Corrupção. Dois "dinossauros" socialistas detidos pela PJ

O médico Joaquim Couto e o empresário Miguel Costa Gomes, presidentes das câmaras de Santo Tirso e Barcelos, respetivamente, estão entre os detidos. O presidente do IPO do Porto foi também detido

Dois autarcas do PS foram detidos pela PJ esta manhã de quarta-feira, no âmbito de uma investigação que visa negócios suspeitos relacionados com a atividade turística da zona norte.

Trata-se de Joaquim Couto, médico, presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, e Manuel Costa Gomes, empresário, presidente da Câmara Municipal de Barcelos, são dois dinossauros autárquicos socialistas da zona norte.

Foram feitas dezenas de buscas e há mais detenções, entre elas o presidente do IPO do Porto, Laranja Pontes, e a mulher de Joaquim Couto, que já tinha sido constituída arguida em outubro passado, no âmbito de outra investigação relacionada com o turismo.

José Maria Laranja Pontes, Licenciado em Medicina pela Universidade do Porto e especialista em Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Estética, é desde há 12 anos, presidente do IPO-Porto.

Nesta operação, denominada "Teia", estão essencialmente em causa ajustes diretos relacionados com a organização de eventos, envolvendo aquelas entidades, favorecendo várias empresas, realizados no último ano.

Segundo o comunicado da PJ, em causa estão suspeitas de "crimes de corrupção, tráfico de influências e participação económica em negócio" no âmbito da contratação pública.

Não foi ainda esclarecido qual foi exatamente o papel de cada um dos detidos. O DN sabe que os crimes terão sido cometidos recentemente, desde 2018 e que, no que diz respeito ao IPO nada terá a ver com questões relacionadas com a instituição ou tratamento de doentes.

A investigação "apurou a existência de um esquema generalizado, mediante a atuação concertada de autarcas e organismos públicos, de viciação fraudulenta de procedimentos concursais e de ajuste direto com o objetivo de favorecer primacialmente grupos de empresas, contratação de recursos humanos e utilização de meios públicos com vista à satisfação de interesses de natureza particular", adianta a Judiciária.

Couto, 68 anos, formado em medicina, exerceu no hospital de Santo António, no Porto. Preside à autarquia desde 2013 (já tinha sido presidente entre 1982 e 1989), preside à Comissão Política Concelhia do PS de Santo Tirso, foi membro de diversas comissões política nacionais, foi deputado, governador civil do Porto e fundador e dirigente de várias associações ligadas aos municípios.

Manuel Costa Gomes, 62 anos, está no terceiro mandato na liderança da autarquia de Barcelos.

É empresário na área da Indústria e Serviços. Neste momento preside também à Comissão de Autorização Comercial do Grande Porto (que decide a instalação de espaços comerciais) e ao Conselho Executivo da Associação de Municípios do Minho. É ainda vice-presidente do Conselho Diretivo da Associação Nacional de Municípios Portugueses.

Na operação policial, realizaram-se 10 buscas, domiciliárias e não domiciliárias, nas zonas do Porto, Santo Tirso, Barcelos e Matosinhos e envolveram dezenas de elementos da PJ - investigadores, peritos informáticos, peritos financeiros e contabilísticos, bem como magistrados judiciais, magistrados do Ministério Público e representantes de ordens profissionais.

A operação foi comandada pela Diretoria do Norte da PJ, num inquérito titulado pelo Departamento de Investigação e Ação Penal do Porto.

Ler mais

Exclusivos