Ex-porta-voz da Polícia Judiciária Militar foi detido

O homem que coordenava a investigação ao caso de Tancos foi detido após chegar a Portugal

O ex-porta-voz da Polícia Judiciária Militar envolvido na investigação ao furto das armas em Tancos foi detido esta segunda-feira, avança a SIC Notícias.

Vasco Brazão estava em missão na República Centro Africana e foi detido à chegada a Lisboa.

O militar reagiu este sábado pelo Facebook ao pedido de detenção feito pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal ao Estado-Maior General das Forças Armadas garantindo: "estou arrependido, mas de consciência tranquila".

"Não sou criminoso nem tão pouco os meus camaradas o são. Somos militares. Cumprimos ordens", escreveu naquela rede social.

Tal como o DN noticiou, o major invocou interesse nacional para o sucedido: "Estamos prontos para morrer na defesa e na salvaguarda do interesses nacionais. Somos formados assim. A salvaguarda dos interesses nacionais é sempre superior aos interesses individuais", argumenta

Vasco Brazão é o nono arguido neste caso. Irá passar a noite no presídio de Tomar e deverá ser presente a juiz esta terça-feira.

Exclusivos