Desmantelada estufa subterrânea de canábis e detidos suspeitos de tráfico em Beja

A GNR apreendeu mais de cinco mil doses de liamba, haxixe e MDMA. Foram detidos dois homens em flagrante delito e o Tribunal Judicial de Odemira decretou-lhes como medida de coação a prisão domiciliária.

A GNR desmantelou uma estufa subterrânea de canábis, deteve dois homens por suspeitas dos crimes de cultivo e tráfico de droga e apreendeu 5.528 doses de liamba, haxixe e MDMA no distrito de Beja, foi esta quinta-feira anunciado.

Os dois homens, de 34 e 37 anos e com antecedentes criminais pelos mesmos crimes, foram detidos em flagrante delito na segunda-feira e presentes na quarta-feira ao Tribunal Judicial de Odemira, distrito de Beja, que lhes decretou a medida de coação de prisão domiciliária, refere a GNR.

Em comunicado enviado à Lusa, a força de segurança explica que, na sequência de uma investigação por tráfico de droga que decorria há cerca de um ano, apurou que os suspeitos se dedicavam ao cultivo e ao processamento de plantas de canábis.

No bunker fazia-se o cultivo, o processamento e o armazenamento da canábis

"Todo o processo de cultivo e processamento das plantas era efetuado num bunker construído com um elevado grau de dissimulação perante a vegetação e paisagem que o rodeava, a fim de dificultar a sua deteção", conta a GNR.

O bunker estava equipado com material elétrico e tecnológico, que permitia o cultivo, o processamento e o armazenamento da produção continuamente e para posterior venda em todo o território" de Portugal.

Durante a ação que levou à detenção dos suspeitos, a GNR cumpriu sete mandados de busca, sendo três às residências e quatro aos veículos dos suspeitos, e desmantelou o bunker, o que permitiu apreendeu as 5528 doses de droga, sendo 5500 de liamba, 16 de haxixe e 12 de MDMA.

A guarda também apreendeu 323 plantas de canábis, 122 vasos de cor preta, 930 euros em dinheiro, três balanças digitais, 25 refletores parabólicos com lâmpadas de aquecimento, um quadro elétrico e todo o circuito elétrico que alimentava a estrutura, diversas máquinas de embalamento em vácuo e vários materiais utilizados na rega, acondicionamento, armazenamento e na produção de canábis.

A ação foi efetuada pela estrutura de investigação criminal e contou com o reforço do Destacamento de Intervenção de Beja e do Destacamento Territorial de Odemira do Comando Territorial de Beja da GNR.

Exclusivos