Governo garante Fertagus no passe único

A ligação entre Lisboa e Setúbal pela comboio da Ponte 25 de Abril está prevista no modelo de passe metropolitano, garante o Governo que frisa ter estado a trabalhar "desde a primeira hora, para que seja possível incluir o serviço da Fertagus nos passes metropolitanos e municipais".

O Governo garante que tem "previsto" a integração da Fertagus no passe metropolitano que entra em vigor a 1 de abril sublinhando que neste momento o modelo está "numa fase de formalização com as diversas entidades envolvidas".

Numa nota divulgada no site da Área Metropolitana de Lisboa, assinado pela AML, Fertagus e Governo, na sequência de o DN ter publicado uma notícia a referir que ainda não estava garantida a presença da empresa que explora a ligação ferroviária entre Lisboa e Setúbal no sistema - apesar de as fontes contactadas garantirem que seria difícil não o integrar -, é dito que as três entidades têm "vindo a trabalhar em conjunto, desde a primeira hora, para que seja possível incluir o serviço da Fertagus (na sua totalidade, entre Lisboa e Setúbal) nos passes metropolitanos e municipais que entrarão em vigor a partir de abril".

Ao DN Cristina Dourado, administradora delegada da Fertagus, confirmou que a empresa prevê fazer parte desta mudança ao nível de tarifário - os passes vão passar a custar 30 euros, se forem utilizados apenas em Lisboa, e 40 se incluírem viagens em toda a área metropolitana e em ambos com acesso a todos os operadores de transportes - apesar de ainda se estar "a trabalhar nas especificações. É uma mudança muito grande". Acrescenta ainda que não existem "documentos assinados com os operadores".

Quanto às alterações que a integração no sistema pode provocar, nomeadamente na procura do serviço, Cristina Dourado adiantou ao DN que a empresa vai tentar obter uma melhor distribuição dos passageiros nos horários de circulação. "Estamos a operar com 17 unidades e temos quatro na hora de ponta que estão no limite da sua capacidade. O que vamos fazer é informar os passageiros dos horários com maior capacidade, temos viagens a cada dez minutos, e faremos um esforço para melhorar a distribuição dos passageiros dentro dos comboios", explicou.

Lembrando que a taxa de ocupação média das composições da Fertagus é de 60%, a administradora delegada da empresa acredita ter esta "capacidade para acomodar o aumento [de passageiros]".

A partir de abril vai ser colocada em prática nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto uma redução do preço dos passes que está inserida no PART - Programa de Apoio à Redução Tarifária, em que o Estado, através do Fundo Ambiental, financia a redução do custo dos passes intermodais nas áreas metropolitanas e nas comunidades intermunicipais (neste caso 21).

Esta mudança vai abranger as empresas de transportes públicos de autocarros, comboios, barcos e metro e por decisão das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto haverá ainda passes gratuitos para menores de 12 anos; as famílias que comprarem vários passes não vão pagar mais do que 80 euros. Em paralelo, vão manter-se os passes sociais com descontos entre 25% e 60% para estudantes, reformados e carenciados.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG