Magina da Silva é o novo diretor nacional da PSP

Aos 54 anos, vai substituir Luís Farinha, que estava no cargo desde novembro de 2013 e cujo mandato já tinha terminado em novembro de 2019.

O superintendente-chefe Manuel Augusto Magina da Silva foi esta quarta-feira nomeado diretor nacional da Polícia de Segurança Pública (PSP), anunciou o Ministério da Administração Interna (MAI).

Magina da Silva vai substituir Luís Farinha, que estava no cargo desde novembro de 2013 e cujo mandato já tinha terminado em novembro de 2019.

"O primeiro-ministro e o ministro da Administração Interna nomearam o superintendente-chefe Manuel Augusto Magina da Silva para o cargo de diretor nacional da Polícia de Segurança Pública", refere uma nota do gabinete do ministro Eduardo Cabrita.

Magina da Silva, de 54 anos, exerce as funções de diretor nacional adjunto para a Unidade Orgânica de Operações e Segurança da PSP desde agosto de 2015, as funções de Diretor Nacional Adjunto para a Unidade Orgânica de Operações e Segurança da PSP.

No início de janeiro, cinco superintendentes-chefes da PSP foram chamados ao gabinete do ministro da Administração Interna, para serem auscultados no âmbito do processo de substituição de Luís Peça Farinha. Entre os oficiais que reuniram separadamente com Cabrita, estavam Manuel Magina da Silva, José Torres, DNA (Diretor Nacional Adjunto) para a Logística e Finanças, Abílio Pinto Vieira, o DNA dos Recursos Humanos, Paulo Lucas, comandante da PSP do Porto e José Barros Correia, diretor dos Serviços Sociais desta força de segurança.

Paulo Lucas e José Barros Correia eram os nomes mais falados para subirem ao topo da hierarquia, por isso a nomeação de Magina da Silva acabou por se revelar surpreendente.

Segundo o MAI, Magina da Silva é licenciado em Ciências Policiais pelo Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna (ISCPSI) e concluiu os cursos de operações especiais, de direção e estratégia policial e de auditor de defesa nacional.

Visita do Papa Bento XVI e cimeira da NATO no currículo

O MAI indica também que o novo diretor nacional da PSP participou em diversas ações de intercâmbio no domínio técnico e tático envolvendo Unidades de Operações Especiais contraterroristas de diversos países e foi perito nacional no Grupo de Trabalho Técnico para Grandes Eventos e Informação relacionada com Terrorismo (METRI PRUM).

Enquanto Comandante da Unidade Especial de Polícia, entre maio de 2008 e fevereiro de 2012, participou no planeamento e no comando de diversas operações policiais complexas e de elevado risco, ocorridas em território nacional, nomeadamente as relacionadas com a realização da Cimeira Ibero-Americana (novembro de 2009), a visita do Papa Bento XVI (maio de 2010) e a realização da cimeira da NATO (novembro de 2010), destaca a nota do MAI.

No desempenho das funções de diretor nacional adjunto para a Unidade Orgânica de Operações e Segurança exerceu o comando estratégico de diversas operações policiais complexas relacionadas com a gestão da segurança de grandes eventos desportivos e manifestações com dimensão nacional.

O MAI refere ainda que a cerimónia de tomada de posse do novo diretor nacional da PSP está marcada para segunda-feira no Ministério da Administração Interna.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG