Limitações à circulação. Cabrita lembra que elenco de municípios pode ser revisto

Ministro da Administração Interna fez o balanço das primeiras horas de recolhimento obrigatório e concluiu que houve "adesão generalizada" das pessoas aos limites impostos.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, garantiu hoje que houve "uma adesão generalizada" das pessoas aos limites de circulação impostos pelo Governo devido à pandemia de covid-19, e apelou ao respeito pelas regras anunciadas pelo Governo.

No passado sábado, após uma reunião extraordinária do Conselho de Ministros, o Governo anunciou medidas restritivas de circulação nos 121 municípios com mais casos de infeção por covid-19, na sequência do estado de emergência decretado pelo Presidente da República.

Foi instituída a proibição de circulação na via pública entre as 23:00 e as 05:00, e para os próximos dois fins de semana a mesma medida mas a partir das 13:00, também nos 121 concelhos.

Hoje, Eduardo Cabrita coordenou uma reunião da Estrutura de Monitorização do Estado de Emergência (que entrou em vigor às 00:00 de segunda-feira), após a qual disse que nestes dois dias de limitação de circulação as forças de segurança verificaram uma "adesão generalizada dos cidadãos" e uma "baixíssima" circulação, com os cidadãos interpelados pelas autoridades a invocarem, na generalidade, razões que justificavam a presença na via pública.

A Estrutura de Monitorização acompanha as medidas em vigor no âmbito do estado de emergência e integra representantes da Guarda Nacional Republicana, da Polícia de Segurança Pública, do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras e da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, bem como Secretários de Estado das várias áreas governativas e de coordenação regional.

Eduardo Cabrita apelou e insistiu no respeito pelas regras, e disse que no próximo Conselho de Ministros de quinta-feira o Governo vai reavaliar a situação epidemiológica relativamente aos municípios e admite a possibilidade de "retirar alguns municípios desse elenco" (dos 121) e colocar outros em que se tenha verificado uma evolução epidemiológica negativa.

O ministro avisou também, citando números, que a "evolução epidemiológica é muito grave a nível mundial", falou de "situações complexas" na Europa, e disse que uma "resposta preventiva muito forte" é essencial para travar tendências de crescimento da pandemia.

Sendo que, disse, travar esse crescimento é a melhor forma de "solidariedade ativa" com os profissionais da área da saúde.

Eduardo Cabrita salientou ainda na conferência de imprensa o trabalho da GNR na desinfeção de veículos (3.500) e de "centenas de instalações". E disse que nos próximos dias serão ativadas estruturas de retaguarda (para casos de covid-19 que não necessitam de internamento hospitalar) em todos os distritos do continente.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.263.890 mortos em mais de 50,9 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 3.021 pessoas dos 187.237 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG