

Questionado pelo DN sobre se está a ser equacionado algum complemento de compensação ou algum subsídio de risco para os profissionais de saúde, o secretário de estado da Saúde respondeu: "É uma questão que deverá ser ponderada a médio prazo, não é a altura própria para o fazer, uma vez que tantos portugueses passam dificuldades".

Já sobre o atraso no aumento de 0,3% para a função pública que abrange os profissionais de saúde e que, por isso, não o irão receber já em abril, mas sim em maio, o governante esclareceu que se tratou de uma dificuldade de procedimentos informáticos. "Lamentamos a situação, mas que fique claro que a situação será devidamente regularizada com retroativos ao dia 1 de janeiro", disse António Lacerda Sales.

Noutro tema, em resposta ao DN, o governante declarou que "não se compreende" que haja pessoas curadas de covid-19, com alta hospitalar, mas ainda em camas nas unidades de saúde, porque os familiares não os foram buscar. A denuncia foi feita pelo Hospital de Vila Nova de Gaia e António Lacerda Sales indica que têm de ser "encontradas soluções ao nível de respostas locais".

Norte tem 60% dos casos nacionais, mas Lisboa é o município com mais infetados

Sem surpresa, a região norte continua a ter mais de metade (60%) dos casos de covid-19 do país e de mortes. Esta terça-feira, regista 12 806 casos e 441 óbitos.

Segue-se a região de Lisboa e Vale do Tejo (4896, 133) e o centro (2999, 171). Depois o Algarve (313, 11 - sem aumento das vitimas mortais nas últimas 24 horas), o Alentejo (173 casos e ainda sem nenhuma vitima mortal), os Açores (107, 6 - os dados mantém-se inalterado em relação a ontem) e a Madeira (85 e também sem mortes).

Já a nível municipal, Lisboa é o concelho com maior número de doente (1145). Acima dos mil infetados estão também o Porto (1071) e Vila Nova de Gaia (1066).

Mais de 171 mil mortes no mundo

Há 2 497 177de infetados com covid-19 no mundo inteiro, segundo os dados oficiais, atualizados às 10:20 desta terça-feira. Morreram 171 244 pessoas e recuperaram 656 116.

Os Estados Unidos da América são o país mais afetado com o surto do novo coronavírus, acumulando 792 938 doentes e 42 518 mortes. Espanha é a segunda nação com maior número de casos (204 178, mais 3 968 nas últimas 24 horas) e a terceira com mais óbitos declarados (21 282 - mais 430 que ontem).

Segue-se Itália, com 181 228 casos confirmados e com 24 114 vitimas mortais. E depois, França, Alemanha, Reino Unido. Portugal é, neste momento, o 17.º país do mundo com mais infetados de covid-19.

Recomendações da DGS

Para que seja possível conter ao máximo a propagação da pandemia, a Direção-Geral da Saúde continua a reforçar os conselhos relativos à prevenção: evite o contacto próximo com pessoas que demonstrem sinais de infeção respiratória aguda, lave frequentemente as mãos (pelo menos durante 20 segundos), mantenha a distância em relação aos animais e tape o nariz e a boca quando espirrar ou tossir (de seguida lave novamente as mãos). E acima de tudo: fique em casa.

Em caso de apresentar sintomas coincidentes com os do vírus (febre superior a 38º, tosse persistente, dificuldade respiratória), as autoridades de saúde pedem que não se desloque às urgências, mas sim para ligar para a Linha SNS 24 (808 24 24 24) ou para a unidade de cuidados primários mais próxima.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG